sábado, fevereiro 28, 2009

CLASSICO GRENAL

______________________________

UPDATE:
As histórias já estão chegando ao meu email (Já recebi cerca de 15 historias!), não deixem de participar já que espaço no livro é limitado.
______________________________

E chegamos ao Post numero 2500 do Blog Vermelho! Tudo isso e tambem estamos chegando ao mesmo tempo a marca de 60 Mil comentários deixados aqui no Blog Vermelho alem de 2.4 Milhões de visitas!

Para comemorar, tive a ideia de fazer mais um lançamento Blog Vermelho, dessa vez um Livro sobre o Classico Grenal mas só com histórias Coloradas contadas por nos torcedores do Inter. Bem em tempo tambem para esse proximo e decisivo Grenal!



Para isso peço a participação de todos os Leitores e Bloguistas do Blog Vermelho para que contribuam com alguma história pessoal sua sobre um dos Classicos na sua vida ou até quem sabe na vida do seu Pai, Avo etc... Segue alguns detalhes sobre o projeto:

- O livro será em Paperback formato tradicional Norte-Americano com uma dimensão de 13cm x 20cm e 160 paginas.

- O livro será vendido a custo a quem quiser quiser comprar. Se a gente se organizar bem quem sabe poderemos até vender algumas copias com um pequeno lucro e doar o lucro a alguma instituição ou alguma causa Colorada. Fico aberto a sugestões. Eu calculo que o custo (baseado no valor do Dollar hoje) de cada livro será de cerca de R$20 e poucos mais alguma taxa para envio pelo correio. Acredito que isso seja um preço bem acessível!

- A histórias enviadas devem ser focadas em algum Grenal na sua vida ou na vida de alguem que você conhece. E na sua experiencia no Grenal. Se você tiver uma história sobre alguma coisa relacionada ao Classico Grenal mas não necessariamente uma experiencia num jogo voce tambem pode enviar que ela será considerada.

- Se possivel envie o numero do Classico (ou a data) da qual você se refere pois as histórias devem ser colocadas no livro em order cronológica, do Grenal mais antigo ao Grenal mais recente. VOCE PODE PESQUISAR A DATA E NUMEO DO SEU GRENAL AQUI.

- Quanto mais antigo a historia melhor, por isso seria interesante resgatar histórias de pessoas mais idosas na sua familia. A minha historia que estará no livro por exemplo será de um Grenal no Brasileirão de 1979. Mas obviamente Grenais recentes tambem são bem vindos.

- Calculo que cada historia deva ocupar entre 1 ou 2 paginas no livro. Em media isso deve ser entre 350 e 700 palavras por história. Com isso devemos ter espaço para cerca de 100 Histórias.



- Alem da participação de vocês escrevendo as histórias tambem provavelmente vou precisar de alguma ajuda na edição, especialmente na parte de gramatica pois não sou expert nisso por causa dos meus poucos (6) anos vivendo no Brasil. Por isso peço que os escritores enviem suas histórias já escritos com cuidado gramatical para facilitar as coisas. Tambem aceito ajuda de quem quiser ajudar nesse aspecto corrigindo o que for necessario nos textos enviados. Pode ser mais de uma pessoa e credito será dado no livro, não só aos escritores mas tambem aos editores.

- Falem desse projeto a amigos colorados que não passem por aqui, quem sabe eles tem uma história legal pra ser contada e gostariam de participar.

- Por favor enviem suas Historias com seu nome, data e numero do Grenal (se possivel) para ESSE EMAIL . Se você tambem quiser ajudar na edição do livro ou com outro aspecto da produção ou tiverem alguma sugestão escrevam ao mesmo email.

Gostaria de contar com todos os Colunistas do Blog Vermelho e comentaristas tambem alem de leitores anonimos nesse projeto. Acho que esse vai ser um projeto legal e mais uma vez estaremos inovando aqui no Blog Vermelho.

E o Grenal desse Domingo confio em Vitória, mesmo sem o D'Alessandro. Vamo Inter!!

sexta-feira, fevereiro 27, 2009

Morumbi Concept Hall

A grande média de ocupação de vários estádios europeus (e suas rendas milhonárias) decorre do fato de eles terem aprendido a lucrar com a presença de público em suas praças esportivas. O jogo de futebol passou a ser a "atração" que leva para o Estádio milhares de pessoas, consumidores em potencial, que são recebidos por uma série de produtos e serviços colocados a sua disposição. Aqui no Brasil, o "Morumbi Concept Hall" parece ser uma iniciativa que caminha nesse sentido.
O projeto (iniciado em Agosto de 2007) visa transformar o anel inferior do Morumbi em um centro de comércio, lazer e entretenimento. O Clube busca atrair visitantes ao Estádio nos dias sem jogos de forma a vincular a visita ao consumo na Megaloja "Reebok Concept Store". A loja possui vista panorâmica e acesso ao gramado do Estádio.
Dentro do "Morumbi Concept Hall" também está o Bar temático "Paulo Santo Bar", a foto abaixo diz tudo.
Além disso, há dentro do estádio uma livraria Nobel, o espaço "Unyco" com diversos serviços diferenciados para os camarotes e um restaurante. Ligado ao espaço "Unyco", outra iniciativa interessante é um convênio com a ABIH-SP (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) através do qual "folders" atraindo público para visitação no estádio ficam disponíveis na recepção da vasta gama de hotéis conveniados. Com esse Projeto "MCH", o São Paulo visa lucrar em torno de R$ 20 milhões só em 2009, ou seja, o dobro do que lucramos com a venda do Alex (só como exemplo).
Enfim, ainda é pouco o lucro do São Paulo com seu estádio se comparado com clubes europeus, mas o Clube caminha naquela direção. Bons jogadores atraem público, que atrai dinheiro, que paga bons jogadores. E ao atrair o público é preciso saber lucrar com os produtos e serviços colocados a disposição. Caso contrário, seria como um Shopping investir milhões em uma decoração de Natal, lotar de consumidores... e as lojas fecharem as portas na cara deles.
Pois é, por isso que "vender um grande jogador por ano é uma necessidade", no Beira-Rio.
-----------------------------------------------
-----------------------------------------------
O campeão do Gaúchão 2009 é...
A G.R.C.E.S. MOCIDADE ALEGRE de São Paulo:
Mesma taça do Gaúchão 2008, 2005...
Baita, chinelagem essa Federação, heinhô, Batista!? Usam há anos uma taça comprada em lojinha de esquina.


quinta-feira, fevereiro 26, 2009

INTER 2 x 0 NH: É muito pouco


É muito pouco. 1 a zero chorado com um penalti no fim. Derrota de 1 a 0 com União Rondonopolis. 2 a 1 contra a Ulbra é muito pouco.

3 Volantes no Gaúchão? Porque? Quem sabe o Gaúchão serve de treino, lição, alguma coisa porque no Brasileirão os times são em boa parte bem melhores que os adversarios atuais do Inter.

Dalessandro for da Final porque ele não aprende a ficar calado em campo. É choradeira demais. Por sinal se Nilmar tivesse perdido mais essa ele e ter graves problemas. Mas ele teve sorte, a bola bateu no goleiro e entrou. Antes Nilmar perdeu mais 2 gols feitos.

Lauro já provou que merece jogar no Inter. Salvou o Inter num lance crucial e quando foi a ultima vez que o Inter levou um frango? Pois é. Já as laterais continuam problematicos. Vai ser dificil ganhar o Brasileirão com Bolivar na lateral direita e Kleber tem que sair pra entrar Marcelo Cordeiro. No meio pra frente eu acredito que o Inter continuará a sentir falta do Alex. Antes falta perto da area era meio Gol, mas agora se fizermos 1 ou 2 gols de falta em 2009 será muito.

Qual a posição em que o Inter precisa mudar o mais rapido possivel?


Faz sua avaliação de cada jogador do Inter no Blog Score:



Inter 2 x 1 Novo Hamburgo

Nilmar (Kleber)
D'Alessandro (Penalti)

ESTATISTICAS OFENSIVAS EM 2009
JOGADOR GOLS - ASSISTENCIAS - PONTOS
(2 Pontos por Gol, 1 Ponto por assistencia)

Taison 8 - 3 - 19
Nilmar 4 - 3 - 11
Alex 3 - 1 - 7
Andrezinho 2 - 2 - 6
D'Alessandro 2 - 1 - 5
M. Cordeiro 1 - 3 - 5
Kleber 0 - 3 - 3
Tales Cunha 1 - 1 - 3
Magrão 1 - 1 - 3
Indio 1 - 0 - 2

Time Saci -Tú não vês? Tú não percebes?



1 - Lateral direito que não apoia (e não marca muito bem) - 03 ultimos gols (Rondon. Cax e Ulbra) foram em cima dele. Bolivar é um jogador que teve sua melhor e bem boa performance quando teve área de atuação num raio de 10 m, por isto deu certo na LA2006, esperar dele desenvoltura para jogar é bola fora... não serve pro dinamismo do futebol atual, só em time muito bem montado e companhia adequada, hoje certamente é o pior zagueiro do Inter, na LD jamais evita o cruzamento do adversário, definitivamente não merecemos este lateral !

2 - 02 Zagueiros da baixa estatura - melhores na bola alta ofensiva do que defensiva. Lentos , idades avançadas e nada técnicos.

3 - Lateral esquerdo Kleber muito técnico, precisa pegar ritmo, mas joga com aproximação, excelente passe e cruzamento mas precisa de um centro-avante de área., palavra que não está no dicionário do tt ( atacantes, arghhh - tt não gosta deles)

4 - Meio-campo aleijado, Dale sabe jogar ( e muito) com aproximação, tabelas, mas joga no DESÉRTICO LADO DIREITO colorado, à léguas de distância dos outros companheiros, tendo que praticamente buscar a bola na nossa defesa, quando consegue reter a bola no ataque, quem vem ao lado é o ´lentio` Bolivar, ou o cansado Magrão, daí é quase sempre jogada perdida, quer por inaptidão ofensiva do LD, quer por ausência de gente na grande área com o Nilmar, pois pelo lado direito Sandro e Magrão estão assoberbados com as lides defensivas, ou seja, a transposição do time, da defesa para o ataque, é praticamente nula, ou lenta ou não existe. Pela direita, nem pensar em transposição.

Taison que poderia de alguma forma compensar e preencher este LADO DESÉRTICO, quer pelo meio ou mais aberto pela direita, é insanamente colocado pela esquerda onde vira nosso articulador (péssimo por sinal), pois quando tem que passar o faz de modo ineficaz, sempre escolhendo o pior colocado para receber o passe (exceção foi o Grenal..., pois não tinha outra opção de passe) . Notem que várias vezes os passes do Taison quando conseguem chegar no Nilmar e Dale, invariavelmente os pega no contra-pé, Dale no pé direito e Nilmar, pé esquerdo!

