segunda-feira, junho 30, 2008

RENAN: The Day After



Ontem falei aqui que havia um lance parecido aos 28:23 do primeiro tempo onde o Renan pula pra pegar a bola e levanta a perna direita. Hoje o Jornal BH publicou uma foto do exato momento (28:23). Nesse lance Renan não atingiu ninguem.

Há Varias questões.

- É falta se ele ta defendendo a bola e atinge alguem? Ainda lembro do lance da MSI no Tinga em 2005...se aquilo não foi falta porque esse seria?

- O Juiz tava olhando o lance, porque que ele não viu nada?

- Num lance onde o goleiro pula pra pegar a bola, o atacante não seria o culpado por ter chegado tão perto do goleiro enquanto ele estava no ar?

- Se isso tá errado no Renan, será que vão corrigir esse problema?

- Será que ele se queimou com metade da torcida (é o que parece)?

- Se a jogada havia continuado, o juiz pode voltar o jogo pra tras pra pedir um penalti? E a sequencia de jogo? E se por acaso aquele lance fosse aos 47 e ele tivesse terminado a partida no momento que Renan pegou a bola? Poderia RECOMEÇAR a partida apos te-lo terminado?

- Porque Vermelho para o Renan e não amarelo? O Juiz obviamente viu como agressão e não apenas uma falta.

- A partir de agora vai ser dificil ver um goleiro pular sem notar se ele levanta a perna.

- Se tu ve o lance em velocidade normal o lance parece comum. Se tu ve o lance em camera isolada e de perto ai realmente parece falta. Mas e se fosse o joelho em vez da chuteira...seria falta?

Depois de todas essas questões minha conclusão é a seguinte:

Futebol é um esporte de contato. O futebol Brasileiro infelizmente tem o triplo ou quadruplo de faltas marcadas pelo juiz comparado com a Europa. Na Europa eles deixam a bola rolar mais e não deixam jogadores como Roger fazer carreira mergulhando a cada 5 minutos.

Mas dá até pra entender porque foi dada a falta, mas achei o vermelho um exagero e achei errado voltar a partida para tras pois já havia sequência no jogo! Esse era um lance para O JUIZ decidir e não o bandeirinha. COM CERTEZA O JUIZ TAVA VENDO O LANCE não é? E ELE NÃO MARCOU NADA. Porque? Porque ele não viu tal aggressão. E se ele não viu e tava olhando diretamente para o Renan, acho errado ele deixar o bandeirinha fazer sua cabeça. No fim acho que o penalti acabou sendo bem mais polemico do que se ele não tivesse marcado nada.

Mas agora é bola pra frente.

Em geral gostei de algumas coisas. O time jogou bem melhor, mas de novo se fechou demais e deixou o Grêmio vir para cima. O Grêmio só não aproveitou de ruim mesmo. Gostei da velocidade do TYSON (convenhamos acho que o nome é em homenagem ao Mike não? Vou escrever assim mesmo). Alex não foi tão mal assim como alguns queiram acreditar. Ele teve uns otimos passes para quase gols e quase fez uns golaços tambem. Teve momentos que ele desapareceu mas tambem não foi uma de suas piores partidas. Sorondo pra mim foi o melhor em campo (mas os jornais deram notas baixas pra ele...vai entender). Nilmar no primeiro tempo jogou pouco, mas melhorou muito no segundo tempo, ao contrario do time em geral. Mas tambem sozinho lá na frente é dificil fazer algo. Mas ainda sinto que ele parece não querer estar vestindo a camisa do Inter. É só eu que sinto isso? (posso ta errado é claro).

Pra finalizar, so não gostei do comentario de um dos jogadores apos o jogo (nao lembro quem...acho que foi o Magrão ou Marcão). Ele disse..."a gente trabalho dura em preparação ao Grenal...duro mesmo.." Tá e daí? Com o salario de voces, voces deveriam trabalhar duro TODOS os DIAS nos treinos e não so quando tem classico!!

Jogo contra o IPATINGA vale tantos pontos quanto jogo contra o GREMIO! Isso ai não é colonia de ferias po! Vamos trabalhar!!!

PS:

Interesante. Jogaram um Radio no Gramado ontem no Grenal.

MAS o Gremio não vai ser punido porque "IDENTIFICOU" o torcedor e registrou o fato.


FALA SERIO!!!!!!!!!!!!!!!!

Agora todo clube vai ter um torcedor "Laranja" na reserva em caso de incidente de algo jogado no Gramado. Ai é so dizer que o torcedor Laranja foi o culpado e nada acontece ao clube.

Mesmo que o Gremio tenha pego o torcedor certo, agora ficou facil de se escapar de multa, é so arranjar um torcedor laranja ou se nao tiver um culpa qualquer torcedor (mesmo inocente) e deu! Ridiculo essa regra, so vai ajudar clube a se escapar de multa.

Aqui e aí, a vermelha e la roja

1. Queremos...

... Um time novamente campeão. Não vi o grenal, enquanto escrevo ainda não conferi o lance polêmico do pênalti. Dos comentários que li ontem concluí que jogamos bem. Sendo assim, deixo o fórum falar por mim, com sua insuperável característica democrática. Venho lhes dizer sobre o que queremos e da receita para tal. É simples, mas não de graça. É até questão de sorte, mas não por acaso. Pra falar a verdade conhecemos a fórmula, tento agora relembrar.


2. “Podemos”...

... É o slogan de uma campanha em apoio à seleção espanhola na Eurocopa, idealizada pelo canal 4, emissora televisiva do jornal El País. Logo que cheguei à Espanha me deparei com um princípio de crise econômica, até agora negada pelo governo, em concomitância ao espírito de Copa do Mundo. A população alternando entre protestos por meio de greves em setores: pesca e transportes; e envolvimento visceral com sua seleção, torcendo mesmo. Saíram às ruas com megafones, reivindicando subsídios ao combustível que tem seu preço em alta perigosa. Contudo, vestiram as mesmas “calles” de vermelho, com bandeiras, fardados, pintados e cantantes: La roja.

Aquilo de situação econômica e social misturada com futebol é obra de ficção ou mera coincidência? Nenhuma das alternativas. É a vida mesmo. Aqui ou onde for, o futebol já foi vendido, comercializado, abusado, violentado, roubado, escravizado, crucificado e renasce a cada mobilização essencialmente popular. Na terra dos assentos estofados, onde tento galáctico se comemora com aplausos contidos, o grito flamenco esbravejou sua dor e extravasou sua rara alegria por todas as praças.

Quarenta e quatro anos de jejum e a primeira seleção, depois de muitos anos, com cara de Espanha, ao invés de refletir o branco dos merengues. Imprensa, notícias, críticas à convocação, fogo em Luis Aragonés. Tensão, vontade, esperança, tesão, cumplicidade, superação. E começa a Eurocopa. A cada partida o grupo foi se fortalecendo e individualidades aparecendo.

Alguém já viu isso em algum lugar?

David Villa foi o primeiro e artilheiro, Marcos Senna o segundo e mais importante. Orquestrou o meio campo, embora tenha confiado a batuta à Xavi na final, de impecável atuação e eleito o melhor jogador da Eurocopa. Iniesta, Fábregas e Torres, nada mal o meio pra frente. Esses nomes não foram absolutos por toda competição. Com exceção do gol, zaga e Senna (insubstituível) revezaram diversas vezes durante a campanha titulares e reservas. E todos corresponderam, sendo que um havia jogos em que me parecia abdicado de si e por isso, criticado, el niño Torres. Jogador de movimentação inteligente, fez brilhar companheiros, mas não havia tido ainda o seu momento. E que momento.

O alemãozinho peleou, encarou na malícia, na raça e marcou o golaço que selou tão esperada vitória à Roja.

Alguém aí já viu um loiro de camisa vermelha decretar o fim da espera?

A Espanha ganhou porque mereceu. Jogou bonito e aguerrido. Nem os números contestam: equipe menos vazada e mais ofensiva. E os méritos se justificam, do goleador Villa ao craque eleito Xavi. Simbiose perfeita de equipe e torcida. Foi o que tinha de ser, na hora certa, como eclipse. E teve dose de sofrimento vencida nos pênaltis contra a Itália. E teve a grande partida, goleada na semi contra a Rússia. E teve final com gol filho único frente à Alemanha de Ballack. Tantas vezes o vermelho dessa camisa foi subjugado, subestimado, por outros e por si mesmo. Eu confiei mais na seleção que os próprios espanhóis, temerosos pelo estigma do “quase”. Por que? Porque vi um grupo qualificado e unido como rocha. Porque vi todos os componentes de uma campanha inesquecível. E porque eu já vi esse filme.

Por isso eu digo junta toda essa promessa com um novo contexto. Não somos mais quem espera na fila, contudo não queremos ao fim dela voltar. Sendo assim ergue o nariz, retoma a memória e te pergunta colorado, podemos?

domingo, junho 29, 2008

FOI POR POUCO...

Confesso que até pensava de que seria pior, mas muito pelo contrário, foi uma grata surpresa o futebol apresentado pelos jogadores, na sua maioria pratas da casa mesmo, pena que seria um prata da casa também de quem muitos inclusive eu depositamos a confiança que acabaria botando o trabalho desse domingo por chão.

Ficou aquela velha máxima de um empate com sabor de derrota, mas que ao menos deu-nos esperança que a renovação que ao mesmo tempo foi um tanto quanto demorada e depois um tanto quanto acelerada , de que na realidade não seja assim tão o fim do mundo, acho que o poder de uma reação nesse campeonato estará depositada realmente nas contratações totalmente acertadas e que venham para uma real titularidade ou melhor tenho certeza que nisso estarão depositados nossas esperanças de algo realmente palpável no presente e no futuro com o ano do centenário, então. Direção mãos à obra e não nos decepcionem mais do que fizeram até então na sua gestão.

FUTIBAS DOS BV DIA 12 DE JULHO

Já está tudo marcado, quadra e tudo mais, dia 12 de julho na HD Farrapos a quinta edição do Futebolzinho da galera do BV às 11 da manhã, os detalhes vamos acertando no blog do

http://bvfutebolclube.blogspot.com

peço que assim que tiverem uma certa ideia de poderem estar presentes que vão me confirmando a possível presença pra inserir na pré lista lá ok?

Outra coisa, gostaria da ideia do pessoal de angariar roupas para tipo uma campanha do agasalho do BV, mais direcionada para crianças, foi de cortar o coração ouvir da minha mãe que está fazendo estagio de magistério num colégio próximo ao Guajuviras aqui em Canoas, ela me relatou que um dia quando saia de se turno de aulas passou pela secretaria do colégio constatou que havia uma menininha que tremia de frio num desses dias mais frio que fez, por não ter roupa adequada para essas loucas temperaturas do nosso estado, ok?...conto com vocês pra saber o que acham e anexar quem sabe isso ao evento...uma boa semana à todos!!!

ENQUETES POS GRENAL

EDIT:
Acabo de rever minha gravação do jogo. No minuto 28:23 do primeiro tempo o Renan num cruzamento pula pra pegar a bola e levanta a perna praticamente do mesmo jeito. A diferença é que não tinha ninguem na sua frente nessa jogada. OU SEJA não foi intencional, é a maneira do Renan pular pra pegar a bola no ar. Pelo jeito ele custuma pular e levantar a perna MESMO SEM ADVERSARIO na sua frente. No ultimo lance do primeiro tempo ele tambem pula e pega uma bola no ar tambem levantando a perna direita um pouco.





Pra sua "diversão" o meu novo aquario aqui em casa. Por enquanto população 3. Ve se voce acha eles. Vou procurar uns peixes vermelhos pra comprar!

Watch live video from blogvermelho's channel on Justin.tv

sábado, junho 28, 2008

Grenal sem Gaúchos é a mesma coisa?

É estranho quando a gente pensa que no Grenal de amanhã só o Renan representará o Estado do RS. O que vocês acham, será que o Inter e Gremio de hoje entendem mesmo o que é Grenal já que a grande maioria não se criou torcendo pra Flamengos e São Paulos da vida? Levamos a ideia para um extremo, imagina um Grenal so de jogadores Canadenses! Seria grenal igual?! Ou imaginem iria a uma pelada no Rio e dar camisas do Inter e Gremio para os peladeiros...eles entenderiam a rivalidade?

Minha opinião, claro que amanha é Grenal de verdade e claro que os jogadores sabem da responsabilidade. Muitos estão aqui a muito tempo e ate se criaram no Inter mas tambem acho que se perde, mesmo que pouquinho, aquele algo a mais que teriamos se tivessimos 10 ou 15 Gaúchos em campo.

Qual a sua opinião?

PS:

Um gol do Falcão que eu nunca tinha visto...GOLAÇO!!!! Que grata surpresa ter achado isso, pois sempre que falam em Golaço do Falcão é aquele gol contra o Galo, mas esse é demais tambem. E tiveram o peito de não leva-lo a Copa de 78 apos o Bi Campeonato Brasileiro e gols como esse. Imagina se ele fosse do Flamengo....nunca teriam deixado ele no Brasil.



Brasileirão 2008 - Alex em campo, bixo em branco !



Grito da Social


95% da torcida / imprensa e 100 % da direção não percebem, mas é o custo Alexxx escalando a bengala Gil. Com ele no time o esquema é o superado 4.3.3 dos anos 70, NÃO FUNCIONA MAIS ! Nem no Grande Barcelona – vide 2006 com o R Gaúcho. Assim mesmo no 1º tempo o 4.3.3 deles foi melhor do que o nosso. No 2º tempo o Vargas salvou o Mundial , se tiverem dúvidas, revejam o jogo contra o Barcelona !

Então aqueles grandes jogadores que não são atacantes agudos (não entram na área e nem fazem gols) nem meias de vocação (marcação /criação /correria) não conseguem mais jogar, a não ser que alguém corra por eles, mas isto NÃO FUNCIONA MAIS, nem na Sel. Brasileira vide Copa 2006, jogador das características de um Robinho, RGaúcho e outros estão com os dias contados...imaginem o Alexx ! O atual Inter tem um ´parado` com marra de craque (corroborado pelo fanfarrão ex-treinador e atual diretoria). Com o Eller, J Wagner e Tinga qualquer um podia assistir o jogo de dentro do campo que não comprometia tanto. Até o sóbis voltava para marcar. Após a saída destes, mudaram o esquema para 03 zagueiros, ficando o Marcão como 3º zagueiro, transformaram o F9 em um meio-campo, péssimo por sinal, o que ocasionou muitas lesões, jogos atuações inexpressivas, crescentes contestações ao seu futebol e o prematuríssimo fim da carreira dele no Inter após 2006, a partir dali o time NUNCA MAIS SE AJEITOU. O momento ´Gabiru` do Alexxx foi em alguns jogos do Gauchão ! Não nas finais ! Diga-se, de passagem, que o Gabiru foi mais importante do que o Alex na LA2006 e Mundial.

Na EUROCOPA vem acontecendo isto, um meio-campo percorre 10 km por jogo para poder ajudar o time (Ex: Ballack no Chelsea jogava parado como craque = Banco, na Seleção Alemã corre como um operário = Craque do time).
A final da Eurocopa será entre Espanha x Alemanha, e o melhor (?), mais famoso, prestigiado e querido jogador da Espanha nem foi convocado, Raul! E tem gente ainda chorando pelo Iarley...e enaltecendo outros nabas que foram simples coadjuvantes das nossas maiores conquistas !

Receitas pro Roth perder o Grenal:
- Marcar a saída de bola pelo Edinho e não deixá-lo tocar a bola !
- Marcação especial em cima do Alex (se possível com um na sobra).
- Marcação especial no Gil, destacar um 2º lateral direito só para marcar o Gil.
- Deixar o Roger recuado para não ser marcado pelo Edinho.

Receitas pro Tite perder o Grenal:
- Escalar o Alexx no time e dar qualquer função para ele.
- Escalar Edinho para ´grudar` no Roger (10 min = 01 cartão amarelo).
- Escalar o Gil para auxiliar o Alex e deixar o Alexx livre para criar.

Receita para o Tite ganhar o Grenal:
Renan
R Lopes (apoiando só com bola = Edinho na cobertura) - 60 % marcação 40 % apoio., Índio, Sorondo e Marcão (igual ao R Lopes) - 80% marcação / 20 % apoio.
Edinho, Danny, Magrão e Guina
Nilmar (pela esquerda, entre P. Sérgio e Léo) e Adriano (pela direita, em cima do Helder e Rever)

Fechar o meio e lados do campo, ataca pelos lados, principalmente com R Lopes, Adriano e Magrão na direita, Guina e Nilmar pela esquerda.
Toque rápidos de bola, sem balão, pois o time deles é mais ´brucutu` !
Deixar os 03 zagueiros deles mais E. Costa sem ter a quem marcar, vão ter que subir e abrir o meio-campo !
Revezar Edinho e Danny na marcação do Roger.
Liberar Magrão e Guina para flutuar.
Opção para o 2° tempo, Taison e Walter.

Tomara que o Tite esteja sendo obrigado a escalar ´politicamente`, pois se o time anunciado for por convicção dele, estaremos f....se bem que daqui há pouco ele terá que escolher entre escalação ´política` ou o emprego (o que poderá custar ou abreviar a sua carreira).

Tite, você é um homem muito inteligente, excelente treinador, então, veja com seus próprios olhos, ouça seu coração e decida por si mesmo, pois se outros decidirem, sua recompensa (se tiver) será dos outros.

Por último:
Quem é o melhor, Roger - 30 anos ou Alex - 26 anos ?

sexta-feira, junho 27, 2008

É GRENAL

Acabo de voltar do Aeroporto onde fui pegar meu Pai que veio me visitar aqui nos EUA. Já fazia um ano sem ver o "velho", é sempre um grande emoção ir pegar ele lá no Aeroporto. Acho que já fiz isso umas 20 vezes nesses anos todos. Pra ele isso aqui é umas ferias da vida corrida em Porto Alegre onde ele sempre tem algum compromisso com isso ou aquilo. Aqui é um sosego total pra ele, inclusive em termos de barulho e movimento. Nossa casa aqui é numa rua sem barulho, só se ouvi os passarinhos no parque ao lado da casa. Já em POA onde ele mora é uma barulheira danada o dia todo (quando eu morava lá nem era tanto mas com o passar do tempo a coisa piorou). Isso é um paraíso pra ele!

Como sempre quando ele vem do Brasil ele me tras coisas relacionadas ao Inter. Dessa vez to recebendo alem de Revistas do Inter, alguns DVDs (inclusive uns mandado pelo Fred, valeu!) e 4 Camisas Oficiais! Depois tiro fotos e coloco aqui, todas muito bonitas! Acho que a minha coleção agora chega a 20 Camisas!

Vendo todas essas revistas , posters, jornais,e belas camisas e lembranças que ele tras a gente até se sente um pouco culpado por ter ultimamente criticado o Inter tanto. Dá até pra duvidar por 1 segundo se as criticas são merecidas ou estamos exagerando...talvez a verdade fique entre essas duas opções. O Importante é que somos todos Colorados e apenas queremos ver o time ganhar ou no minimo jogar bem!

Com isso o assunto se torna GRENAL. Uma boa noticia para Colorados nos EUA, o Grenal vai passar AO VIVO no PFC Internacional, então não vou precisar assistir pela Internet! Ao menos eles foram sensatos em escolher o classico, so faltava terem escolhido outro jogo qualquer. Mas estarei assistindo ao vivo com me Pai aqui no Domingo.

Então pergunto. O que que o Inter tem que fazer pra ganhar o Grenal? Deixe sua opinião e peço que deixam a tecla do Cuxxto Alexx pra lá, vamos falar em estrategia e não simplesmente repetir as mesmas reclamaçoes de sempre. Falou!?

quinta-feira, junho 26, 2008

Zumba Lumba Kutra Fu

Já lhes contei que a Juliana Paes me convidou pra transar tempos atrás? Não? Então tá... foi mais ou menos assim que a coisa sucedeu:

Manhã de um sábado qualquer. Meu despertador foi o de sempre: Anselmo, o velho sabiá de peito laranja que toda manhã canta no parapeito da minha janela. Ele anunciava os primeiros raios de sol com seus tradicionais acordes: "Réco-réco!" "Réco-réco!" Acordei mas permaneci alguns minutos deitado, apenas olhando para o ventilador que pendia do teto do quarto. Fiquei sorvendo aqueles momentos com certo grau de ansiedade, afinal tinha combinado de comer a Juliana Paes. Combinei com a própria, ou melhor, ela combinou comigo. Então eu não poderia faltar, muito menos falhar. Certamente não faria uma maldade desse tipo com ela. Tudo bem... ela não tem peitões fartos nem é linda de morrer, mas quem liga? É a Juliana Paes, pô!

Pois bem, hora de levantar e encarar o frio pós-cama; Afastei o amontoado de cobertores com muito cuidado pra não acordar a mulher. Pus minhas roupas com perícia felina, dei um beijo na testa das crianças, que dormiam "chumbadas," e saí pé por pé. Rosqueei cauteloso a chave na porta de casa, sempre com o ouvido atento aos ruídos que vinham do quarto. Porta aberta, o mundo é meu: fui pro "sacrifício".

Engraçada a atmosfera na rua. O céu tomado de cinza sombrio dava contornos apocalípticos ao cenário, instalando uma tensão confusa ao meu redor. Imprecisamente, eu parecia vagar numa tela de Salvador Dalí. O cachorro são bernardo do do vizinho ignorava totalmente a moldura e lançava seus latidos guturais pra mim: "Cruyff!!!" Cruyff!!!", babava-se em raiva o cão. Incrível a casa não ter grades nem portões ou muros e mesmo assim o enorme cachorrão não saltar no meu pescoço. Mais incrível foi constatar que, ao esfregar os olhos, o cão parecia uma mistura ridícula de pinscher com cocker. Prossegui minha caminhada enquanto o cão ficou pra trás, no seu obcecado "Cruyff!!!" "Cruyff!!!". Estranho... olhando de um ângulo mais afastado o cão parecia um tigre verde...