Dada a intensa movimentação do Guina este consegue além de defender chegar na frente, resultando numa ´correria` intensa e não tão necessária pelo lado esquerdo, praticamente ´esgoelando` a técnica apurada do Kleber, por isto o M Cordeiro vem se sobressaindo, mais pela correria do que bola. Isto ocasiona congestionamento por ali e uma ´aberração` onde o M Cordeiro vira centro-avante do time à exemplo do que ocorria com o ´grande` Nery há bem pouco tempo, definitivamente não merecemos estes 02 centro-avantes !

Seria simples e recomendavel trocar os lados e as funções de Taison e Dale, só isto daria um maior ´equilibrio` pelo menos na parte ofensiva.
Incrivel constatar que nosso lado esquerdo, teóricamente mais fortalecido e que mais insistimos em atacar também é ´oferecido` ao adversário a chance de contra-ataque.

5 - Time não sabe jogar pelos lados, isto inviabiliza a melhor jogada de ataque para abrir defesas fechadas, principalmente contra times pequenos e principalmente no BR, aliás o histórico do TT contra times ´ruins` é pior ainda, vide ipatingas, vascos e outros do Brasileirão...
Então estamos na mão do Taison, um guri recém chegado ao time quando deveriámos jogar ao ritmo de Dale, Magrão, Kleber e Guina, secundados, isto sim, por Sandro, Taison e Nilmar.

6 - Ataque sujeito a individualidades e insights, bolas muito rápidas à ´morrer`, companhia muito escassa.

7 - O TT até tentou preencher o lado direito do ataque, uma vez com o Maycon (brrr) no time reserva contra o Ipiranga e Andrézinho contra o Rondonópolis numa linha de 03 com Magrão e Guina, mas o Andrézinho (prá trás e com passos curtos é dose...) não consegue dar um drible para a frente e sob seu ritmo damos 03 toques de bola pros lados quando poderíamos dar um passe à frtente, definitivamente não merecemos este arremedo de articulador.

Soluções:
Sai Bolivar, entram D Silva / Arilton e sai Taison entra Alecsandro
ou
D Silva (Arilton), Danny, Alvaro e Kleber
Sandro (Magrão), Guina, Taison (Giuliano) e Dale
Nilmar e Alecsandro - contra times de menor expressão !

Aliás, a Copa do Brasil, Gauchão e Brasileirão são praticamente decididos nos jogos contra times de menor expressão do que o Inter, mas o temperamento titiano é ´esperar` o adversário, enquanto o DNA dos grandes times vitoriosos do Inter foi sempre esmagar os adversários. Contra os grandes o Inter é ´naturalmente` grande !

Recado ao TT:
- Futebol é um esporte de imposição física, técnica, estratégica, mental e psicológica.
TIME GRANDE TEM QUE JOGAR COMO TIME GRANDE !
Se o adversário for grande, redobram-se os cuidados, mas se for pequeno, é morder na jugular, é marcar em cima, é tomar a bola no ataque, é correr menos, é fazer o adversário correr, é ir para cima com toques rápidos, verticais e objetivos, manter sempre a bola no ataque, longe da defesa, também porque defesa boa é aquela em que a bola não chega !
- Quem mais faz gols ganha os jogos / títulos, então o time que tem mais ambição ofensiva tem maior possibilidade de ganhar os jogos, o time que tiver mais jogadores com esta ambição (drible, chute, jogar para a frente) ganha os jogos, mas o treinador tem que escalar e reinar estes jogadores para o objetivo do jogo, o gol...
- Mas seu TT ! Teu time Saci só tem 01 ou 02 jogadores com ´sede de gol` , é toquinho prá cá, toquinho prá lá, é facil marcar seu time. Tú não vês isto ? Tú não percebes ? A torcida de cabelos brancos ( e atualmente arrepiados) já vê, já percebe, pois este filme já passou milhares de vezes em anos passados. Este teu time é inconsequente, inóspito e inobjetivo !

Assim como eles ´nem que a vaca tussa` vão levar a LA2009,(escrito às 21:40 hs, antes deles sifu contra o Univ. Chile) acho muito dificil, com a filosofia titiana, ganharmos o Copa do Brasil ou sequer chegar à LA2010, o TT já teve seu ´momento gabirú` quando na Azenha e parece pouco ou quase nada ter evoluido...

Será que a turma do FC também já teve seu ´momento gabirú` ? Vemos amores antigos como solução atual !

Tomara esteja eu errado...


quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Futebol-aholics

Todo o dia é a mesma rotina. Um, dois, três jornais. Correio do Povo, Zero Hora, Diário Gaúcho. Quatro, cinco, seis, sete sites esportivos. Globo Esporte, Final Sports, seção de esporte do Terra e do Uol. Oito, nove, dez, onze blogs. Blog Vermelho, Arena Vermelha, Vamo Vamo Inter, Supremacia Colorada.

Blog do Arnaldo, Blog do Wianey, Blog do Nando Gross, Blog Colorado, Olhar Crónico Esportivo, Blog do PVC, Jogo Aberto (um dos meus favoritos), Placar, Lancenet, Futebol Negócio, Blog do Mauro Beting, Blog do Alberto Helena Jr… Ufa, perdi a conta!

Futebol espanhol, italiano, inglês, francês, alemão. Argentino, angolano (!!!), africano, europeu. De reprises a jogos ao vivo, traço todos, não sou nenhum um pouco exigente. O Barça é a melhor equipe do mundo da atualidade, o Manchester engrenou de vez, o Lyon é favorito mas vai ter que ralar pra conquistar o octa, o alemão tem 4 equipes brigando pelo título (destaque para a grande campanha do Hoffenhein do Carlos Eduardo) e na Itália a Inter deve manter a hegemonia apesar de o Milan estar em franca recuperação. No campeonato africano de clubes o Al-Ahly faturou novamente e no campeonato europeu, como não deixa de ser novidade, teremos várias equipes com reais condições de surpreender.

Quando o futebol em questão se refere ao nosso glorioso clube, cabe assistir o jogo ao vivo, a reprise (se for possível), ver os melhores momentos, e ainda os debates esportivos no domingo a noite. Não basta ver com os próprios olhos, tem que ouvir e ponderar sobre o que os especialistas têm a dizer, e também os comentários e análises não menos sensatas de apaixonados como eu que compartilham de sua paixão e de sua visão futebolística na blogosfera e na Internet.

Aliás, bons tempos esses. Para quem é um futebol-aholic como eu, não faltam maneiras nem formas de poder debater futebol.

Até bem pouco tempo atrás, e creio que apesar de eu ser da nova geração cabe aqui um pouco de nostalgia, o acesso a informação era demasiado complexo.

Não apenas informação. Ainda não acredito que eu comprava um LP por causa de apenas uma música que eu gostava. E o pior, tinha que ouvir o LP inteiro até chegar na faixa desejada. Talvez essa seja a melhor analogia para exemplificar os tempos modernos. Se você quer alguma informação, a Internet lhe fornecerá um meio rápido, eficiente e geralmente grátis de consegui-la: basta baixar a música desejada, e ouvir quantas vezes quiser num CD/DVD/ipod.

Enfim, vivemos numa época privilegiada. Onde podemos trocar idéias e interagir de inúmeras formas, como por exemplo em blogs como esse e muitos outros.

Aqui fazemos amigos, compartilhamos nossas angústias, mau-humores, receios, e até mesmo sonhos. Futebol é muito bom, é uma paixão, MAS nada mais do que isso.

Não adianta brigar, criar inimizades ou levantar a voz para tentar fazer seu ponto de vista sobressair.

Se o Tite não consegue dar padrão tático a equipe, se o Nilmar continua isolado na frente, se as laterais são improdutivas e se o time deveria estar na Libertadores, tudo isso não representará o fim do mundo. Claro que é frustrante. Mas não deixaremos de gostar mais ou menos do Inter por causa disso.

Com calma e serenidade vamos torcer para que as coisas voltem ao normal e o time engrene de vez. Ou alguém põe comida na mesa por causa de futebol? Veja bem, não peço conformismo de ninguém, afinal se espera muito desse time e até agora a amostra e os rumos não são satisfatórios. Mas esquentar a cabeça, ficar de mal com a vida e proclamar o apocalipse por causa de futebol é sofrer por algo que não vai mudar.

“Torcedor que se preze pode trocar de carro, de casa, de mulher e até de nome. Mas se tem uma coisa que brasileiro não troca nunca, pode ter certeza que é o time de futebol. “

terça-feira, fevereiro 24, 2009

Imperadores do Samba, o Colorado do carnaval!




A Sociedade Recreativa e Beneficente Imperadores do Samba foi fundada em 19 de janeiro de 1959, na rua Joaquim Nabuco. Nascida no ano do cinqüentenário colorado, algumas curiosidades associam a escola a outra entidade, vinculada às origens do Internacional: a Sociedade Carnavalesca Os Venezianos.

As duas entidades possuíam as mesmas cores: vermelho e branco. Ambas foram fundadas na mesma rua, Joaquim Nabuco (que, em 1873, na época da fundação da primeira entidade, chamava-se rua dos Venezianos). E o símbolo das duas era semelhante: dos Venezianos, o Leão de Veneza; da Imperadores, dois leões guarnecendo a coroa imperial.

Logo no seu primeiro ano, a Imperadores disputou o carnaval no Grupo II, com o tema “Malandro”. No ano seguinte, desfilou com o mesmo tema, mas sem concorrer.

Em 1964 a Imperadores ganharia seu primeiro carnaval, com o tema “Rio 400 carnavais”. Mas como o acesso ao Grupo I não era automático, a escola permaneceu no Grupo II, ganhando o bicampeonato no ano seguinte, com o tema “Festa nas Antilhas”, desta vez conseguindo o acesso.

No seu ano de estréia no Grupo I, a escola sagrou-se vice-campeã, com o enredo “Aquarela do Brasil”, superando escolas tradicionais da cidade. No ano seguinte conquistaria seu primeiro título na elite do carnaval, dando início a um tricampeonato: 1967 (My fair samba), 1968 (Uma festa no México) e 1969 (Epopéia dos Bandeirantes).

A década de 1970 não foi muito vitoriosa para a escola alvirrubra, que conquistou apenas um título, em 1975 (Apoteose histórica do mundo literário de Jorge Amado). O samba-enredo deste ano ficaria marcado como um dos melhores da história da escola, assim como o de 1977 (Mistérios e magias da terra sem fim), embora este último não tenha levado ao título.

No início dos anos 1980, um título isolado, em 1981 (Noite de criança bailando sobre raios de prata). Mas logo Roberto Correia Barros, o “Betinho”, torna-se diretor de carnaval, e depois presidente, levando a escola ao seu período mais vitorioso. Depois de alguns carnavais como mera participante, o vice-campeonato de 1987 já mostrava ares de mudança. Em 1988, a Imperadores voltou a comemorar um título, homenageando o craque colorado Paulo Roberto Falcão (Das glórias dos gramados, apoteose de alegria, um Rei entre os Imperadores).

Os anos 1990 seriam vermelho e branco, no carnaval da cidade, com a Imperadores conquistando 6 títulos, contra 4 da Estado Maior da Restinga, e apenas 1 da sua eterna rival Bambas da Orgia (mesmo assim, dividido com a própria Imperadores. Suas conquistas ocorreram em 1990 (Moitará), 1993 (Lupi, podes entrar que a casa é tua), 1995 (O fantástico mundo de Monteiro Lobato), 1996 (Perfume, um banho de cheiro), 1997 (Imperadores – Século XXI) e 1998 (Brasil, mostra a tua cara).

A Imperadores ainda venceria o último carnaval do século XX e o primeiro do século XXI, com os enredos São Borja – o primeiro dos Sete Povos (2000) e Zanzibar, ilha das especiarias (2001). A seguir, com a morte de Betinho, a escola entrou em um período conturbado de muita disputa interna. Mesmo assim, voltaria a ganhar o carnaval em 2004 (Imperadores pergunta: OGM, verdade ou mentira?), em um título dividido com a Bambas da Orgia. Os anos seguintes não seriam favoráveis à escola. Péssimos desfiles levaram ao 8º lugar em 2007 e ao 13º lugar em 2008, quando a escola escapou por pouco de ser rebaixada.

Em 2009, porém, novos horizontes surgiram para a escola. A possibilidade de homenagear o centenário do Internacional criou grandes expectativas, mas também fortaleceu algumas disputas internas. Gremistas dentro da escola defendiam que o tema-enredo deveria ser o cinqüentenário da própria Imperadores. Porém, antes mesmo do desfile de 2008, foi anunciado uma fusão dos dois temas, o centenário colorado e o cinqüentenário da escola.

Realizando uma parceria com o clube (muito diferente do que ocorreu com a Bambas da Orgia, quando homenageou o centenário gremistas, em 2003), a escola se preparou para fazer um grande carnaval. O Internacional colaborou financeiramente, com pessoal para auxiliar na organização do carnaval, promovendo as vendas de fantasia e estimulando os sócios a desfilarem. Na madrugada de sábado, dia 21 de fevereiro, a Imperadores entrou na avenida com dois mil componentes e 5 carros alegóricos, levantando a torcida de forma poucas vezes vista no carnaval da cidade. Resultado? Apenas 4 dos 24 jurados não deram nota 10 à escola, que conquistou assim mais um título, com o tema “150 anos de glória. Vermelho e Branco, uma só paixão”. A escola perdeu pontos apenas nos quesitos Fantasia e Mestre-Sala e Porta-Bandeira. Ganhou nota máxima em Bateria, Música-Enredo, Harmonia Musical, Tema-Enredo, Evolução e Alegorias e Adereços.
Mais um título para a Imperadores, o primeiro título do Internacional no ano do seu Centenário!
OBS: Créditos da foto: Ricardo Giusti/PMPA


Até quando?

Um goleiro razoável. Um zagueiro na lateral direita. Uma dupla de zaga baixa. Um lateral esquerdo com a cabeça na França. Um ótimo primeiro volante. Mais dois médios volantes de qualidade. Um excelente meia armador errando muitos passes e sucumbindo à marcação. Um atacante veloz, habilidoso, em início de carreira e com fome de gols. Outro atacante veloz, habilidoso, já cheio da grana e entediado com jogos inexpressivos. Esse o time do Inter que entrou em campo contra a Ulbra no domingo.
No segundo tempo entrou um promissor lateral esquerdo, muito a fim de mostrar serviço, mas que carece de cobertura para seus avanços ao ataque. Um meio-campo que cisca pra cá, toca pra lá, acerta aqui, erra ali, e assim vai. E um excelente meia que tem tudo para se tornar um grande jogador, mas não entrando aos 35 do segundo tempo.
Na casamata, um treinador (?) que conjuga como poucos o presente do indicativo na segunda pessoa do singular: "tu ves, tu sabes, tu percebes..." mas o que realmente ele vê, ele sabe, ele percebe? Eu, no Beira-Rio, no Passo D'Areia ou pela TV, não consigo identificar. O tempo passa, as escalações mudam, mas continuo sem ver o tão esperado padrão de jogo ou, como ele mesmo gosta de dizer, o ponto de equilíbrio. É impressionante a capacidade que os técnicos de futebol têm de criar expressões abstratas para definirem algo que seus times não têm e, parece, jamais encontrarão.
Atrás da casamata, tivemos uma social mista. Mista porque com a Superior fechada e o solaço de domingo, muitos torcedores que costumeiramente frequentam outros setores do estádio, anteontem estavam lá. Pois essa massa que não temeu o calor está ansiosa. E cobra! Cobra porque se importa. Cobra porque quer o bem. É como diz o meu velho pai, quando quem te quer bem parar de te dar conselhos, é sinal de que desistiram de ti. Mas o torcedor colorado que enfrentou os 35°C do domingo de carnaval para ir ao Beira-Rio, às 16h, ver um jogo contra a Ulbra, após o retorno de Rondonópolis/MT, não desiste do seu clube do coração. Nunca!
Mais acima, nas cadeiras ou na Tribuna, temos uma Direção que também não se conforma com os gols perdidos e, naturalmente, não admite que, diante dessa circunstância, todo o seu trabalho de anos possa ser questionado tão veementemente. O time criou, a bola não entrou. Mas vencemos, então, nada de pânico, certo? Talvez.
De fato, creio que as circunstâncias do jogo, mais especificamente do placar do jogo, nortearam a leitura predominante do pós-jogo. Houve momentos de absoluto domínio, com o adversário espremido em seu campo, com placar adverso e sofrendo riscos de levar uma goleada. Mas também futebol é eficiência, ou já nos esquecemos do clássico em Erechim?
Bolívar continuará improvisado na direita. A zaga, continuará baixa. Na lateral esquerda poderemos melhorar. No meio também e assim, espero, o ataque passará a ser mais eficiente. Mas o que o jogo de domingo nos mostrou mais uma vez, é que nosso time está muito, mas muito dependente das atuações inidividuais. E quando as individualidades não resolvem, o time sucumbe, pois o coletivo não aparece. Foi o que aconteceu no Mato Grosso e, anteontem, quase que também acontece no Beira-Rio. Estamos assim até agora. Continuaremos assim até quando?


A BATALHA DA QUARTA ESTRELA


O Colorado Pedro Luiz Simas vem a tempo arquivando todas as Revistas Placar que tem material com o Inter. Essa imagen é de uma Placar no inicio dos anos 80 quando o Inter montava um novo time já sem Falcão e sem Batista (que foi ao Grêmio). É interesante ver essa reportagem e foto. Primeiro porque é dificil de acreditar que Rubem Paz tinha só 22 anos. Na epoca eu era guri e esses jogadores pra mim já era "velhos", mas hoje me dou conta que esse "velho" tinha só 22.

Nessa foto aparece Rubem Paz que teve uma otima passagem pelo Inter que durou cerca de 4 anos (mas sem titulo Nacional), Valdomiro (meio escondido na foto) que estava voltando ao Inter apos 2 anos na Colombia (seria o ultimo ano do velho Valdomiro como jogador), Pedro Verdum, esse um nome que a muito tempo não ouvia. Ele era um atacante jovem, uma especie de Luiz Adriano, que fez uns gols aqui e ali mas que no fim não fez muito sucesso no Inter, Muller um meio campista que acredito veio de Santa Catarina ou Parana era mais um pra tentar substituir o Falcão. Até era um bom jogador mas tambem não fez muito sucesso no Colorado e por ultimo o Edevaldo, otimo Lateral direito que veio do Fluminense e foi a Copa de 82 como jogador do Inter (o unico). Infelizmente ficou na reserva do Leandro do Flamengo, um jogador que eu não suportava.

O Inter dos anos 80 ao menos de 80 a 85 eu conheci muito bem pois foi os poucos anos que morei em Porto Alegre e acredito que o time era melhor do que os Colorados de hoje acreditam. Com Rubem Paz, Cleo, Mauro Galvão, Geraldão, Ademir Kaeffer, Silvinho, André Luis (tecnico do Zequinha hoje), Luis Carlos Winck e varios outros chegamos ao Tetra Campeonato Gaúcho de 81 a 84 algo que naquela epoca ainda valia alguma coisa pois era só Brasileirão e Gaúchão que existia. Libertadores só em raras ocassioes para o Campeão Brasileiro e Vice.

Mas infelizmente naquela epoca o Flamengo é que tinha o time do momento com Zico, Junior, Adilio, Andrade, Nunes, Mozer etc... e era dificil demais chegar ao titulo. O mais facil teria sido em 1985 quando os quarto finalistas foram Coritiba, Galo, Bangu e.....Brasil de Pelotas. Sim o Brasil de Pelotas foi semifinalista do Brasilerão e chegou lá eliminando o Flamengo de Zico quando bateram o Flamengo por 2 a 0 em Pelotas com gols de Bira (não o do Inter de 79) e Junior Brasilia num golaço de cobertura sobre o goleiro do Flamengo (Raul eu acho). O Inter acabou em Oitavo, acho que foi eliminado pelo Bangu se não me engano. O Coritiba acabou campeão e pelo time que a gente tinha poderia ter sido nos. Inclusive o Inter goleiou o eventual Campeão o Coritiba por 4 a 0 no Beira Rio na primeira fase, o Compacto desse e de 5 outro jogos do Inter nesse campeonato eu postei no Youtube a uns anos atras é so ir la procurar (Inter Compacto 1985).

Vinte e poucos anos depois continuamos procurando a quarta estrela do Brasileirão. Nós colorados temos que nos unir esse ano e fazer de tudo possivel para que o Inter seja Campeão Brasileiro novamente. Já estamos na fila a 30 anos e chega de esperar, uma geração inteira de Colorados nunca viram esse titulo. Tá na hora. Eye on the prize gente...o Brasileirão. Esse é o que importa mesmo em 2009.



Mais uma foto da epoca com Rene meio campista que acabou indo para o Fluminense com outros jovens do Inter na epoca (Jandir e Tato)e formaram um time Campeão no Rio. Luis Carlos que na revista falam dele como meio campista mas que nesses anos acabou sendo o Lateral Direito do Inter e Ademir (Kaefer) que era um volante de pouca classe mas forte determinação. Era bem melhor que o Edinho mas não chegava a ser um Dunga ou Batista. Anos depois Ademir teve sucesso no Cruzeiro e tambem fez parte da Sele-Inter que foi a Los Angeles em 1984.