Subi no ônibus que me levaria até os braços da Juliana Paes. Eu estava muito calmo para alguém que em instantes estaria comendo a deliciosa atriz global. O ônibus estava razoavelmente vazio e sentei-me próximo à porta de saída. Acomodei meu corpo magro ao lado da grande janela e ajeitei sobre meu colo uma caixinha embrulhada pra presente e um cacho de banana caturra. Pertences repentinos aqueles, visto que não lembrava que os carregava até então .

No banco da frente logo sentou-se um casal. Ele e ela devidamente encasacados e protegidos do frio em seus agasalhos de tons pastéis. Eles ficaram se esfregando e trocando sussurros de intimidades. Eu estava absorto com a paisagem das ruas, que passava de modo frenético pelo lado de fora do ônibus, até que um detalhe me chamou a atenção: embora parecessem brasileiros, aqueles dois eram estrangeiros. Eles falavam baixo, mas mesmo assim tentei decifrar o que diziam, porém não conseguia identificar a origem. Era um idioma muito estranho, talvez um dialeto ou até mesmo um código secreto daqueles namorados em particular. Sei lá, quem entende na plenitude as profundezas do amor?

Eu estava entretido nessa tarefa quando sentou-se ao meu lado uma mulher negra maravilhosamente linda e voluptuosa deveras. Fiquei todo animado com a colega de banco, pois tendo o ônibus inteiro à disposição a belezura escolheu sentar-se justamente ao meu lado. Privilegiado pela desconhecida beldade negra, eu já esfregava as mãos mentalmente. Seria questão de tempo - e de palavras friamente estudadas - até o bote certeiro que certamente colocaria a moça na minha cama num futuro próximo. Naquele dia, no entanto, não daria pra ser, pois como eu disse, já havia firmado compromisso com a Juliana Paes...

A mulher chegou sem pedir licença, mas mesmo assim lhe cedi espaço prontamente. Eu olhava pra frente, mas com o canto do olho percebia que a maravilhosa mulher me fitava descaradamente. Maravilha! Bem desenvolta, bem sem-vergonha, bem como eu gosto. Tomei coragem e virei-me pra encará-la. Ela exibia um sorrisão belíssimo e denunciava que estava mesmo afim. Acenei com a cabeça e soltei um poderoso "Oi, tudo bem?" Ela apenas manteve o sorriso e, empolgado, perguntei-lhe seu nome, mais ou menos assim: "Posso saber teu nome?"

Desta feita, ela franziu a testa, fez cara de incompreensão e continuou sem nada dizer. Eu já comecei a achar que ela estava tirando um sarro da minha cara e lancei-lhe a terceira pergunta: "Qual o problema?" Ela finalmente abriu o bocão carnudo e lascou um enigmático "Zumba Lumba kutra fu?" Bem, foi a minha vez de fazer cara de incompreensão... "Putz, ela tá falando a mesma língua do casal do banco da frente!" Pensei. "Será que entrei no ônibus errado? Será que este não vai pra zona sul? Todo mundo sabe que a Juliana Paes mora na zona sul!"

Levantei rápida e assustadamente, esquecendo-me da bela negra e fui em direção ao cobrador. Precisava decifrar o destino daquele coletivo urbano; Precisava saber pra onde estava indo. O cobrador estava sentado sobre umas palhas, no meio do ônibus, e tocava animadamente um bongô. Cheguei arfando até ele e perguntei-lhe para onde afinal seguia aquele maldito ônibus. Ele cessou a bateção no pequeno instrumento e de alguns ramos da palha em que estava sentado fez um cigarro de palheiro, riscou um palito de fósforo no chão de metal do ônibus, acendeu o cigarro e deu uma profunda tragada, soltando com calma baiana a fumaça dos pulmões. Olhou pra mim com cara de deboche e fulminou: "Zumba lumba kutra fu?"

De repente todos os passageiros começaram a falar alto, nesse mesmo idioma indecifrável: "Zumba lumba kutra fu" "Zerengo dengo" "Bosisca ma portinaia du mazamba" "Zêga simonha" "Seferus bum bimbala" "Surunga mastu pistoleia" "Kunga taga tonk truim"... Não era possível! Aquelas frases todas em gritaria foram se juntando, juntando, até que todos os outros sons do planeta se tornassem inaudíveis aos meus ouvidos. Tudo que eu queria era saltar daquele ônibus enlouquecedor e buscar um meio seguro de chegar até a minha Juliana Paes. Abri a janela e com o veículo em andamento saltei do seu terceiro andar. Sim, era um ônibus de três andares. Fechei os olhos durante a queda, pois um frio na coluna, uma vertigem tão indecifrável quanto o idioma falado dentro do ônibus maluco, tomou conta do meu corpo esquálido.

Minha queda é interrompida, de repente, por uma espécie de solavanco elástico. Eu caí sobre os fios de alta-tensão da avenida, os quais amortecerem minha queda e salvaram a minha vida. Inexplicavelmente não levei choque algum. Desci até o solo de maneira mais inexplicável ainda e segui a pé até algum ponto que me permitisse partir pra zona sul. O tempo passava e a Juliana Paes certamente não me esperaria o dia todo.

Eu parecia alienado aos assuntos do mundo, pois não reconhecia nem a geografia da minha própia cidade e tampouco sabia o que estava ocorrendo. Fiquei estarrecido quando vi que Porto Alegre estava em meio a um terrível conflito militar, com bunker´s posicionados em cada esquina, caças fazendo vôos rasantes e bombas e tiros vindos de todas as direções. Era eu em meio ao fogo cruzado. De repente, estava eu no centro da Rua da Praia, que virara um inferno, o verdadeiro caos descrito no Apocalipse. Onde me esconder, meu Deus? As tropas passam de um lado a outro, prédios em chamas, pedaços de corpos caindo ao meu lado. Mendigos recolhendo esses pedaços e assando-os ali mesmo, em seus refúgios debaixo dos bueiros imundos.

Eu não poderia estar em pior situação. Justo eu, que só queria comer inocentemente a Juliana Paes. Não podia ficar parado ali e me pus a correr, ou melhor, tentar correr, pois alguma força maior impedia que eu corresse de verdade. No máximo, eu trotava de modo arrastado e tão lento quanto uma tartaruga manca. Aquilo me angustiava e me dava vontade de gritar, mas nem isso eu conseguia. Era como se eu não tivesse pernas nem garganta, apenas o impulso desesperado da fuga a qualquer preço.

Parece que meu esforço atraiu a atenção dos combatentes e esses começaram a marchar em minha direção. E agora? Preciso fugir!!! Preciso fugir!!! Essas pessoas tomavam conta do centro da capital e vestiam todas a camiseta do Grêmio. Absolutamente todas as pessoas que surgiam de todos os cantos estavam trajados de Grêmio. Cadê os soldados? Cadê os soldados? Eu perguntava a mim mesmo. Que nada! Porto Alegre agora não estava mais sitiada por tanques nem canhões de guerra. A cidade vivia agora outra espécie de inferno, uma dinastia comandada por gremistas tiranos e sangüinários. O cenário mudara, mas a minha desgraça perdurava.

Aqueles gremistas começaram a me perseguir e de início tentei me refugiar em algum buraco de bueiro, mas os cruéis mendigos me expulsaram e praticamente me atiraram nas garras tricolores. Puta que pariu, não teve jeito... Ainda tentei resistir, atirando-lhes as bananas daquele cacho que eu carregava no ônibus, mas a tentativa foi inútil. Aqueles gremistas me alcançaram e arrancaram o meu pênis, levando-o embora como prêmio, como se fosse mais um grande troféu conquistado pelo imortal. E eu fiquei lá, no meio do centro de Porto Alegre, completamente nu, mas incrivelmente sem sentir frio nem dor pela mutilação recém imposta.

O que eu senti de verdade foi uma vergonha indescritível, pois lá estava eu peladão no meio da multidão que passava. E pra agravar a situação estava sem pênis! Que sensação horrível aquela, pior que nem nos bueiros podia me esconder. O que me dava forças pra seguir adiante era a imagem da Juliana Paes na minha cabeça. E peladão prossegui pela Borges de Medeiros até que do nada surge meu amigo Estéban num fusca prateado impecável e com três gatas loiras norte-americanas gostosíssimas em trajes curtíssimos. Chegou buzinando forte em seu fusquinha bacana com as loiras dependuras nas janelas do carrinho, acenando pra mim. Estéban estava de óculos escuros e fez um sinal discreto para que eu embarcasse em sua "caranga".

Ninguém no carro dizia uma palavra. Uma das loiras, compadecida da minha nudez forçada, ofereceu-me algo pra vestir, algo que ela pegou no porta-luvas do carro. Era um micro biquini rosa. Por alguma razão, preferi ficar solenemente nu...

Finalmente, a casa da saborosa Juliana Paes apontava no horizonte. Ela morava no último andar do Empire State Buiding e sua residência fazia esquina com a torre Eiffel. Estéban estacionou o carro em frente ao prédio da celebridade global e eu desci do seu fuscão turbinado. Eu mal podia crer que havia chegado ao meu destino e com algum esforço consegui conter a lágrima que teimava em querer sair dos meu olhos úmidos. Agradeci com emoção ao Estéban e esse apenas arrancou o carro e gritou da janela: "Zumba Lumba Kutra Fu!!!" As garotas fizeram coro e me mandaram beijinhos voadores, depedindo-se e sumindo junto com o fuscão do Estebán na paisagem rural da zona sul.

Enfim, era chegada a minha redenção. Entrei no enorme prédio e apertei o botão do andar de número 872. A Juliana Paes já me esperava deitadinha em seu sofá, envolta num vestidão vermelho digno de uma deusa holliwoodiana. Seu vestido estava entreaberto e era possível visualizar por dentro sua lingerie negra de corpo inteiro a ornamentar suas curvas generosas. deixei sobre a mesa da sala o presentinho que levei especialmente pra ela. Disse-lhe meio sem jeito que dentro daquela caixinha haviam algumas ampolas de silicone, para embelezar-lhe e aumentar-lhe os seios.

Ela apenas sorriu-me com aquela sua boca bem brasileira e me ordenou dengosa que me aproximasse. Tudo isso sem dizer uma palavra sequer, apenas gestos. Cheguei perto dela e aquele corpão cor de jambo parecia arder por mim. Ela não hesitou e já foi saltando com vontade na minha boca, atiçando meus sentidos e libertando minha alma. Eu era o brinquedinho da Juliana Paes e nem me importava naquela altura com a ausência do meu pênis, pois aquilo era uma experiência superior. Aquelas sensações eram etéreas e sem dúvida roçavam as aspirações divinas.

Porém, alguma coisa começava a degringolar em meio a toda essa magia. Eu não mais conseguia abraçar o corpo da minha musa naquele encaixe perfeito de outrora. Quando dei por mim, as feições da Juliana Paes se transfiguraram e agora me via atracado à tenebrosa Mulher Melancia, sem photoshop nem nada. Talvez meu pênis fosse útil agora, mas pensando bem, meu pau seria insuficiente para dar cabo daquele monte grotesco de carne.

Mas aquele cenário de horror ficaria ainda pior quando a Mulher Melancia evaporou-se e me vi trocando beijos furiosos com a centenária Dercy Gonçalves. Aquilo foi a gota d`água. Foi quando tudo começou a ser tragado por uma espiral violenta que saía das entranhas da "véia" e eu tentava argumentar, mas em vão, pois agora eu não entendia nem meus pensamentos mais. Eu fazia um esforço pra pensar em algo e tudo que eu conseguia extrair do meu cérebro eram repetidos "Zumba Lumba Kutra Fu" "Zumba Lumba Kutra Fu" "Zuma Lumba Kutra Fu"... Tudo que eu consegui de diferente foi um grito de desespero: GAAAAAAAHHHHHHHHH...

...HHHHHHHH!!!!! Manhã de sábado um sábado qualquer. Meu despertador foi um terrível pesadelo com a Dercy Gonçalves. A minha mulher ao lado, agora acordada pelo meu grito de pavor, parece incrédula com minha imagem e com o suor que escorre do meu corpo. Agora, refeito do susto, viro-me pra ela e lhe falo: "Tu nem imagina o pesadelo que acabo de ter..." Ela olha-me no fundo dos meus olhos, segura suavemente meu queixo com uma das maõs, inclina suavemente seu rosto e solta um incompreensível: "Zumba Lumba Kutra Fu?"
-------------------------------------------------------------------------

Diferentemente de Hobsbawm, que apregoa estarmos vicenciando a era dos extremos, eu afirmo que, na verdade, vivenciamos, isso sim, a era da incompreensão. Ou melhor, das incompreensões. Não somos mais capazes de compreender nosso mundo, nossos objetivos, tampouco compreendemos as dores do nosso semelhante. Tudo é incompreensivelmente descartável. Os sentimentos são incompreensivelmente perecíveis. Incompreensivelmente o homem busca água em Marte e sequer cuida da água da Terra. Incompreensivelmente a Amazônia dá lugar a pastagens. Incompreensivelmente a economia do Brasil vai bem mas sua educação é uma desgraça. Assim como incompreensível é saber que o penúltimo Campeão do Mundo vai para o próximo greNAL com status de zebra absoluta contra um time não mais que modesto.

Eis o Colorado, um clube incompreensivelmente mal administrado, que tem um lunático na presidência, um vegetal na vice-presidência de futebol e o maior presidente de sua história incompreensivelmente de mero assessor desse vegetal. Pensando bem, não é tão incompreensível assim o fato de estarmos na rabeira do campeonato... Agora, querem mesmo saber o que é mais incompreensível? É, mesmo com essa onda de incompreensões que nos assola, eu continuar acreditando no homem, no Brasil e na possibilidade de ganharmos esse greNAL em pleno chiqueirão.


Vice-versa...

Conheci o Gigante da Padre Cacique aos 15 anos de idade. Na época eu ainda morava no interior, filho de pais separados, vivia aquela função de morar com a mãe (em Pelotas) e passar as férias com pai (em POA).

Pois foi durante as férias escolares de inverno, no ano de 1997, numa clássica noite gelada porto-alegrense, dia 02 de julho (quarta feira), que me foi apresentado o Beira-Rio, justamente numa noite de clássico greNAL.

Meu pai, depois de muito insistência, aceitou levar as crias coloradas dele ao jogo. Zeloso, preocupado com o fato de ser final de campeonato, clássico, casa cheia e ainda com duas crianças para cuidar (eu e meu irmão Nathan, na época com 9 anos), fomos para a tranquilidade das numeradas. Daquele dia guardo duas lembranças especiais.

A primeira delas volta à tona sempre que vejo surgir o rubro da massa cantando em uníssono o seu amor ao clube. O sentimento de estar entre iguais, de sentir a mesma emoção, de almejar o mesmo objetivo... enfim, o arrepio que dá cada vez que volto para casa, para o Gigante da Beira-Rio.

A segunda lembrança custa um cachorro-quente, do qual eu até hoje nem sei o gosto. Lembro que chegamos cedo ao jogo e passei mais de uma hora embasbacado com o estádio, olhava para tudo, perguntava sobre tudo, placar, câmeras, torcidas... para um guri do interior, que só conhecia a Baixada (estádio do Brasil de Pelotas), estar no Beira-Rio era uma experiência e tanto. Quando percebi já havia começado o jogo. Confesso que pouco me lembro, apenas recordo que quando terminou o primeiro tempo eu estava com fome e o placar ainda era 0 x 0 . Aproveitando o intervalo de jogo, fui ao bar comprar algo comestível, mas como a casa estava cheia e a maioria do pessoal havia chegado cedo ao estádio (coisa comum naquela época), a fome da massa era grande, assim como a fila do bar. Quando finalmente consegui algo para comer notei que iniciara o segundo tempo. Recordo que caminhava em direção ao meu lugar, com o bendito do cachorro-quente em mãos, quando da saída do portão que liga os bares às numeradas vi que uma bola cruzou o meio de campo, corri para a porta e olhei para esquerda, Fabiano Cachaça recebeu o lançamento de Enciso (?), invadiu a área e tocou alta no canto do Danrlei (aqui). Gol do Inter... o cachorro-quente nunca mais foi mais visto... o Colorado se sagrava Campeão Gaúcho de 1997 e eu começara minha trajetória de clássicos com o pé-direito, mas com a barriga vazia.

Minha senda de vitórias em clássicos não teve continuidade. Aquela foi a única vez que vi ao vivo o Inter vencer um greNAL.

É bem verdade que de lá pra cá poucas vezes estive de corpo presente nos clássicos... lembro de um que fui sozinho para a extinta coréia, e, em meio ao fumaçê e ao pessoal "mó gente fina", vi o gol do Granja, empatando o clássico que terminou 1x1. Vi também ao vivo, bem sentado na superior, o Tristhian meter uma bucha na gente, da quina da grande área... vi ainda uma derrota no Chiqueiro por 2x1... a minha derrota mais comemorada, pois nos classificou para a próxima fase da Sul-Americana, com direito a parabéns para você irônico e goleirinho de papel deles saindo chorando nos microfones da gaúcha... e por último vi Pedro Júnior e seu famoso gol de nuca acabar com nosso favoritismo e nos colocar no caminho do Mundial em 2006.


A última vez que chegamos no clássico não sendo considerados favoritos foi em 2003. Naquela oportunidade vencemos por 2x1, com gols de Vinícius e Daniel Carvalho. No próximo domingo, às 18:10h, após 05 anos e 16 confrontos (7V; 5E; 4D), isso se repetirá. Eles vem embalados e badalados, são considerados pela maior parte da imprensa, sem vergonha nenhuma, os favoritos.

Entretanto, eu nunca temi um greNAL, e não vai ser "depois de velho" que começarei a ter medo de enfrentá-los. É clichê, mas é verdade, o clássico tem o condão de arrumar a casa (como ocorreu em 2006 conosco), ou colocar tudo por terra de vez (como quando ajudamos a rebaixá-los em 2004).

Logo, não pensem que os de pijama estão tranquilos... eles sabem muito bem que a derrota em casa abalará as estruturas do time, a confiança de jogadores e torcida... eles lembram, embora prefiram esquecer, a campanha de cavalo paraguaio legítima que seu treinador Sexy Hoth faz por onde passa (vaxxxco do ano passado!!)... e sabem da velha máxima proferida pelo amigo do Chiquinho, que diz que...

"greNal é greNAL, e vice-versa!!"

_____

ps.1: Meu time pro clássico, Renan; R. Lopes, Índio, Sorondo e Ramóm; Danny, Guiña, Magrão e Taison; Nilmar e Adriano... Alex e Liquinho pro segundo tempo.

ps.2: Acho que o momento é de mobilização para o clássico, mas, se for verdade o que o Tite falou ontem, e ao que tudo indica é, acho lamentável que nossa Direção tenha deixado a coisa chegar à esse ponto e fico impressionado como ainda há em meio a torcida uma boa parcela que defenda esses dirigentes, que receberam um clube CAMPEÃO DO MUNDO, pronto para se firmar entre os grandes, e que vem acumulando decepções.

ps.3: E fica aqui meu agradecimento especial ao imbecil da rede globo que marcou o greNAL para às 18:10h, em pleno inverno gaúcho... deve ser o mesmo infeliz que passou ontem, para a cidade de São Paulo, Bragantino x MSI, enquanto acontecia a final da L.A., inclusive envolvendo um clube brasileiro... falando nisso, baixa a crista Renato Gazela... parabéns LDU!!!

ps.4: Tite, Gil NÃO!!!




POR ENQUANTO ESPERAMOS

André Lima que conveso não lembro bem, acertou com o San Pablo e não vem para o Inter. Mais uma vez o San Pablo se mete em negocio dos outros pra levar um jogador. Não que eu culpe eles, tão na deles. Mas esse já não vem mais. Mas tambem não acho que ele era a "grande" contratação prometida.

Eller, tambem, foi mencionado mas vai para o Santos. Agora a conversa que Bolivar vai acabar indo para o Cruzeiro.

E a gente esperando.

Dizem que Rosinei será o novo reforço. Jogador da MSI em 2005. Bom espero que não seja mais um "Gil" da vida. Mas até agora nem um nome me diz "Solução". A solução MESMO é os jogadores começarem a treinar DE VERDADE, 2 vezes ao dia em vez de ir treinar as 15:30 quase todos os dias. É TEMPO PERDIDO!!! De manhã podiam estar treinando a defsa nas bola paradas que sofremos muito. Ou quem sabe uma jogadoas ensaiadas no ataque. Tava vendo uns lances do Grenal do Seculo onde numa falta belissimamente ensaida o Inter (atraves de Nilson) quase marcou. No video Abel diz "esse lance mostra um pouco o trabalho de tecnico". Po isso faz 20 anos! Porque nunca mais vimos jogadas assim?

Me desculpem mas to perdendo a paciencia com o que ta acontecendo no Beira Rio. É uma vergonha o nosso clube estar tão mal. E não falo de hoje, falo desde Janeiro de 2007! Repito o Brasileirão de 2007 já era aviso, estavamos a um passo da ZONA e só escapamos nas ultimas rodadas quando vencemos 3 seguidas. Será que eles não aprenderam a lição?

Bom já falei e vou falar de novo. A solução não é Rosinei ou qualquer outro jogador singular, a SOLUÇÃO É TRABALHO!! Parem de relaxar e vão treinar!!!

PS: E agora há rumores que Nilmar vai para a Espanha apos o Grenal. FALA SERIO!!!! ME TIRA DO SERIO!!! Não que Nilmar esteja jogando alguma coisa, mas pra continuamente vender sem contratar é demais!! Será possivel isso?

Esses rumores todos acontecem por uma razão...O DESAPARECIMENTO DO PIFFERO! Quando foi a ultima vez que ele falou com a toircida? Explicou a situação? Paraece até que se escondm lá no Beira Rio. Se o Nilmar sair apos o Grenal aí sim os cara tão nos fazendo de palhaços. Espero que seja mentira!

Agora qual time idiota compraria o Bichado Nilmar que não faz nem 15 partidas nos ultimos 2 anos? No minimo a historia dele ser vendido pra Espanhã é muito estranho.