Nessa ultima imagem do Inter de 1955 o desenho do jogador no meio de pé parece com o Mike Tyson trinta anos antes do Mike Tyson ser conhecido. É quase exato, até o cabelo!

E numa coincidencia não relacionada ao Inter mas que descobri agora pesquisando essas imagens, nos anos 70 existia um jogador de Baseball chamado Mike Tyson (veja a foto). Nada a ver com o Tyson que uma decada depois faria o nome famoso pelo mundo, mas veja que estranho. Esse Mike Tyson (do baseball) no seu Card de 1974 atras diz que o apelido desse Tyson era "Rocky". No minimo uma estranha coincidencia.





Agora será que o nosso Taison fará historia e dará novo sentido a esse nome?

GOLS PERDIDOS VIRA NOTÍCIA

Acho que já faz 1 ano que eu e varios outros Colorados reclamam do excesso de gols perdidos em especial do Nilmar. Eu particularmente tenho sido criticado aqui por ter feito essa critica ao Golden Boy. Mas parece que a midia e o proprio Inter estão finalmente se tocando quanto a esse assunto. Virou manchete hoje os Gols perdidos do Nilmar ("Preocupação vermelha: excesso de gols perdidos, especialmente por Nilmar").

Até Fernando Carvalho já perde um pouco de paciencia com o Menino Prodigio:
"Se fizéssemos 30% dos gols que podemos, teríamos vitórias tranquilas. O treinador sabe disso e está trabalhando nesse sentido....Para um camisa 9, o aproveitamento precisa melhorar" disse FC.

FC falou o que venho falando aqui a tempo. Nilmar é um bom jogador, poderia até ser craque mas por alguma razão tá lhe faltando aquele algo a mais, normalmente na hora do chute final que muitas vezes sai bem fraquinho. Me parece que isso é algo que pode ser recuperado, não?

Nilmar pra mim é titular, é obvio, mas o que não aceito é que certos jogadores sejam super protegidos de criticas como vem sendo o Nilmar por aqui. Tem gente que leva para o lado pessoal cada vez que leiam uma critica ao Nilmar. Porque será?

O Inter já jogou 10 partidas em 2009, o Nilmar talvez umas 8 e fez 3 gols. A quantidade é muito pouco especialmente em relação a quantidade de chances claramente perdidas. Fica a esperança que agora já que isso virou noticia as coisas melhorem para o camisa 9.

segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Tempo e temperatura

No Beira Rio o tempo é curto e a temperatura, 37 graus. Ontem fez um calor daqueles que só quem aqui estava pra entender. Não fui ao jogo, desisti porque o império das telecomunicações não tornou possível, jogo às 16 horas de um dia insuportavelmente abafado, o que é isso companheiro? Um salve para os guerreiros que lá estiveram, pois eu reconheço minha fraqueza. Não fui.


Falando em fragilidades, Bolívar falhou no gol da Ulbra (ou Canoas, ou Filantropia Futebol Clube). Vai descer de General pra Cauby Peixoto, se não treinar esse fundamento! Bola cruzada te quebra as pernas. Devo salientar que apesar de assumir a lateral direita, isso não pode ser defeito de zagueiro e digo mais, nem mesmo pra um lateral do teu tamanho. Aliás, tu nem tem mais idade pra errar isso.


Taison mais uma vez decidiu, no seu gol e do Índio, oportunismo no primeiro e precisão no segundo. O menino tá com tudo e não tá prosa. Não vi a partida (ouvi), logo, não posso argumentar sobre a entrada de Sandro como titular e com isso, o retorno ao esquema da Sulamericana. Deixo os comentários para os que puderam avaliar.


Eu prefiro início de temporada com tropeços a uma arrancada explosiva e explico por que. É a consciência do vestiário. Pelo jogo de ontem dou desconto, porque fazia um calor do cão na capital gaúcha. E não me convence o fato de ser a mesma temperatura pros dois times. Não mesmo. Pra quem jogou pela Ulbra e vê nesse campeonato uma chance imperdível ontem tinha até brisa do mar naquele gramado. E se os consagrados colorados devem saber que ganham muito bem pra passar o calor de ontem (e devem mesmo), desculpa aí, mas lá no íntimo do ser humano que espera outro calor, o da fase quente, essa aí fica só no discurso.


A evidente má vontade esteve na estréia da Copa do Brasil, contra o Rondonópolis. Ali sim, faltou gana e otras cositas más. Se o grupo não encontrar em si as causas daquela derrota, teremos problemas. Continuo chamando atenção pra ausência de capitão. Falta um comando dentro de campo. O próprio Rondonópolis surpreendeu em boa parte pela presença do véio Odivan de guerra. Nêgo chamou na responsa, orientou a defesa durante todo o jogo. Mandou e desmandou do seu meio pra trás. Não tomar gol era o objetivo deles e fazer algum, nos roubaria a Glória. E roubou. Tá lá, em cativeiro, até o jogo de volta.


Então é o seguinte: Magrão, pega esta porcaria de braçadeira, bota no teu braço e chama no grito. Pois o tempo voa e a temperatura... Subindo.



domingo, fevereiro 22, 2009

INTER 2 x 1 Ulbra


Uma vitória magra no Beira Rio onde o primeiro gol foi dado ao Inter.

- Me parece que falta uma peça ofensiva no Inter. Muita correria sim (mas pouco pensamento), parece faltar aquele camisa 10, cerebral, ao estilo do Alex. Não sei se o D'Alessandro consegue manter o nivel constante do Alex.

- Nilmar passou mais um jogo em branco. São só 3 gols em 2008 para o Nilmar. MUITO POUCO.

- Precisamos de um goleador trombador lá na frente. Em outra vida Indio seria um baita centroavante, estilo trombador tipo Geraldão. Com Valdomiro na Ponta Direita Indio chegaria a seleção como centroavante. Ia ser assim "La vai Valdomiro...cruzou...Indio de cabeça...Gollll". Lembrando que Indio fez 11 Gols em 2008, acredito que todos de cabeça.

- Fico preocupado com o que vai acontecer quando pegamos adversarios de verdade e não times no Gaúchão.

Faz sua avaliação de cada jogador do Inter no Blog Score:



Inter 2 x 1 Ulbra

Taison (sem assistencia)
Indio (Taison de Corner)

ESTATISTICAS OFENSIVAS EM 2009
JOGADOR GOLS - ASSISTENCIAS - PONTOS
(2 Pontos por Gol, 1 Ponto por assistencia)

Taison 8 - 3 - 19
Nilmar 3 - 3 - 9
Alex 3 - 1 - 7
Andrezinho 2 - 2 - 6
M. Cordeiro 1 - 3 - 5
Tales Cunha 1 - 1 - 3
D'Alessandro 1 - 1 - 3
Magrão 1 - 1 - 3
Indio 1 - 0 - 2
Kleber 0 - 2 - 2


Deixem aqui seus comentários sobre o jogo.

TITE, UM HOMEM DE SORTE!


Existem pessoas que nascem com algo virado para a Lua, parecem que são predestinadas a que o Universo conspire a seu favor. Um bom exemplo disso é o Tite, o homem de sorte esse.

Tite nunca foi um grande treinador e mesmo assim conseguiu passar em vários time grandes na sua carreira, tendo mais sorte em alguns do que em outros, passando em times que nunca caíram e em times que volta e meia caem para a segundona.

O Tite não saberia o que fazer se tivesse o Edinho no time desse ano, Edinho era de fato um problema que Tite não resolveria. FC vendeu o Edinho e Tite se salvou.

Tite não saberia o que fazer com o quase intocável Marcão na lateral, com a chegada primeiro de Cordeiro e depois Kleber. Eis que FC vende Marcão e Tite já sabe o que fazer.

Tite já estava sem dormir para saber o que fazer no meio de campo do Inter para jogar com 3 volantes e mais Alex, Dale, Taison e Nilmar. Eis que surge a noticia salvadora, Alex foi vendido e Tite esta livre de mais um problema que jamais ele seria capaz de resolver.

Pois então esta na hora do Tite mostrar que pode ser um homem competente além de contar com a sorte para resolver seus problemas, ta na hora de colocar o Sandro em campo e voltar ao esquema com 3 voltantes, ta na hora do Tite mostrar para que veio ao Inter.

E por favor Tite, para de encher o saco com esse papo de PONTO DE EQUILíBRIO.



Guilherme Arruda

Carnaval e o "Canoas"


Para os que curtem um carnaval vai aí uma foto dos Imperadores do Samba que homenagearam o Inter nos seus 100 anos. Ficou bonito mas alguem da organização falhou e 2 pessoas com camisas com o patrocinio do Banrisul entraram no desfile o que é proibido no Carnaval. Isso pode tirar o titulo dos Imperadores.

Outro assunto.

Qual o problema da Globo com a Ulbra? Tudo bem a gente aqui no Blog chama São Paulo de San Pablo e outros times e pessoas de nomes differentes dos seu reais nomes mas nos somos um mero Blog, a Globo é uma empresa jornalistica e insiste em chamar a Ulbra de Canoas. Canoas não está no nome do Clube. Dizem que é por causa de patrocinio mas isso é ridiculo, no mundo todo estadios e arenas estão levando nome de patrocinadores e todas as TVs , radios e jornais respeitam isso e chamam pelo nome certo. Já a Globo faz esse papelão insistindo em chamar a Ulbra de Canoas.

Outra coisa sobre a Globo. Já notaram nas esntrevistas coletivas como ele filmam o tecnico ou atleta de tão perto que tu quase so ve o nariz do cara? Pois eu nunca entendia o porque do extremo close-up mas depois fiquei sabendo que é porque a globo não quer filmar o patrocinios ao fundo. Ridiculo! Será que a Globo não sabe que só prejudica os clubes com essa atitude e que se os clubes são prejudicados eles tambem serão? O que será que farão no futuro usar photoshop pra tirar o patrocinio das camisas dos clubes?

Alguem sabe se a Globo declarou publicamente porque estão agindo irresponsavelmente em chamar a Ulbra de Canoas? Se fosse aqui nos EUA acho a Ulbra já teria processado a Globo por causa disso.

A Era Pos-Alex começa hoje. Segundo os corneteiros do Alex agora é só alegria não?

PS:

Não sei se notaram mas já a alguns dias o BV tá com a "camisa" levemente mais vermelho do que o vermelho "topper" de antes.

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Legião Futebol Clube

No Distrito Federal há um time, no mínimo, diferente: o Legião FC. O Clube surgiu em 2001 como um projeto social e em 2006 fez sua estréia no futebol profissional sagrando-se "Campeão da 3ª Divisão do Campeonato Brasiliense", e em 2007 já estava na 1ª Divisão do Estadual, conquistando vaga na Série C do Brasileiro de 2008.

O nome "Legião FC" é uma homenagem, mais que explícita, para a Banda de Rock. O filho de Renato Russo, Giuliano Manfredini é o Presidente de Honra do Clube-Empresa, que também tem o apoio de toda família do ídolo do Rock. As letras e mensagens positivas da Banda são constantemente utilizadas.

"Sempre em frente, não temos tempo a perder..."

Embora seja um time pequeno, o Legião tem tudo para crescer, porque apesar de pequeno está pronto para ser grande. O Clube é administrado com transparência com publicação de seus resultados financeiros, busca constantemente apoios e patrocínios, tendo inclusive diversas modalidades de sócio, como "sócio-empresa" e "sócio-aluno" (uma pro presente, outra para o futuro). Na área de mídia possui a TV Legião (que muito clube grande não tem). E os jogos são tratados como um evento.

As empresas parceiras compram cotas da despesa do Clube e, em contrapartida recebem de 20 a 40 camisetas-ingresso para distribuir entre amigos, funcionários, clientes. No Estádio TODOS têm tratamento VIP. São recebidos com manobristas, bebida grátis, pipoca, telões e uma banda que toca as músicas da Legião Urbana no intervalo. O público vai para ver futebol, mas se o time perder, ele não deixa de voltar, afinal o jogo, embora seja o centro, faz parte de uma festa, um evento. São iniciativas desse tipo que fazem estádios europeus de times que nunca ganham nada, lotarem.

Como se vê, a solução para muitos clubes pequenos que vivem de administrar dívidas pode estar em ter boas idéias e saber "vender seu peixe". Se o Legião será um clube grande, o maior de Brasília, não tem como afirmar, mas aquele que apostar nisso, acredito, tem grandes chances de ganhar.

Força Sempre, Legião.

Aqui o site deles: www.legiaofc.com.br


----------------

Bom carnaval para todos e sucesso para a Imperadores!

----------------

Contra time pequeno, não adianta. Nilmar e cia. vão tirar o pé. Perde-se uma ótima oportunidade para os reservas mostrarem seu futebol.

quinta-feira, fevereiro 19, 2009

ALEX VENDIDO

Alex segundo os noticiarios foi vendido ao Spartak Moscou. O Inter levará 5 Milhões de Euros por ele.

Enquanto a venda dele era inevitável, ele merecia, não fico feliz com a situação. O Inter talvez seja um pouco Alex-Dependente e vai ter que aprender a jogar sem ele. Podem critica-lo mas no ano passado ele participou diretamente de 51 dos 135 gols do Inter no ano e provavelmente teve alguma participação em 10 outros.

Quem vai fazer isso em 2009?

Taison? Agora a pressão estará em cima do guri. Ele aguenta?
Nilmar? Talvez e essa seria a hora. Tá na hora do Nilmar aparecer em todos os jogos e não só como o salvador em um jogo de cada 5.
Alecsandro? Guiliano? Walter? Todos um pouco?

Agora vamos ver quem é feito de que sem o Alex pra estufar as redes ou para fazer assistencia como fez 19 vezes em 2008.

Boa sorte ao Alex na Russia, ele merece. E finalmente os corneteiros do Alex vão ter que parar de falar dele...e vai sobrar mais ainda para o Tite.

Lembrando alguns gols do Alex de bola parada:


Foi-se o Grilo Falante...


Muito bom de crítica, muito ruim de auto-crítica...

Parece que a coisa se arruma ao natural !

TITENIC




É incrível o que aconteceu ontem...

O TT tem hoje um transatlantico nas mãos, mas sua visão de futebol é de ´jangadeiro` de ´mació`= maceió , navega com uma vara apoiada no fundo do mar, ou seja, só vai onde dá pé...

Se uma ´cara` de time que deu relativamente certo (Sula?) em 2008, tinha um 1º volante (horrível), + Magrão, Guina e Dale, na frente tinha um solitario Nilmar e um ´na maioria das vezes ausente` Alex. Nas laterais não tínhamos ninguém e foi improvisado o ´sonolento` Bolívar, na LE o ´montanha-russa` Marcão. Por que retroceder ?

Em 2009, saiu o Edinho, pensamos, promove-se o Excelente Sandro (que está na geladeira), contrata-se bons laterais e atacante para jogar com o Nilmar, tudo isto foi feito mas, por que retroceder ?

Inventa-se Guina e Magrão nas 1ªs funções do meio-campo e o tal quadradro mágico com Dale, Alex, Taison e Nilmar, determinou-se que o incipiente, nervoso, porém inobjetivo Andrézinho como 12º jogador, manteve-se uma improvisação (=aberração) na LD, melhorou-se a LE, por que o time não funciona ?

1 - Quem rouba a bola dos adversários ? Guina e Magrão (colados nos nossos zagueiros)
2 - Quem carrega a bola prá frente ? Ninguém, pois a bola vem de muito longe (da defesa)
3 - Quem joga pelas laterais ? O Kleber até tenta, mas o time insiste em tabelas pelo meio através do quadrado mágico.
4 - O que faz o Bolívar ? Sem a bola, nuuunca chega no adversário, só cerca... Com a bola ou recua e pára, ou toca pro meio-campo e pára...não é mais com ele a jogada, é um assistente privilegiado do jogo, e a bola alta...deus nos livre !
5 - Andrézinho é o tipico jogador titiano , toca pros lados, toca prá trás, quando dá um passe é só pro meio, joga em espaço mínimo, quase todas as bolas passam por ele, daí a pouca objetividade do meio-campo !
6 - Taison e Nilmar jogam na mesma faixa de campo (miolo, acabam muitas vezes por ´pecharem-se`, como jogam em alta velocidade, pensam pouco e são individualistas, tabelas entre eles, nem pensar...
7 - Quem divide com Dale a função de criação do meio-campo ? Por que só ele leva muitas faltas? Ninguém mais precisa ser ´caçado` em campo...

Índole titiana:
- Jogar no êrro do adversário ( cadê o mérito do teu time ?)
- Todos atrás da bola, ou seja, lá na área do Inter de preferência
- Marcação só no nosso campo.
- Deixa o time adversario livre pra jogar, pegar conjunto, gostar do jogo, tornar-se ousado, não é por coincidência ter perdido fora prá times ruins no Brasileirão passado, quando eles veem que o tigre colorado é de papel...
Vejam ontem, Odvan estreando, era para ir prá cima no 1º minuto, o que aconteceu ? Deixou o Odvan pegar conjunto, arrumar a zaga e aos poucos se soltar, porque o tt ´gosta de esperar`, isto aconteceu nos gre-nais da Sula, onde eles entraram com reservas e ´suamos frio` para passar...
Colocar Alecsandro ontem no meio junto com Taison e Nilmar só contribuiu para ´congestionar encher` o meio da zaga do União, bola pelos lados nem pensar.
O correto ontem seria:
- Tirar o Taison, colocar o Alecsandro dentro da área e jogar pelos lados com o Giuliano e Dale
ou
- Colocá-lo na ponta direita (onde sabe jogar e não pelo meio) e tirar o Nilmar, deixando pelos lados o Taison e Dale, dentro da área o Alecsandro.

Mas não, o tt disse que o Taison e Nilmar são jogadores de velocidade, mas quando não tem espaço, o que fazem, tabelinhas pelo meio...foi o que tentaram fazer ontem o jogo todo, muitas vezes no 1º tempo o Kleber aparecia sózinho na esquerda e não recebia a bola, por que ? Falta de cacoete em jogar pelos lados do campo e cruzar para quem?

Conclusões:
- Bolívar não dá mais...falta-lhe temperamento para a correria do futebol, na zaga ao lado do F Eller isso ´soava` como tranquilidade e deu certo !
- Danny é muito melhor do que Indio.
- Sandro tem que entrar ontem no time.
- Andrézinho não é solução, talvez em um time bem arrumado possa ser um bom reserva, entrou bem no gre-nal pois piorar era impossível !

- Falta ´timoneiro`...

quarta-feira, fevereiro 18, 2009

União Rondonopolis 1 x 0 Inter

Hoje passei lendo comentarios aqui e no Orkut sobre o meu texto sobre a Copa Do Brasil. A grande maioria dos comentarios diziam que temos "18 titulares" ou um baita grupo etc etc etc que dá sim pra ganhar a CDB e o Brasileirão. Todo ano a mesma coisa, todo mundo achando que temos o melhor grupo e que tudo vai ser 1000 maravilhas.

Eu falei e repito isso é sonho que dificilmente acontece. Hoje não conseguimos nem ganhar do grande União Rondonopolis, pior perdemos para o União Rondonopolis da estrela Odvan.

Mas no jogo de volta com certeza ganharemos mas o problema é que aí está a prova que nada será facil e que você pode ter 30 Titulares mas se você não está com a cabeça no lugar certo não adianta nada. Com a CDB a cabeça dos jogadores nunca estarão no lugar certo (o Brasileirão).

É facil dizer vamos ganhar tudo, mas hoje foi prova que sonhar é facil e passar vergonha é mais facil ainda.

Será que Alex fez falta?
O que houve com a dupla Taison e Nilmar? Não podemos culpar Alex!

Repito a melhor coisa para o Inter em 2009 é cair fora da CDB o mais rapido possivel e focar todas as forças no Brasileirão. A Copa Do Brasil não vale NADA e só atrapalha. Quer vaga na Libertadores? Tenha vergonha na cara e joga o Brasileirão pra ganhar que no minimo entre os 4 tu fica e para de procurar atalho em Copinha Varzeana.

Viva a Carmen Miranda.



O choro é livre!

Após o último Gre-Nal ouvimos dirigentes gremistas dizendo que o clube se desinteressava pelo campeonato, e que usaria time misto na competição, usando como desculpa para esta atitude supostos erros de arbitragem no clássico. Mas este comportamento não é novo. Há muito tempo o nosso rival adota esta prática.

Corria o ano de 1948. Sete equipes disputavam o campeonato de Porto Alegre: Internacional, Grêmio, Cruzeiro, Renner, São José, Coríntians e Nacional. O Rolo Compressor vivia sua última temporada vitoriosa, mas estava arrasando os adversários, no campeonato municipal. Enquanto isso, o Grêmio marcava passo, perdendo para o Cruzeiro e Renner. Quando chegou o Gre-Nal que finalizava o primeiro turno, o Internacional estava 3 pontos na frente do Grêmio (e na época vitória valia dois pontos).