PSS:

Pra quem tem problema em carregar o blog de vez em quando sugiro que use Firefox ou IE 7.0 pra cima . IE 6.0 é o culpado quando ha problemas para carregar o blog. Façam o download do Firefox FREE, não custa nada.

quarta-feira, junho 25, 2008

TITE, IRONICO QUANTO AO PREPARO FISICO

Quem escutou o Tite na Radio ao Meio Dia sabe o que ele falou quando foi perguntado sobre a Preparaçao fisica do Inter:

"Olha...(Muda de assunto)...(1 minuto depois)...troquei de assunto pra não ter que falar sobre a preparação fisica"

O que isso significa? Depois do que o Malafa escreveu no topico anterior, fica evidente que tá um Carnaval lá no Beira Rio a muito tempo quanto a preparação fisica e outras coisas.

Por exemplo treino só as 15:30 é um absurdo! Isso diz aos jogadores "Po não tenho que trabalha até as 3 e meia da tarde...posso sair todas as noites e dormir até o meio dia". É assim que agente quer nossos atletas? Dormindo até o meio dia?

Po, faz os treinos de manha se vai ser so uma vez por dia! Ao menos assim os caras nao podem abusar do corpo todas as noites! Não que eles nao possam se divertir e sair, mas a direção tem que saber que estamos falando de Homens com 18, 19, 20 e poucos anos cheio da grana e com muito tempos nas mãos!! Tu acha que eles vão ficar em casa brincando de Playstation!?

O comentario do Malafa abaixo é assustador:

"Estava agora de manhã conversando com um amigo e ele me confidenciou que ficou sabendo de fonte segura que a comissão técnica tomou um susto quando chegou. Segundo suas palavras “nunca tinha visto tanto jogador com marra de craque num time como lá no Gigante. Ninguém treinava, uma bagunça”.

Isso explica muita coisa! Porque será que Fernando Carvalho voltou? Por saudades? Claro que não. FC não queria voltar. Tava curtindo status de heroi eterno. Mas ele viu que o carro ta andando sem motorista e teve que se meter!

Pior é que ainda não temos preparador fisico. Prece que o cara tá em Londres fazendo curso e SÓ DEPOIS é que ele virá ao Inter. Até parece que temos tempo a perder.

Pessoal, passamos o ano de 2007 tentando entender os problemas, achando que tudo estaria resolvido em 1 ou 2 semanas, mas isso nunca chegou. E continuamos na pior. ESQUECEM DUBAI...AMISTOSO NÃO CONTA!!! O Gaúchão é uma competição contra times de QUINTA CATEGORIA!! Já falo isso a tempo aqui...então o Gaúchão não é parametro. Na Copa DO Brasil assim que jogamos com um time de porte medio, fomos eliminados e agora estamos tomando porrado de tudo que é Timeco. Eu nem faço mais a enquete pos jogo. Já deu pra ver como a torcida balança de jogo em jogo. Quando ganhamos muitos pensam que "agora vai", mas a verdade é que as vitorias são ocasionais porque de tanto tentar tem que vencer eventualmente não é.

O Brasileirão de 2007 já disse tudo! 38 Partidas e só vencemos 3 seguidas DUAS vezes, sendo a ultima no fim, no desespero. 2008 tá sendo exatamente a mesma droga.

Agora só resta a esperança do TITE limpara a casa e do Fernando Carvalho reforçar o time. Se não continuaremos nessa pessima fase por muito tempo.


Tempo ao tempo

Tenho visto os posts do pessoal aqui e os diversos comentários irados que acompanham – e com razão. De qualquer maneira, resolvi vir a público e pedir paciência com o nosso treinador, que está com a difícil tarefa de botar ordem na suruba depois da saída do Abel.

Estava agora de manhã conversando com um amigo e ele me confidenciou que ficou sabendo de fonte segura que a comissão técnica tomou um susto quando chegou. Segundo suas palavras “nunca tinha visto tanto jogador com marra de craque num time como lá no Gigante. Ninguém treinava, uma bagunça”.

Pópará, que a panelinha do Abel existia e que tava todo mundo acomodado, a gente já sabia. Mas eu não tinha idéia que a situação era tão feia. Dito isto, fico feliz que alguns jogadores saíram e mais feliz que o rei da patota tenha ido pro (e se) Catar.

Tite, pelo que vejo e leio tu és um cara sério e vai botar essa cambada pra trabalhar. Tens um voto de confiança meu e ao menos até o final do primeiro turno da competição antes que eu possa realmente avaliar teu trabalho.



Passa a régua e fecha a conta. Vamos começar tudo de novo. Não esquenta com o xxx-Nal Tite (mas vai pra cima deles!), eu sei que ainda vai demorar um pouco pra organizar essa terra de ninguém que Abel e Píffero transformaram o Celeiro de Ases. Mas The King está nessa contigo e com o andar da carroça as melancias se ajeitam e as podres ficam pelo caminho.

É lamentável que estejamos passando por isso, mas pior era ficar do jeito que estava. Não é porque a CBF brinca com a gente e marca o clássico pras 18h10 do inverno gaúcho pra agradar a Net e o Sportv que eu vou deixar de acreditar que ainda tem gente séria que sabe que pra ser um vencedor no futebol é preciso trabalhar sério. Ninguém mexe com a paixão de uma torcida fantástica como a nossa e sai ileso. Acabou a palhaçada.

(foto: Alexandre Lops, fã da Elba Ramalho =o)

Dois zagueiros – um destino

Salomon havia sido eleito o craque do campeonato uruguaio, atuando pelo pequeno Defensor. Em março de 1978 o Internacional decidiu contratá-lo para preencher a vaga ainda aberta com a saída de Figueroa. Salomon estreou em 07.05.1978, no empate em 1x1 com o Coritiba, no Couto Pereira, pelo campeonato brasileiro. O zagueiro começou como titular, mas chegou a perder a titularidade durante algumas partidas, voltando ao time apenas nos últimos jogos.Salomon não adaptava-se ao futebol brasileiro. No Uruguai, ele era o zagueiro da sobra. No Internacional, ele tinha de sair para o combate, e sua lentidão o tornava um obstáculo fácil para atacantes rápidos. No Uruguai, seu nome continuava em alta, e Dino Sani, técnico do Peñarol, pediu sua contratação. O presidente do Peñarol ofereceu 120 mil dólares ao Colorado, que considerou a quantia baixa. Mesmo assim, o dirigente uruguaio prometeu conseguir mais dinheiro, e inscreveu Salomon no campeonato uruguaio, antes que se encerrasse o prazo. Estava tudo quase certo.

07.09.1978 - Gre-Nal pelo campeonato gaúcho, que não valia mais nada, os dois clubes já estavam classificados para as semifinais do turno e jogariam com reservas. A direção colorada, ainda indecisa sobre a qualidade de Salomon, pediu a Cláudio Duarte que escalasse o zagueiro. Se jogasse mal, seria vendido, caso contrário, ficaria no time. Logo aos 8’ de jogo, uma bola foi lançada na direção da área colorada. Salomon foi em sua direção, e o atacante gremista Everaldo também.Percebendo a dividida inevitável, Salomon preparou-se para chutar a bola com toda força. Mas Everaldo entrou na bola com o corpo de lado e o pé levantado, solando o lance. Salomon chutou com força, e o impacto do choque fez com que ele voasse por cima do gremista. Salomon caiu no chão berrado de dor, e os jogadores colorados correram para cima de Everaldo. Fechou o tempo no Gre-Nal. Salomon, caído no gramado, se retorcia de dor, com fratura exposta da tíbia e perônio. Salomon foi substituído por Larry. Saiu de campo não mais para voltar a Montevidéu, como era seu sonho, mas para ir para a mesa de cirurgia de um hospital porto-alegrense. O Internacional venceu por 1x0, e Salomon, que ficaria um longo tempo em recuperação, jamais jogaria pelo Colorado. Pelo Internacional, Salomon jogou 17 partidas (12 vitórias, 4 empates, 1 derrota), marcou 2 gols e foi substituído duas vezes.
Pinga estreou no Internacional em 1984. Foi campeão do Torneio Heleno Nunes e do campeonato gaúcho, naquele ano. Com a camisa da Seleção Brasileira, foi medalha de prata nas Olimpíadas. Presença constante nas convocações da Canarinho, formou com Taffarel, Luís Carlos Winck e Aloísio, uma defesa de grande qualidade, mas que não acumulou títulos porque o resto do time não estava à altura.

O drama de Pinga começou na partida que decidiu o campeonato gaúcho de 1987. Naquele ano, o campeonato foi decidido em um hexagonal com Fórmula Fraga. O Grêmio venceu o 1º turno. Mas no 2º turno o Colorado passou a bater em todo mundo - Juventude, Caxias, Brasil – e abriu 2 pontos de vantagem sobre o Grêmio. Mas na penúltima rodada o Internacional empatou em 0x0 com o Esportivo, no Beira-Rio, enquanto o Grêmio vencia o Brasil, em Pelotas, por 3x2. A vantagem caia para 1 ponto. O Gre-Nal de 19.07.1987, no Olímpico, passou a valer muito. Se o Colorado vencesse ou empatasse, ganharia o 2º turno e provocaria a realização de 2 Gre-Nais decisivos. Se o Grêmio vencesse, ganharia o título direto.

E a partida não começa bem. Logo a 1’ Lima faz 1x0 para o rival. A partida segue parelha, até que aos 16’ ocorre um lance de pura covardia. Pinga entra em uma bola dividida com o ponteiro gremista Fernando, que ergue a perna e acerta o joelho direito do colorado com a sola, rompendo todos os ligamentos do zagueiro. Pinga berra de dor e seus companheiros correm para acudi-lo, mas o juiz Carlos Martins não marca falta e manda o jogo seguir, sem que os colorados percebam. Enfrentando apenas a resistência do goleiro Taffarel, Lima amplia: 2x0.

Pinga sai de ambulância, direto para a mesa de operações. Todos percebem a gravidade da lesão (muito pior que uma fratura), e o time do Internacional fica aturdido. Aproveitando-se da situação, Jorge Veras faz 3x0 aos 18’. A torcida gremista já imaginava uma grande goleada, mas na saída de bola o Internacional lança-se ao ataque e só é parado com pênalti. Luís Carlos Winck cobra e desconta: 3x1. Os colorados querem vingança, e Norberto chuta Fernando com violência, junto à bandeirinha de escanteio. O gremista cai por cima do mastro e o quebra, mas Carlos Martins, sabendo que errou, não tem coragem de sequer advertir o volante colorado.

A partir deste gol o Internacional volta a concentrar-se na partida. Tendo uma tarefa quase impossível, o Colorado lança-se em busca do empate. A pressão dá resultado quando o ponteiro-direito Paulinho Gaúcho diminui novamente, aos 18’ do 2º tempo. A torcida gremista, em todo estado, encolhe-se. A pressão continua. Paulinho quase marca, novamente. A seguir, outro gol perdido. No final, o empate salvador não vem.