A vitória no clássico era imprescindível para as pretensões gremistas no campeonato. Mas na metade do segundo tempo a situaçãonão era nada boa para o rival. O Internacional vencia o jogo por 3x2. Então, aos 25 minutos, Touguinha avança livre e bate forte, da entrada da área. Abigail intercepta o chute com a mão, e o juiz José Carvalho marca pênalti. Porém, quando ia colocar a bola na marca penal, o juiz foi avisado pelo bandeirinha Ivo Tavares que Hermes estava impedido, na hora do chute (na época, mesmo que o jogador não participasse da jogada, era considerado impedido). Imediatamente o juiz, corretamente, volta atrás na marcação do pênalti. Os jogadores gremistas protestam e decidem sentar no gramado, até o final da partida, impedindo o reinício do jogo.

O Grêmio apresentou um protesto na Federação Riograndense de Futebol (FRGF), pedindo a anulação da partida, sob alegação de erro de direito do juiz. Em 11.09.1948, véspera da segunda rodada do returno, a FRGF julga o pedido gremista, e considera improcedente, por 5 votos a 2. O Internacional foi confirmado vencedor da partida. Cinco pontos atrás do líder, e tendo seis partidas para jogar, a direção gremista se reuniu no dia 12, e divulgou uma nota onde declarava “desinteressar-se pelo campeonato”, e que “não usaria sua força máxima” nas partidas restantes.

Perdendo mais pontos, ainda, o Grêmio chegou ao Gre-Nal da última rodada já morto. O Internacional havia conquistado o título algumas rodadas antes. Com um convite para jogar um amistoso em Curitiba, e querendo fazer pouco caso do título colorado, o Grêmio decide mandar apenas os reservas para o clássico. Azar o deles: fechamos o campeonato com chave de ouro, vencendo o Gre-Nal por 7x0, maior goleada colorada na história do clássico, e maior placar já obtido por qualquer um dos dois clubes, na era do profissionalismo.

Para comparar,a campanha dos dois clubes:
Internacional
1º Turno
7x1 São José
3x0 Coríntians
6x0 Cruzeiro
3x0 Nacional
1x1 Renner
3x2 Grêmio
2º Turno
4x1 São José
1x1 Coríntians
3x1 Cruzeiro
6x1 Nacional
1x1 Renner
7x0 Grêmio

Grêmio
1º Turno
4x2 Coríntians
1x2 Cruzeiro
3x1 Nacional
1x2 Renner
3x2 São José
2x3 Internacional
2º Turno
2x1 Coríntians
0x0 Cruzeiro (*)
2x1 Nacional
2x2 Renner
1x3 São José
0x7 Internacional
(*) Até esta partida, jogou com os titulares.

E mesmo com esta campanha ridícula, o Grêmio ainda conseguiu ser vice, ao lado de São José e Coríntians, 9 pontos atrás do Internacional.

O Custo da Copa Do Brasil: O Brasileirão.

E aqui estamos nos novamente, mais um ano de esperanças realmente começando. Enquanto o Gaúchão serve pra acertar o time e coisas assim, o titulo do Gaúchão não leva a muito alem de servir para usar de corneta aos Gremistas. E se você como eu mora longe de qualquer Gremista nem pra isso o Gaúchão serve.

Está aí então a Copa Do Brasil, um torneiro que poderia ou deveria ter mais prestigio mas que no fundo falta aquele brilho a mais. A CDB é differente do Gaúchão por causa de uma coisa só, ela dá vaga na Libertadores do proximo ano. Incrivelmente em 2008 a Libertadores de 2009 foi jogada fora por fracassos na propria CDB e no Brasileirão. No fim de ano o Inter meio que "salvou" o ano com a conquista da SulAmericana mas infelizmente essa não dava vaga na Libertadores.

Então estamos aqui no ano do Centenario sem a Libertadores, sem a chance de ir ao Mundial. Tudo bem. Isso já passou. Na minha opinião o foco do Inter deve ser UM em especial, a conquista do TETRA DO BRASILEIRÃO (não contando titulos morais). Não só já faz um absurdo 30 anos que não conquistamos o Brasileirão como a conquista dele nos daria com folga uma vaga na Libertdores de 2010.

Enquanto vou torcer muito para conquistarmos a CDB que começa hoje meu medo é que a CDB ajude a tirar foco do Brasileirão e que assim poderemos perder pontos preciosos no Brasileirão nos meses de Maio, Junho e Julho se chegarmos até a final.

Se formos Campeões da CDB, otimo, mas acredito que seja quase impossivel ser Campeão Brasileiro e Campeão da CDB no mesmo ano. Imagina os times mistos no Brasileirão até Julho. Imagina a festa do titulo. Imagina "um descanso" para os Campeões. Imagina já ter o pé na Libertadores 2010. Imagina a janela da Europa logo adiante. Onde estará a motivação? Onde estaremos na tabela do Brasileirão até lá?

Temos que saber escolher nossas lutas e escolhendo a Copa Do Brasil como a luta principal o custo será um, o Brasileirão. Acredito que nunca o Campeão da Copa Do Brasil tenha ganho o Brasileirão no mesmo ano e isso não é coincidencia. É muito facil dizer "vamos ganhar TUDO em 2009" mas a realidade é bem diferente, há muitos fatores a considerar.

É um absurdo a CBF ter dois campeonatos Nacionais ao mesmo tempo, mas é assim que acontece.

A escolha é simples entrar com tudo na Copa Do Brasil e praticamente esquecer o sonho de ser Tetra Brasileiro ou focar no Brasileirão SEMPRE com a CDB como "bonus". Para isso não poderemos jogar pontos fora no Brasileirão com times mistos e com a atenção do elenco na CDB. Se chegarmos a final da CDB em Julho temos que tambem estar lá no topo do Brasileirão, se estivermos no meio da tabela Adeus Brasileirão.

Qual você prefere?

A Copa do Brasil

Ainda lembro como era hoje. O ano era 92 e a campanha foi irretocável. 6V, 3E, 1D.

Do chocolate no time corinthiano, em pleno Pacaembú (com direito ao primeiro gol da carreira do volante Márcio, justamente contra seu ex-clube) ao emocionante embate na terceira fase contra nosso coirmão foi a primeira conquista de relevo que vi o colorado que amo tanto ganhar.

Não apenas eu, mas toda uma geração que nasceu na década de 80 e que não teve o privilégio de ver a máquina tricampeã invicta. Finalmente esta geração acabava por sentir o gostinho de abocanhar um título nacional.

Mantenho a escalação na ponta da língua: Gato Fernandez, Daniel, Pinga, Célio Silva e Célio Lino; Márcio, Élson, Marquinhos e Caíco; Gérson e Maurício. Técnico António Lopes.



Dentre os momentos que não me fogem da rotina poderia citar a decisão nos pênaltis contra o Grêmio onde o mítico Gato Fernandez fechou o gol, as semifinais relativamente tranquilas contra o Palmeiras, o golaço de placa do na época jovem e promissor Caíco, e é claro, o tento marcado pelo Célio Canhão Silva na final.

Este último momento merece uma recordação especial. Podia sentir a tensão no ar. 40 e poucos minutos do segundo tempo. O empate dava o título ao Fluminense, e ninguém mais poderia personificar o que foi aquela equipe do que nosso capitão. Uma equipe aguerrida, valente, corajosa. Chutando muito mais o chão do que a bola, sem dar destino nenhum além de uma trajetória retilínea à “gorduchinha”, cada colorado podia soltar o grito preso durante longos anos: “é campeão!!!!”

Fato é que pra minha geração, talvez embriagada por ser este o único título de relevo visto com os próprios olhos até bem pouco tempo atrás, sempre fica um carinho especial por essa competição.

Carinho e relevo esses que a própria CBF tratou de esvair com o passar do tempo: hoje as equipes de ponta não disputam mais a CB e sim a Libertadores, sem mencionar o baixo nível técnico gerado pelo inchaço de acomodar 64 equipes e não sei quantos federações e interesses políticos.

Hoje a Copa do Brasil já não é mais a mesma. Ninguém sonha com ela, e talvez a única razão que ainda a dê algum significado seja o fato de ser um atalho para a Libertadores.

Circunstancialmente, devido ao fracasso no ano anterior, esta é a competição que nos cabe no primeiro semestre de nosso centenário.

Começa hoje, contra o modesto e pouco tradicional Rondonópolis. Seria hipocrisia dizer que não se trata de jogo jogado, pois o desnível técnico e estrutural são abissais. Cabe a equipe jogar com seriedade e disciplina, atingindo o resultado desejado e preparando-se para o afunilamento que se projeta nas fases posteriores.

Fica aqui, senão o lamento pela queda da grandeza da competição, a esperança e a lembrança de que o longínquo ano de 1992 não esteja tão distante, e que a conquista dessa competição possa voltar a orgulhar cada colorado, servindo como projeção para voos ainda maiores.

Saudações coloradas

terça-feira, fevereiro 17, 2009

Mundial: Raridade

Pra quem se interessar no Ebay tão vendendo um mini poster lá do Japão do Mundial 2006 o tamanho é 30cm x 22cm e o preço é só US$3 mais frete (US$4). Eu comprei um ano passado e chegou legal. O Link no EBAY é AQUI

PS: Pelo jeito tinham 4 lá pra vender e depois que postei aqui só tem 1. Ok quem foi que comprou?

PSS: ACABOU não tem mais. Esse Japones me deve uma comisão e nem sabe :)



Protecionismo, sim! Assistencialismo, não!

Mesmo jogando com um zagueiro improvisado na lateral direita e sem nenhum primeiro volante de ofício, o Inter, mais uma vez, goleou no Gauchão. Com o fim do horário brasileiro de verão, finalmente um jogo às 16h, num domingo. Mas como não valia quase nada e era contra o Caxias, havia pouco mais de 10 mil pessoas no Beira-Rio. Cada vez mais me convenço de que o Inter tem potencial para ter sempre mais do que 20 mil pessoas no estádio, mas para isso, ou os jogos têm que valer mais ou os ingressos têm que ser mais baratos.

O que quero dizer é que o futebol brasileiro adota prioridades equivocadas e quem perde são os clubes, que também têm sua parcela de responsabilidade nisso.

O Inter investe pesado num grupo que possui quase dois bons jogadores por função. Contudo, além de eventuais clássicos citadinos pelo Gauchão, onde vale mais a flauta sobre o rival que qualquer outra coisa, não disputará nenhum jogo contra times da primeira divisão do futebol brasileiro em quatro meses de compromissos profissionais.

Reclamamos quando vemos jovens promessas se transferindo para o exterior sem sequer jogarem uma competição importante por nossas equipes, mas o que propomos de concreto para tentar diminuir essa relação de inferioridade com o futebol estrangeiro?