Pinga voltaria aos gramados somente em 1991. Emprestado para clubes menores, voltou em 1992, para ser campeão gaúcho e ter participação decisiva no título da Copa do Brasil, quando sofreu o pênalti inteligentemente marcado pelo árbitro José Aparecido de Oliveira. Célio Silva cobrou e marcou o gol do título, aos 42’ do 2º tempo. Em 1993 saiu novamente do Beira-Rio, rodando por vários clubes até 1999.

terça-feira, junho 24, 2008

ELLER ACERTA COM O SANTOS

LAMENTAVEL!!!

Eller acaba de acertar com o Santos.

Qual é o plano direção!!!??? Cadê as contratações??? Eller era pra ser barbada!

SEMtenário

Reproduzo aqui o ritmo "contagiante" que vêm embalando os colorados. O "Melô do SEMtenário". De autoria de Vitório Piffero, coestrelando Luigi e com "arranjos" de Abel Braga, o tema é simples, porém enfadonho. Numa televisão, rádio ou estádio próximo a você, você torcedor colorado ainda ouvirá esses versos...

Clube de 100 anos...

Time SEMtenário...

SEM perspectivas

SEM zaga

SEM laterais

SEM títulos

SEM meias

SEM vitórias em grenais

SEM comando de vestiário

SEM visão no que refere a renovação, qualificação e reposição de peças do plantel

SEM esquema de jogo

SEM comando

SEM vitórias fora de casa

SEM capacidade de atingir a marca dos 100 mil sócios

SEM a capacidade de fazer o torcedor colorado sonhar e acreditar com dias melhores A CURTO PRAZO.

Me desculpem o pessimismo. Alguns até podem argumentar que passei para o lado "negro da força", que virei nada mais do que um corneta.

A verdade é que não vou ficar em cima do muro. Não vejo perspectivas de melhoras, muito menos de almejar nada mais nesse ano que uma sul-americana. Se vier libertadores, dadas as circunstâncias, já será algo excepcional.

É quase Julho e não temos padrão tático. Não conseguimos repetir uma escalação; em 7 rodadas, foram 7 escalações diferentes em ao menos 3 posições. A zaga, extremamente frágil, falha com uma regularidade impressionante. O time não inspira nenhuma confiança, e padece de regularidade em todos os setores.

Até a preparação física tem deixado muito a desejar, em um ano de acúmulo de jogadores lesionados e de segundos tempos onde o time simplesmente parece se arrastar em campo.

Bom, argumentos não falta para constatar que a tendência é de terminar o ano sem mais nada a comemorar. Isso não vai me impedir de acompanhar, torcer e dar meu apoio incondicional ao clube. Só acho que não vale a pena se frustrar criando expectativas não condizentes com o que se alinha para nosso amado clube este ano.

Onde quero chegar? Que este seja o último ano de aprendizado pós mundial. A receita, todos conhecem (será?!)... Tá na hora de voltar a investir nas categorias de base, contratar com convicção e com qualidade (chega do papo "estamos atentos ao mercado", se só o que trazem são nabas quando os resultados não são os esperados), mas sobretudo voltar a planejar e investir num grupo realmente numeroso, qualificado e com alternativas em todas as posições (quando teremos novamente um bom meia??)...

No mais, fica minha frustração. Parabéns Piffero e seus comandados. Vocês realmente marcaram seus nomes na história do Inter. Receberam um clube campeão mundial, com visibilidade, plantel e dinheiro em caixa, e nos darão o tão sonhado centenário de glórias que vocês tanto desejavam.

Pena que neste caso tudo indica que será um SEMtenário.

GRANA , FAMA e VOCÊ

Lembram das Frases:

"Temos que vender 1 jogador por ano"

ou a frase:

"Precisamos de 30 Mil socios para ser auto-sustentavel"

Pois é. Hoje temos mais que o DOBRO disso em socios, e vendemos jogadores até 4 vezes mais do que o prometido!

A Libertadores 2006 acabou em Agosto de 2006. Não faz nem 2 anos completos e desde então vendemos:

Sobis
Bolivar
Tinga
Pato (que valia por 4 vendas comuns)
Luis Adriano
Ceará
Fernandão
Renteria
Alex (provavel)
Sidnei (praticamente certo)

São 10 jogadores do time principal Vendidos em menos de 2 anos alem de outros jogadores de menos importancia e outros que não recebemos nada como o Eller.

Como explicamos isso? Eu sempre soube que aquele papo era pra boi dormir. Nunca vendemos apenas 1 ou 2 por ano mas os dirigentes repetiam isso todo ano como se não fosse claro que tava saindo uns 3 ou 4 por ano. E a historia dos Socios? Já com 70 mil socios somos auto-sustentaveis?

O Pior de tudo é que sendo "auto-sustentavel" e mesmo vendendo 10 jogadores em menos de 2 anos com certeza venderemos rapidamente qualquer jovem atacante que aparecer no clube. Se Guto, Valter ou qualquer outro se destacar vamos vende-lo tão rapidamente quanto vendemos Pato, Luis Adriano e outros. Se é pra vender que venda, mas fala a verdade pra torcida! Chega desse papo de auto sustentavel, precisamos vender um ou dois (voces venderam 10!). Fala a verdade! "Estamos aqui pra vender mesmo e só!"

Assim ficará muito dificil montar um time. Com os jovens saíndo tão cedo vamos depender de veteranos voltando da Europa ou outros que nunca tiveram a qualidade para sair do Brasil.

Por quanto saiu todos esses atletas? Como foi investido. E a grana dos 70 mil socios como é usada?

Com TUDO isso terminamos em Decimo Primeiro no Brasileirao de 2007. Fomos eliminados na primeira fase da Libertadores do mesmo ano e estamos perto da Zona de rebaixamento em 2008. Que tal montarem UM TIME DE FUTEBOL e pararem de servir de loja para o resto do mundo por um tempinho! Nem as reformas que eram tão faladas foram coinfirmadas. Alguns vão dizer "Ah mais troucemos Guinazu, Magrão e Nilmar" e daí, tudo foi gasto nesses caras?

ALO DIRETORIA....VAMOS FOCAR EM MONTAR UM TIME!!! Larga as NABAS que sugam 50 Mil por mês e usa essa grana pra segurar os caras que iriam pra Europa!

É triste o Clube do Povo e o resto do Brasil virou Escolinha da Europa. Talvez voce esteja acustumado com isso, mas eu nunca estarei.

PS:

Muitos aqui não gostaram do meu TOPICO "SALARIO" de 2 dias atras. "Não da certo"..."Não é isso a solução". Bom veja só a noticia vinda do São Paulo com seu Bonus de 300 Mil para o plantel quando ganharem 3 partidas seguidas...e rapidamente ja ganharam 3 seguidas. Veja a noticia aqui.

Identidade

Se tu és endividado, mas pensas ser rico,

Se tu és ignorante, mas pensas ser culto,

Se tu és chato, mas pensas ser engraçado,

Se tu és otário, mas pensas ser malandro,

Se tu és guampudo, mas pensas ser Ricardão,

Se tu és china, mas pensas ser puritana,

Se tu és de carne e osso, mas pensas ser imortal,

Se tu és porto-alegrense, mas pensas ser porteño,

Se tu és gaúcho, mas pensas ser castelhano,

Se tu és ameríndio, mas pensas ser ariano,

Então, meu amigo, tu não sabes realmente quem tu és.

Tu podes até pensar que és diferente dos teus semelhantes por causa das roupas que escolheste usar, mas não serão elas que determinarão a tua identidade.

Tu podes até carregar bandeiras e ostentar símbolos, mas se tu não souberes o que eles representam, tampouco saberás quem, de fato, és.

Eu sou colorado. Conheço a história do meu clube e tenho orgulho de tudo aquilo o que ele representa. Por isso, visto com gosto a camisa do meu time, sejam quais forem os resultados de campo. Porque eu sei quem sou, porque eu tenho identidade.

E tu, sabes bem quem és?

segunda-feira, junho 23, 2008

SALÁRIO!!


Motivação.

Repita essa palavra 38 vezes, uma pra cada jogo no Brasileirão.

Esse é o maior misterio do futebol Brasileiro. Como motivar os jogadores de rodada a rodada. O Discurso é sempre o mesmo. As respostas prontas depois de derrotas tambem. É um disco que toca repetidamente..."Vamos trabalhar pra melhorar"..."estamos melhorando..."...bla bla bla.

A Solução é simples e não vai muito alem do SALÁRIO. Não importa quanto voce ganha, seja 200 reais por mes, ou 200 mil por mes, depois de um tempo tu se acustuma com seu salario e se acomoda na sua realidade. Voce pode até ganhar uma nota grande mas com o tempo vira rotina.

Por exemplo a gente se pergunta..."Poxa essa cara ganha 50 Mil por mes e ta jogando fora a carreira na bebida". Porque será que o cara faz isso? Porque ta acomodado ganhando seus 50 Mil numa boa com contrato assinado e garantido! Pra que deixar de lado o lado "escuro" da vida?? E assim eles vão indo.

Então qual seria a solução?

Simples. PAGA POR VITORIAS! Não BONUS, mas no SALARIO MESMO! É assim que deveria ser. Chega no Inter, assina um contrato basico com salario razoavel (seja la o que isso for) mas a GRANA mesmo viria em forma de Bonus por VITORIAS. ALGUEM DUVIDA QUE OS CARAS IAM SE DEDICAR UM POUCO MAIS? Se o cara so ganha 5 Mil por mes com possiveis mais 50 Mil por mes em bonus...será que ele vai correr um pouco mais?

Isso não quer dizer que isso seria a solução para todos. Alguns não são bons jogadores mesmos e nem o maior cheque do mundo vai faze-lo jogar melhor....mas garanto que em geral veriamos mais vitorias.

Vamos pegar um jogador que ganha 50 Mil por mes. Em vez disso paga a ele 5 Mil por mes, mas a promessa de 10 a 15 Mil por Vitoria....ganha 4 partidas ao mes e já fez o salario dele. Sera que ai os companheiros de equipe não iam cobrar mais trabalho dos seus companheiros pois sabem que dependem deles para ganhar mais grana? Será que iam ficar quitos sabendo que jogador X ou Y ta na noite e so vai prejudicar o time e seu bolso depois?

Sorte desses jogadores que eu não sou dono do Clube....

PS:

Muitos aqui não gostaram do TOPICO. "Não da certo"..."Não é isso a solução". Bom veja só a noticia vinda do São Paulo com seu Bonus de 300 Mil para o plantel quando ganharem 3 partidas seguidas...e rapidamente ja ganharam 3 seguidas. Veja a noticia aqui.

MORRE O GENIO DO STAND UP GEORGE CARLIN

Desculpem o OFF mas George Carlin é mais um gênio do mundo artistico que acaba de morrer e não poderia passar em branco pois admiro seu trabalho.

O maior comediante do Stand Up Comedy morreu hoje, George Carlin. O cara por 4 decadas era o rei e até hoje tinha material novo e relevante ao nosso tempo. Provavelmente não é muito conhecido no Brasil por causa da lingua mas podem ter certeza hoje morreu um mestre, critico da guerra, de politicos, de religião e de tudo que é hipocrita que existe. Um mestre das palavras e que conseguia achar humor nas coisas mais simples da vida. Morreu hoje aos 71 anos de um ataque cardiaco. Teve 14 Especiais no HBO desde os anos 70, o ultimo sendo em Março de 2008.

O primeiro comediante "Politicamente INCorreto".

Não deixam de ver alguns clips do seu Stand Up com legendas em Portugues. Ele é os Beatles da comédia Stand Up, mas os Beatles que continuava em atividade até hoje.

Emtermos Futebolisticos e do Blog Vermelho, o George Carlin poderia ser considerado um baita corneteiro da vida e de pessoas em geral. Muita ironia, humor e inteligencia. Esse post é minha pequena homenagem a ele e se alguem que não o conhecia agora conhece já valeu eu ter postado isso.

COM LEGENDAS EM PORTUGUES:

"Experiencias em Comum"


"Sem Teto"


"Salve o Planeta!?" (A conclusão dele para a pergunta filosofica de "Porque estamos aqui" é genial!)


"Aborto! Parte 1"


"Aborto! Parte 2"


"Sobre Religião"
http://www.youtube.com/watch?v=MeSSwKffj9o


EM INGLES:

O Ultimo Especial Dele para HBO gravado em Março de 2008:

Parte 1

http://www.youtube.com/watch?v=aRCKoT1HY3U

"We Like War" (Nos Gostamos de Guerra)
http://www.youtube.com/watch?v=2Rlqjxst6xU&feature=related

"On White People" (Sobre pessoas Brancas)
http://www.youtube.com/watch?v=Dcr8dm9Prkk&feature=related

"Ten Comandments" (Os 10 mandamentos)
http://www.youtube.com/watch?v=rCz0-HY1TLU&feature=related

No Wiki
http://en.wikipedia.org/wiki/George_Carlin#Home_Box_Office_specials

domingo, junho 22, 2008

QUAL O PROBLEMA?



Abel já foi.

Iarley já foi (e fez 2 gols pelo Goias hoje).

Fernandão já foi.

Então eles não podem mais ser culpados por mais uma derrota. O Meio campo jogou com a chamada "ideal escalação" (Edinho, Magrão, Guina e Alex) e mesmo assim perdemos. Nilmar começou o jogo e mesmo assim perdemos. O Inter não consegue fazer mais de 1 gol por partida, enquanto toma em media 2.

Então qual é o problema? A esta altura a resposta está bem claro. NÃO TEMOS UMA DEFESA DA ALTURA DO CLUBE.

Alem de continuar sem um lateral esquerdo de verdade desde Jorge Wagner (que tambem não é um lateral de verdade....ah que saudades do Rubens Cardozo!) tambem não temos um lateral direito que preste. Demos sorte com a aposta Ceará e mandamos embora o Elder Granja que hoje tá brilhando no Palmeiras. Alem dessa palhaçada de ir 1 ano sem laterais o problema mais grave é a DUPLA DE ZAGA.

No papel Sidnei e Sorondo até fazem uma bela dupla, mas o problema é que Sorondo raramente joga por causa de lesões e Sidnei raramente joga por Cartões! Com isso ficamos com a defesa reserva, INDIO e OROSCO e sinceramente estamos pagando CARO DEMAIS POR ISSO.

Os problemas não são apenas ali, mas é o maior problema. Não temos estabilidade lá atras. Bola por cima é um desastre. Bola parada é meio gol. Contra-ataque é um perigo tambem. Temos que solucionar esse problema o mais rapido possivel. Precisamos de 2 zagueiros competentes que consigam jogar junto mais de uma partida juntos por mês!

É como escrevi em Janeiro e infelizmente tenho que repetir o que muitos aqui não acreditavam e me criticaram por escrever. NÃO TEMOS GRUPO PRA GANHAR UM BRASILEIRÃO e NÃO TEMOS GRUPO PRA NOS CLASSIFICAR PRA LIBERTADORES. O problema é aquele de lesões e cartões. Se os titulares caiam fora ficamos com uma baba em campo com Jonas, Busto, Indio , Orosco e varios outros. Pior ainda, perdemos alguns jogadores e até agora nem substitutos contratamos. Ou seja, tinhamos um grupo fraco e ainda perdemos alguns dos "astros" sem reposição!! E em cima disso temos alguns jogadores que estão com a cabeça na Europa ou na Arabia.

E o tempo vai passando. E os lideres vão desaparecendo e nada de contrataçoes de peso. Só ouvimos nomes de jogadores de nivel duvidoso como reais possibilidades.

MINHA ULTIMA ESPERANÇA é o Fernando Carvalho. Espero que ele tenha o bom senso para resolver immediatamente os problemas de plantel. Não é tempo de ir na radio como fazem Luigi e Piffero e darem discursos "bonitos". É hora de contratar VARIOS jogadores de peso. Não um, mas varios. Vamos usar a grana dos 70 Mil socios. Do Fernandão. Do Pato e sei la mais de quem e vamos montar um novo time, talvez segurando os que prestam e os jovens talentos que vem vindo por ai.

Mas sinceramente tá na hora de vender/liberar varios jogadores. Vamos FC, você é nosso ULTIMA esperança.

PRATAS DA CASA JÁ!!!

Que piada héin?

Porque a gente não vê a mesma vontade de ganhar no rosto de nossos jogadores, como podemos ver em times que no papel não tem nada tipo o Sport (durante a CB) e o Vitória nesse jogo de hoje?
Que ridículo estarmos perdendo de 2 x 0 e nosso jogador (não lembro quem agora) me dá a bola na mão do adversário, literalmente na mão para ele cobrar um lateral armando um perigoso contra ataque em que quase sai o terceiro?
Porque treinamos com alguns jogadores e saimos jogando com outros?
O Tite pode e deve ter tempo pra trabalhar, mas deve saber que o treinador que saiu deixou à desejar inclusive à mim quando começou a falar e fazer muita coisa com seus bruxos, ae o cara me coloca o Gil?
O certo é que tem muita gente devendo, é hora de ousar radicalmente ou em doses homeopáticas com a gurizada, hoje tivemos a grata surpresa com o Taison, esses dias em pouco tempo vimos 15 minutos do Valter, temos o Dani Moraes, não temos esquema para cruzamentos ou algum jogador que esteja à fim de cabecear, então Guto e esquema de jogo pra ele, até o ruim e contestado Ramon conseguiu nas ultimas partidas jogar melhor do que o Marcão.

Nessas proporções PRATAS DA CASA JÁ!!!


Parabéns por alegrarem nossas tardes de fim de semana...mas agora CHEGA!!!


Ronaldinho no Inter?


Li sobre os rumores Ronaldinho no Orkut, vindos de um amigo de um Garçom e agora a noticia saiu até na Placar. Será que o Garcom serviu a noticia para eles ou será que eles tem outra fonte? De qualquer maneira o Fernando Carvalho já descartou, mas se fosse verdade duvido que ele iria falar antes da hora.

É provavel que seja imposivel a vinda dele para o inter mesmo por 6 meses, mas se vier seria algo bombastico, arrasa quarteirão, shock and awe! Imagina só a loucura que seria isso. Acho que o Inter chegaria a 100 Mil socias da noite para o dia, talvez ate 110 Mil. Poderia vender um horror de camisas 10 do Ronaldinho. E imagina os Gremistas...imagina só o desespero deles. Valeria muito apena! Alem disso levaria o Inter para o noticiario Internacional. Acreditem, uma contratação do Ronaldinho nos daria mais manchetes mundialmente...e por mais tempo, do que a conquista de 2006.

Podemos lembrar que o Sobrinho do Ronaldinho já tá no Inter...quem sabe....por mim seria um OTIMO negocio...fica aí a foto para voces imaginarem...

sábado, junho 21, 2008

SHOWBOL

To assistindo aqui o Showbol e é legal ver algum dos antigos jogadores em campo novamente. As vezes é meio estranho ver aquele Garoto craque tipo o PINGA dos anos 80, já com barriguinha e não tão jovem assim uma lembrança de que o tempo não para. Alem do Pinga o Inter tem com a 10 o Balalo, outro que apareceu lá por 1984. Ele era um canhotinho que os colorados gostavam de chamar do "novo Maradona". Ele entrava em jogos quando o Rubem Paz não podia jogar e depois da saída do Paz ele virou titular. Mas infelizmente nunca se tornou o novo Maradona.

O Pinga foi um caso triste. Ele apareceu lá por 83 como um grande esperança para a zaga colorada. Foi super badalado e com razão era um zagueiro de extrema classe. A Dupla Galvão e Pinga prometia. Aí antes das olimpiadas de Los Angeles em 84 o Pinga se machucou gravemente e foi cortado da seleção-Inter que representou o Brasil. No seu lugar foi outro zagueiro jovem do Inter Aloísio, mais um grande zagueiro de muita categoria. Dizer que o Inter tava bem servido de zagueiro na epoca era pouco. Aloisio acabou virando titular e Pinga ficou fora muito tempo se recuperando. Nem lembro exatamente quando voltou, mas acho que foi so anos depois. Aloisio jogou uns tempos no Inter e depois foi para Portugal onde se consagrou jogando no mesmo time até o fim da carreira. Inclusive continua morando lá depois de ter pendurado as chuteiras.

Agora alguem me explica, porque os times levam o nome dos clubes mas não a camisa ou escudo? É Inter mesmo ou é Inter pirata?

PS:

Já recebi o Poster do Mundial de 2006 que comprei no Ebay. Chegou aqui do Japão em apenas 4 dias! Muito bonito! Depois tiro foto e coloco no Blog.

edit:

engano meu. foi o aloisio que se machucou e foi cortado da seleção de 84. Pinga foi, mas foi reserva do aloisio em 85.

sexta-feira, junho 20, 2008



Era uma vez um zagueiro chamado Marião, que veio pro Inter para substituir o Figueiroa (F3) um dos primeiros ídolos do time de 1974/1975 /1976 a deixar o clube. Então a procura foi intensa para um zagueiro que substituísse à altura o grande F3.

O Marião aqui chegou vindo do Recife, antes estivera no SP Bambi, era um, ou melhor 02 Gonças no peso (1,95m x 100 kg), todos dizendo que ele iria fazer a torcida esquecer o F3, pois sabia sair jogando, era muito bom na bola alta e que botava medo nos atacantes, vira e mexe, começou o Gauchão em pleno inverno e o tal Marião não conseguia parar em pé nos lodos dos campos do interior, é óbvio que não durou 05 jogos no time, e se foi....

Tempos depois chegou discretamente um zagueiro do Interior de SP que preencheu a lacuna e foi um eficiente zagueiro, o Mauro Pastor, depois vieram Célio Silva, Lucio, Bolívar e outros tantos...

O engraçado é que o Marião quando aqui chegou, sabendo do frio, mandou fazer sob medida um casaco de pele de ovelha dos pés à cabeça com capuz e tudo (saiu a foto na ZH), se gabou dizendo que não tinha medo e que não passaria frio aqui no RS, pagou uma nota preta pelo casaco, obviamente logo depois teve que se desfazer do casaco e ficou p... pois não achou comprador...........ehehehe

F3, F5, V7 PC10, D9 e por último F9, antes deles Tesourinha, Carlitos, Larry, Claudiomiro e tantos outros foram grandes ídolos colorados que saíram do Clube por questões da vida e nem por isso o Clube parou ou fechou...todos eles foram e são insubstituíveis pois foram únicos e nem daqui há 100 anos encontraremos reposição.