Por que os times da Série A do Brasil jogam quase um quadrimestre por ano de um campeonato que, embora profissional, não lota os estádios e tem baixíssimo nível técnico? Acreditamos, ainda, que as equipes do interior devam sobreviver apenas da esmola de ter um dos clubes grandes de seus estados, uma vez por ano em suas cidades, com time misto, numa quarta-feira às 22h? Será que é isso que vai fazer com que o futebol do interior se desenvolva? Acho que não. Para esses clubes, entendo que seria melhor desenvolver disputas regionais como forma de acesso às principais divisões nacionais. A Itália é uma pequena península e faz a sua Série D regionalizada. Por que não fazer isso num país continental como o Brasil?

Outro aspecto que acentua a vulnerabilidade do futebol brasileiro perante o europeu é que o nosso campeonato nacional não está em sincronia com as competições nacionais de lá. Assim, em meio ao início do primeiro turno do campeonato brasileiro sofremos com uma das famigeradas janelas de transferências para o exterior, nas quais quem determina quando nossos jogadores poderão sair são eles e não nós. Um pouquinho de protecionismo aqui, não cairia nada mal.

Nesse contexto, a Confederação Brasileira de Futebol não só deixa de adotar medidas protecionistas, como adota uma ação eminentemente assistencialista: a vaga na Libertadores via Copa do Brasil. Graças à essa benesse, já tivemos Criciúma, Juventude, Santo André e Paulista representando o Brasil na principal competição continental. E, por pouco, também não tivemos Ceará, Brasiliense e, até mesmo, o XV de Campo Bom. É o tipo de medida que em nada contribui para o crescimento desses clubes coadjuvantes no cenário nacional.

Devido a essa política da CBF, aprovada pela cartolagem em geral, diga-se de passagem, os clubes acabam sendo tentados a eleger a prioridade errada. Me recordo que em 1999, o então Presidente Paulo Rogério Amoretty montou um time especialmente para a Copa do Brasil. Paralelamente, lançou um audacioso plano de sócios no Inter. Pois bastou uma noite em que tudo deu errado contra o Juventude, no Beira-Rio, para que se desmanchasse o time e se esvaíssem os sócios. Resultado: terminamos o ano salvos do rebaixamento por um gol do Dunga. E não foi muito diferente o que ocorreu no ano passado em que a eliminação na Copa do Brasil nos fez perder o foco em quase todo resto do ano. É o que dá apostar no assistencialismo.

Uma alternativa que vislumbro seria ter os estaduais, para os clubes da série A, como torneios de pré-temporada, contra os melhores times do interior da temporada anterior. Nada que ocupasse mais que um mês. O Brasileirão teria um calendário mais folgado, com menos jogos em meios de semana. Férias no nosso inverno. Há público suficiente para jogos no verão e um país com o litoral como o nosso, em que faz calor quase todo ano, não privaria os jogadores de uma boa praia nas férias, qualquer que fosse o mês do ano. Ah, e claro, jogos no sul às 16h entre os meses de maio e setembro e, nos outros meses, às 18h. Também seria interessante que a Conmebol definisse a Libertadores em sincronia com a Champions League e Sul-Americana concomitante à Copa da Uefa.

Sei que essa é uma ideia distante de se tornar realidade. Muitos paradigmas precisariam ser quebrados e seria necessário passar por cima de muitos interesses em jogo. O processo evolutivo é lento e depende de mudanças também na cultura do torcedor. Além disso, precisaríamos mudar as prioridades de grande parte dos dirigentes de clubes e federações.

Tenho esperança de que um dia chegaremos lá, não necessariamente nesses moldes que proponho, mas de algum modo. O importante é saber o que queremos e eu sei: quero meu clube cada vez mais forte, no Rio Grande, no Brasil e, principalmente, no mundo!


segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Ainda falta

Estes últimos anos de vida colorada vêm me proporcionando jogos memoráveis. Tem até um paradoxo do ano de 2008, quando não conquistamos tudo que esperávamos, pelo menos com relação às expectativas de Campeonato Brasileiro, ao passo que presenciamos partidas inesquecíveis, contra o Paraná, Boca, Palmeiras no Beira Rio, Estudiantes, GRENAL dos 4x1.

Foram muitos os confrontos importantes que guardei na memória desde 2005, ano da retomada. Mas tem um que a princípio não apresentara qualquer relevância, sob ponto de vista técnico, estratégico ou festivo. Contudo, aquele jogo significou pra mim, naquele momento, promessa e aposta. Foi Inter e Caxias no início de 2006, em tarde quente de verão, num Beira Rio de pouco público, como o de ontem. Lembro que na superior, próximo à FICO, havia umas dez pessoas. Talvez em toda a arquibancada superior somassem cinqüenta torcedores. Não sei, não posso afirmar.

Recordo que estava sentada no degrau mais alto, ao lado de um pilar, desfrutando de sua pouca sombra, acompanhada dos amigos do dia, um pai com seu filho (nunca mais vi) e que buscaram também aquele lugar pela mesma razão, fugir do sol que racha. Eu olhava pros lados e percebia um sossego que une a melancolia do silêncio com a tranqüilidade que te faz “dono do pedaço”.

Era um jogo nada demais, um qualquer coisa de futebol e por isso meu pensamento não se concentrava ali, mas no ano que estava por vir, apostando comigo que dali alguns meses seria impossível estar naquele mesmo concreto com igual desprendimento. Seriam meses de grito e coração na boca. E eu veria todo esplendor que o destino pudera me reservar. Eu não tinha garantia de nada, o ano anterior terminara frustrado, só havia ali, comigo, sensação. Não que fosse sensitiva, até porque o principal estímulo do meu inconsciente era tangível, tínhamos um time. Era apenas um crédito sem apego, sem fiança. O time era bom, mesmo com pontuais fragilidades e botei fé. Simples assim.

Ontem vi que temos, mais uma vez, equipe de verdade. Alguns problemas estão evidentes, mas há no plantel como solucionar, Guiñazu não é da primeira função, mas tem Sandro, entre outros. Bolívar não foi ao jogo, mandou só o corpo, a cabeça ficou na beira da praia comendo camarão. Já Nilmar foi com tudo, jogador mais centrado e ativo de toda partida. Taison não pára, Alex sentiu ciúmes e deu o ar da graça. Kleber é bom jogador. O time tem banco, Marcelo Cordeiro e etc. Carecemos de ajustes, mas nada que me fizesse desanimar enquanto caminhava pela Praia de Belas, de volta pra casa. No entanto, não tive aquele aviso, aquilo em que se acredita, mas não explica, ainda que o abraço coletivo no gol de Alex demonstre bom sinal, de grupo fechado. União sempre traz bons presságios.

Não é que eu desacredite desse grupo, seria exagero. Apenas me falta um detalhe que carimba o vencedor. Naquele Inter e Caxias de três anos atrás vencemos por 2x0, vantagem mais tímida que a de ontem, mas tinha um sujeito que abriu e fechou o placar. Foi dali que tive a certeza.

Falta um dono exclusivo da braçadeira pro ano do centenário ser espetacular e inesquecível. Falta um mandatário desse posto, de carteira e ofício. Falta um capitão.



domingo, fevereiro 15, 2009

Inter 5 x 1 Caxias: Estatisticas 2009



Apos 8 rodadas no Gaúchão as Estatisticas Ofensivas até agora em 2009 estão assim.
Notem que Nilmar teve 3 assistencias hoje. Taison tá bem na frente inclusive tá na frente do Alex em 2008 até essa data (Alex tinha 5 gols e 4 assistencias a exatamente um ano atras). Será que Taison vai conseguir seguir nesse ritimo? Vai ser uma boa "luta" entre os 3 (Taison, Nilmar e Alex) pra ver quem vai ser o artilheiro de 2009.

Destaque tambem para Marcelo Cordeiro que ja tem 1 gol e 3 assistencias. E Andrezinho tão criticado por alguns tá ali produzindo como quase sempre faz quando tá em campo. Ele já tem 2 gols e 2 assistencias e nem é titular.


ESTATISTICAS OFENSIVAS EM 2009
JOGADOR GOLS - ASSISTENCIAS - PONTOS
(2 Pontos por Gol, 1 Ponto por assistencia)

Taison 7 - 2 - 16
Nilmar 3 - 3 - 9
Alex 3 - 1 - 7
Andrezinho 2 - 2 - 6
M. Cordeiro 1 - 3 - 5
Tales Cunha 1 - 1 - 3
D'Alessandro 1 - 1 - 3
Magrão 1 - 1 - 3
Kleber 0 - 2 - 2


LISTA PARCIAL DE 2008
JOGADOR GOLS - ASSISTENCIAS - PONTOS
(2 Pontos por Gol, 1 Ponto por assistencia)

Alex 32 - 19 - 83
Nilmar 21 - 9 - 51
Indio 11 - 1 - 23
Fernandão 8 - 7 - 23
Magrão 6 - 6 - 18
Marcão 5 - 7 - 17
Andrezinho 4 - 9 - 17
Iarley 7 - 2 - 16
Adriano 7 - 1 - 15
D'Alessandro 4 - 6 - 14
Guinazu 2 - 5 - 9

O Golaço que não foi:


JOGOS em 2009:

SJ 1 x 3 Inter
Taison
Taison (M. Cordeiro)
M. Cordeiro (Magrão)

São Luiz 0 x 1 Inter
Andrezinho (Falta)

Inter 4 x 0 Sapucaiense
Taison (Alex)
Alex (D'Alessandro)
Nilmar (Andrezinho)
Nilmar (Taison)

Inter 4 x 1 Ulbra
Taison (Tales Cunha)
Taison (M. Cordeiro)
Andrezinho (Kleber)
Tales Cunha (M. Cordeiro)

Grêmio 1 x 2 Inter
D'Alessandro (Falta)
Nilmar (Taison)

Inter 5 x 1 Caxias
Magrão (Andrezinho)
Taison (Nilmar)
Alex (Kleber)
Taison (Nilmar)
Alex (Nilmar)

IDOLATRADO: Taison

Segundo as reportagens desse fim de semana o Fernando Carvalho teria entregue ao Taison a Camisa 7, no sentido que ela seria só dele, uma especie de numeração fixa mas só para o Taison. Alem disso o compararam com Valdomiro, Sapiranga e Tesourinha nomes que Taison nem consegiu lembrar na hora da entrevista.

O que que está acontecendo aqui?

Primeiro digo, gosto do Taison e gosto muito do futebol que ele tem apresentado desde o ano passado, mas numereação fixa ou tem que ser todo time ou ninguem. Como é que depois de meia duzia de rodadas no Gaúchão e 5 gols eles me fazem isso? Acredito que tão enchendo demais a cabeça do guri. Talvez se ele jogasse um esporte individual até era bom mas ele joga num time e esse tratamento extra-especial acredito que seja um pouco precose. Já esqueceram dos supostos conflitos do Pato com o resto do time no pouco tempo que ele jogou no Inter? Porque aquilo teria acontecido? Ciumes é algo que rola facilmente quando alguem assim tem muito destaque.

O melhor teria sido se deixassem o cara jogar sem todo esse circo em volta dele. Mas recem estamos no meio de Fevereiro e muitos dentro e fora do Beira Rio já endeusaram um novato, enquanto enterraram a estrela de 2008. Parece que PACIÊNCIA não é a palavra mais conhecida por Colorados em 2009.

sábado, fevereiro 14, 2009

Vai começar a Copa

Quarta-feira, dia 18, às 10 horas da noite começa a Copa do Brasil para o Inter. Chega de lamentar que não estamos na libertadores no ano de centenário. É hora de irmos pra briga e voltarmos a vencer um título nacional depois de 17 anos. Eu não sou daqueles que acha que a Copa do Brasil é apenas o caminho mais curto pra Libertadores. Acho um título relevante, o segundo maior no cenário nacional e um dos mais importantes que vamos jogar neste ano. Portanto, vamos Inter, a primeira batalha vem aí.

E o primeiro adversário do Colorado não assusta nem um pouco. É o ilustríssimo União Rondonópolis, que já não bastasse o seu anonimato ainda vem em crise. Na sexta colocação do campeonato mato-grossense o time demitiu o técnico nesta semana, o ex-jogador Valdo. Pra completar, o grande nome do time é o quase aposentado Odvan. Neste primeiro confronto temos quase que a obrigação de eliminar o jogo de volta e ganharmos uma data a mais de folga no calendário. Não imagino nenhuma dificuldade nesta primeira fase.

Depois, o segundo passo já é um pouco mais complicado, mas nem tanto. Na segunda fase temos pela frente o vencedor de Guarani e J. Malucelli. Devemos pegar o time de Campinas que mais uma vez faz um modesto campeonato Paulista. Até o momento jogou sete partidas e venceu apenas duas, ocupando a 13ª posição na tabela. É outro confronto que pode ser eliminado num único jogo, sem grandes sustos.

Já na terceira fase podemos enfrentar um time da primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Os possíveis adversários são: Criciúma, Tupi, Moto Clube e Náutico. Este último merece um pouco mais de cuidados. Vale lembrar que em 2008 fomos eliminados por um outro time pernambucano que ninguém achou que iria muito longe e acabou sendo Campeão. Mesmo assim, não dá nem pra imaginar que não passemos de fase.

O “bixo” deve pegar mesmo é nas quartas-de-final. Salve alguma zebra (o Paraná, por exemplo) devemos enfrentar o Flamengo. É claro que o rubro negro carioca vive muito mais da sua grife nos últimos anos do que de bons times, mas é sempre o Flamengo. Vejo que teremos aqui não só o adversário em si, mas toda aquela conhecida força que o centro do país dá aos times do eixo Rio - São Paulo. É claro que quanto mais longe o Flamengo for, mas ibope a Copa do Brasil dará a Globo, o que é sempre um problema. Dentro do campo, não vejo que será um adversário dos mais complicados, mas obviamente, todo cuidado é pouco.

Passando, e espero que consigamos, devemos ter uma semi-final contra um time conhecido, mas não tem nenhum gigante deste lado da tabela. Acho que neste caminho é que pode pintar a famosa zebra da Copa do Brasil, o que quase invariavelmente aparece. Se isto não acontecer, os prováveis adversários são: Botafogo, Coritiba, Figueirense ou Santos. Desses, acho que o mais perigoso deva ser o time da Vila, mesmo que já não empolgue ninguém há algum tempo. Dos outros, talvez o Botafogo jogue um futebol mais redondo, mas como não é time de chegada, acho que não vai as semi-final.

Buenas. Se chegarmos até aqui a coisa vai feder. Quero ver segurar o Colorado na final (aliás, alguém lembra de uma final recente que o Inter não levou?). Na outra chave temos alguns times de tradição: Vasco e Atlético MG podem pintar como zebras, mas os grandes adversários de uma possível final, devem ser Fluminense, com Thiago Neves e Fred e o renascido das cinzas, Corinthians, do SuperPop Ronaldo. Se enfrentarmos este último deverá ser uma das maiores finais da Copa do Brasil de todos os tempos, devido à rivalidade nascida em 2005 quando eles nos roubaram o Campeonato Nacional e que culminou com a nossa ajudinha contra o Goiás para que eles fossem parar na segundona. Acho que seria uma final perfeita e valorizaria muito o campeonato. É esperar pra ver.

Alguém acredita que o caminho do Inter será diferente? Será que teremos outra zebra este ano? E onde encontraremos os maiores perigos? Realmente, é difícil de saber, mas o que é certo é que somos um dos favoritos e estou confiante que este ano vai dar!

sexta-feira, fevereiro 13, 2009

Código de Conduta "Fair Play"

Hoje compartilho com vocês o Código de Conduta "Fair Play" da FIFA. Em diferentes graus, o futebol faz parte de nosso dia-a-dia e nós, colorados e coloradas leitores desse Blog, fazemos parte de uma comunidade internacional de admiradores do futebol. Ao contrário do que eu pensava "Fair Play" não é só um "slogan" vazio.
----------------
O Código Fair Play da FIFA engloba todos os princípios esportivos, morais e éticos defendidos pela FIFA, e pelos quais continuará lutando no futuro, independentemente das influências e pressões que possa sofrer. As dez regras de ouro não só servem de credo à FIFA, como órgão máximo do futebol mundial, mas também reforçam o sentido de fraternidade e cooperação entre os membros da família universal do futebol.

1. Jogo Limpo
A vitória perde seu valor se não é conquistada de forma honesta e justa. Enganar é fácil, porém não dá prazer. Para jogar limpo, são necessários coragem e caráter. É também mais satisfatório. O Jogo Limpo sempre tem sua recompensa, mesmo quando se perde o jogo. Quem joga lealmente ganha respeito, enquanto quem rapaceia apenas ganha desprezo. Lembre: é apenas um jogo. E jogos não têm sentido a menos que se jogue limpo.

2. Jogue para ganhar, mas aceite a derrota com dignidade
Qualquer jogo tem por finalidade a vitória. Nunca jogue para perder. Se você não joga para vencer, você está enganando seus adversários, o espectador e também a si mesmo. Nunca desista contra adversários fortes, nem ceda diante dos mais fracos. É um insulto para qualquer adversário jogar abaixo da força máxima. Jogue para vencer, até o apito final. Mas lembre: ninguém vence sempre. Você vence algumas e perde outras. Aprenda a perder tranqüilamente. Não procure desculpas para a derrota. As verdadeiras razões genuínas falam por si. Parabenize os vencedores com boa fé. Não culpe o árbitro ou outra pessoa. Esteja determinado para fazer melhor da próxima vez. Bons perdedores conquistam mais respeito do que maus perdedores.

3. Respeito as Regras do Jogo
Todo jogo precisa de regras para conduzi-lo. Sem regras, haveria o caos. As regras do futebol são simples e fáceis de aprender. Aprenda-as. Isso ajudá-lo-á a entender melhor o jogo. Entender o jogo melhor fará com que você o jogue melhor. É igualmente importante entender o espírito das regras. Elas são concebidas para que o jogo seja divertido de jogar e assistir. Ao respeitar as regras, o jogo será mais divertido.

4. Respeito aos adversários, companheiros, árbitros, oficiais e espectadores
Fair Play significa respeito. Respeito é parte do nosso jogo. Sem adversários, não pode haver jogo. Todos têm os mesmos direitos, inclusive o direito de ser respeitado. Companheiros são colegas. Forme uma equipe na qual todos os membros são iguais.Árbitros existem para manter a disciplina e o Fair Play. Sempre aceite as decisões deles sem reclamar, e ajude-os para possibilitar que todos os participantes se divirtam mais. Funcionários oficiais também fazem parte do jogo e devem ser respeitados. Espectadores criam o ambiente do jogo. Eles querem ver um jogo limpo, mas devem também comportar-se de maneira correta, respeitando uns aos outros.

5. Promova os interesses do futebol
O futebol é o maior jogo do planeta. Mas necessita sempre que todos ajudem a manter essa grandeza. Pense nos interesses do futebol antes dos seus próprios. Pense como suas ações podem afetar a imagem do jogo. Fale sobre as coisas positivas no jogo. Encoraje outras pessoas a assistir e jogar de maneira justa. Ajude outros a ter tanta diversão com o futebol quanto você. Seja um embaixador do jogo.

6. Honre aqueles que defendem a boa reputação do futebol
O bom nome do futebol sobreviveu porque a grande maioria das pessoas que amam o jogo são honestas e justas. Às vezes, alguém faz alguma coisa excepcional que merece nosso reconhecimento especial. Eles deveriam ser homenageados e seu belo exemplo publicado. Isto encoraja outros a fazer o mesmo. Ajude a promover a imagem do futebol, divulgando seus bons feitos.

7. Rechace corrupção, drogas, racismo, violência, apostas e outros perigos para o nosso esporte
A enorme popularidade do futebol, às vezes, o faz vulnerável a interesses externos negativos. Cuidado com as tentativas de envolvê-lo com trapaças ou drogas. Não há espaço para drogas no futebol, em qualquer outro esporte ou na sociedade em geral. Diga não às drogas. Ajude a banir com o racismo e a intolerância do futebol. Trate todos os jogadores e demais pessoas sem discriminação a sua religião, raça, sexo ou nacionalidade. Não tolere apostas em jogos de que participe. Isso afeta negativamente sua habilidade para atura e cria um conflito de interesses. Mostre que o futebol não aceita violência, nem mesmo de seus próprios fãs. Futebol é esporte e esporte é paz.

8. Ajude outros a resistir a pressões de corrupção
Você pode ouvir que colegas ou outras pessoas estão sendo tentadas a trapacear de alguma maneira ou se comportam de maneira inaceitável. Eles precisam de sua ajuda. Não hesite a apoiá-los. Dê-lhes a força para resistir. Lembre-os do compromisso com seus colegas e com o jogo em si. Forme um bloco de solidariedade, como uma defesa sólida no campo de jogo.

9. Denuncie aqueles que tentar desacreditar nosso esporte
Não apoie alguém que você tem certeza que está tentando trapacear os outros ou se comporta de maneira inaceitável. É melhor deixá-los expor-se e tê-los expulsos antes que eles possam causar-lhe algum dano. É igualmente desonesto conviver com um ato desonesto. Não diga apenas não. Denuncie essas pessoas de má-fé que estão tentando denegrir nosso esporte antes que eles consigam persuadir alguém a agir como eles.

10. Use o futebol para fazer um mundo melhor
O futebol tem um poder incrível, que pode ser usado para fazer este mundo um lugar melhor, onde todos podem viver. Use essa poderosa ferramenta para promover a paz, igualdade, saúde e educação para todos. Melhore o jogo, entregue-o ao mundo e você estará criando um mundo melhor.