O que quero dizer com isto é que não adianta procurar um substituto pro F9, com a cara, carisma, futebol e inteligência dele. Não tem como repor...então o substituto do F9 poderá ser um goleiro, um jogador de defesa, ou quem sabe um jogador contratado, até um treinador, mas sem a pressão e cobrança de substituir um ídolo específico. Hoje no Santos já ´pararam` com aquela expressão de estar ´surgindo um novo Pelé` quando viam um crioulinho jogar com a 10, até o Robinho foi vítima desta busca sem fim...

Recomendo, nós torcedores renovarmos nossas energias em torno do Clube / Time, deixando que naturalmente surja um ídolo, e quando menos esperarmos ele fatalmente surgirá, só esperamos que não o vendam com a rapidez de um Pato.

Só peço desculpas para alguns pela foto do Marião depois da foto da gata do Gonça, mas sempre terá alguém que goste !



Post relâmpago: parabéns, Gonça!

Desculpa pela quebra das regras, Louis, mas acho que o nosso amigo Gonça merece uma homenagem singela pelo seu aniversário, ontem. Nem que seja através de um mini-post, afinal o nosso grande amigo Gonça merece!
Aí, Gonça, não vou te desejar todas aquelas formalidades "bobinhas" de saúde, paz, felicidade... Por isso, o que eu desejo mesmo pra ti é uma "poupança" bem grande pra que tu possas "gozar" a vida numa boa.
Vida longa e "abundante" pra ti, Gonça!

Ps.: a foto é um presentinho pro aniversariante... hehehe


quinta-feira, junho 19, 2008

Desconstruindo e Reconstruindo Ídolos

Como já é de praxe, inicio meu texto pedindo perdão. Sendo assim, peço perdão aos corneteiros, pois não bradarei injúrias contra as figuras do ex-técnico Fanfarrão e do Alex "Dodói". Peço perdão aos beatos, pois não exaltarei em cânticos de louvor as imaculadas imagens do Pai Abelão Todo-poderoso nem do misericordioso Alex nosso de cada dia. Peço um perdão todo especial aos fiéis tarados de plantão, pois não poderão me dar nota máxima na estrelinha lá de baixo: hoje não escreverei sacanagem alguma. Ah, e um perdão protocolar aos hipocritamente corretos, pois não poderão me dar a nota mínima na estrelinha lá de baixo: já disse que hoje não escreverei sacanagem alguma, porra!
Pois bem, hoje falarei do assunto da moda: os ídolos. Fazer o quê, né? Culpa do Fernandão! No entanto, não falarei do Fernandão, especificamente. Versarei sobre ídolos de verdade.
Equivoca-se quem pensa que meu ídolo estava no gramado do Gigante na noite gelada de 16 de agosto de 2006. Meu ídolo também não se fez presente no estádio de Yokohama, na inebriante manhã de 17 de dezembro do mesmo ano. Meu ídolo não ergue taças, não ostenta orgulhoso a braçadeira do capitão, não sai bonito na foto e tampouco se declara apaixonado pelo Internacional na TV ou nas rádios.
Muito antes pelo contrário, meu ídolo está longe dos padrões e das pretensões. Meu ídolo passa longe de tudo que se define por fama e sua remuneração voa longe do que penso seria digno de um ídolo de seu calibre. Ele, meu ídolo, está longe, muito longe, dos olhos do mundo. Meu ídolo está longe dos pôsteres, mas perto de mim. Meu ídolo está longe dos holofotes mas pulsa em meu coração.
Falar em coração, meu ídolo é um sujeito de coração supremo, amplo e abrasador e dono de um "risadão" grave, poderoso e sincero. Meu ídolo é também apreciador dos artífices mais simples desta vida insana, como uma boa xícara de cafezinho preto após o almoço.
Sem desmercer ídolos como Falcão, Fernandão, Valdomiro, Figueroa e outros tantos, mas eles não passam de ídolos de barro perto do meu ídolo. Esses ídolos não sentem dor, mágoa, raiva, não amam e nem fazem necessidades fisiológicas. Para esses ídolos, só lhes faltam a capa, um "shortinho" apertado e a publicação de suas aventuras nos gibis de super-heróis.
Meu ídolo, não. Ele não tem pinta nem frases de bom moço. Meu ídolo possui um arsenal de piadas bagaceiras e as conta divertida e despudoramente. Meu ídolo arrota e peida. Com meu ídolo, eu passo conversando horas a fio sobre qualquer assunto: mulher, filmes, política, Brasil e, claro, futebol. Aliás, meu ídolo narrou-me em detalhes a fantástica troca de passes de cabeça entre Falcão e Escurinho, além de inúmeras outras peripécias do Colorado avassalador da longínqua década de 70. Pois é, meu ídolo foi um privilegiado espectador de arquibancada dessas façanhas épicas escritas pelo Colorado daquela década. Meu ídolo não é um ídolo colorado, mas é tão somente mais um colorado, e talvez sua preferência tenha influenciado minha escolha clubística.
Meu ídolo é um líder positivo, que me levanta nas crises, que me impulsiona e que me dá moral. Sempre que arrebento a cara, recorro ao seu poço de sabedoria e simplicidade e lhe roubo uma palavra de consolo, um gesto de perseverança que seja. Meu ídolo sempre trouxe largos os ombros do acolhimento e um sorrisão generoso por trás do cavanhaque sempre bem aparado.
Falando em aparência, meu ídolo nem em sonho lembra a imagem do sujeito alto, atlético e esguio, com longas madeixas negras. Meu ídolo é a imagem invertida do atleta. Ou melhor, é a verdadeira desconstrução do atleta: um sujeito de baixa estatura, barriga saliente de cerveja e careca reluzente, com poucos fios de cabelos refugiados nas laterais da cabeça e na nuca. Mesmo assim, meu ídolo é meu apoio, meu mentor e meu herói singelo.
Por isso, ao eleger esse ou aquele como ídolo, verifique bem em sua volta. Pare, pense bem, utilize-se da visão apurada dos sentidos da alma: os ídolos costumam estar mais perto do que se possa imaginar... E àqueles afortunados que descobrirem seus respectivos ídolos eu aconselho da seguinte forma: abracem seu ídolo, cultivem seu ídolo, valorizem-no, idolatrem seu ídolo, encham-no de adulação, beijem seu ídolo, desfrutem de cada segundo do convívio e da sabedoria do seu ídolo. Vão lá, façam isso de coração! Não percam tempo... pois aqui vai a segunda parte do meu conselho: tomem muito cuidado com seus ídolos, pois via de regra o são ardilosos e traiçoeiros; eles podem nos deixar assim de repente, quando a gente menos espera.
O meu ídolo, por exemplo, deixou-me. Sim, deixou-me, pois se é verdade que ele é meu herói, também - e infelizmente - não é menos verdade que ele é um herói de carne e osso e, como tal, adoeceu, fragilizou-se, definhou, definhou... e partiu num vôo definitivo rumo a dimensões desconhecidas. Meu tio Antônio Roberto, meu ídolo, meu herói, partiu em fevereiro de 2006, com quase cinqüenta anos, e não deu tempo de pegar o meu, o dele, o nosso Colorado campeão da América e do Mundo meses depois. O homem se foi, mas a imagem do ídolo permanece intacta e sobrevive na minha memória. Ele não partiu de sopetão, é verdade, e de certo modo pude ir me despedindo dele aos poucos, de maneira doída, sabendo que sua ida não mais teria retorno.
Ainda que em seus derradeiros dias eu tivesse demonstrado todo meu afeto e admiração pelo ídolo debilitado, fiquei com um enorme "EU TE AMO, MEU TIO" entalado na garganta. E lamento não tê-lo dito pessoalmente em alto e bom tom, assim como lamento que ele não possa estar aqui para ao menos ler essas linhas tortas que agora saem sangrando, sofridas, mas carregadas de verdade.
É por isso que lhes friso bem: muito cuidado com seus ídolos. Aliás, melhor mesmo seria não criá-los, esses monstros chamados ídolos, pois a nostagia seria bem menor nas festas de final de ano, por exemplo. Posso dizer que ídolos geralmente se escondem na estrutura familiar. Na verdade, alguns se tornarm mais ídolos que outros, tudo depende de nossas escolhas. Desculpem-me o termo fora de contexto, mas é "foda" nascer, crescer, garimpar nossos ídolos e conviver com esses ídolos para depois perdê-los definitivamente. É muito duro e triste chegar ao final de ano e contabilizar mais uma baixa dentre os entes queridos com os quais nos acostumamos, com os quais sorrimos, gargalhamos, com os quais choramos.
Analogamente, família é como uma equipe de futebol que joga junta há muito tempo. Vai jogando, vai convivendo, vai ganhando, vai perdendo, mas por fim se torna vitoriosa. Então a gente vive a ilusão de que aquele estado de euforia durará pra sempre, achamos que aquelas pessoas são pra sempre, que aquela rotina é pra sempre, afinal queremos aquilo pra sempre. Mas alguém já cantou a pedra: o pra sempre sempre acaba.
E a gente vai levando, como cantou o outro. E vai batendo de frente no muro da realidade e vendo aquela equipe familiar se desmantelar, perdendo peças e, com elas, um pouco do encanto, um pouco da graça. Mas faz parte da vida e nos cabe enxugar a lágrima do canto do olho, erguer a cabeça, aprumar o passo e seguir em frente.
É o que procuro fazer. Inclusive, estou me mobilizando e, como precaução, estou montando uma pequena equipe. Já contabilizo dois membros e só posso dizer que é uma equipe muito promissora. Estou me referindo à Amábile, de seis anos de idade, e ao Antônio, de seis meses de vida. São meus filhos, meus amores, meus heróis. E são pequeninos, é verdade, mas já carregam essa responsabilidade gigantesca de serem meus ídolos. Alguns ídolos meus da "antiga" ainda permanecem na ativa, como pai, mãe, irmão e avó, etc, mas arquitetei com certa dose de sabedoria e outra de esperma a escolha dos meus pequenos ídolos, pois egoísta que sou, o risco de perdê-los enquanto eu estiver permbulando por essa vida é mínimo, visto que a minha Amábile e o meu Antônio são muito mais jovens do que eu.
Eu é que não faço questão de ser ídolo de ninguém. Estou numa fase de desconstrução total, de amizades, de amores e afins. Se meus amigos marcam de tomar uma cerveja depois de muito tempo, eu invento alguma desculpa sem fundamento e não compareço ao evento. Se alguém se apaixona por mim, eu faço de conta que só quero sexo e sumo. Se o pessoal espera que eu escreva sobre futebol nas sextas, eu escrevo mais e mais sobre putaria. Desta forma, se eu morrer hoje ou amanhã os meus amigos, as minhas amadas e vocês, leitores e colegas de blogue, perderão, no máximo, um grande sacana.
E concluo dizendo que eu desejo ser o melhor pai possível para os meus filhos, mas sempre tomando muito cuidado pra não chegar ao ponto de tornar-me ídolo deles, pois os amo tanto e tão intensamente que, quando eu me for definitivamente, não os quero deixar carentes de mim.


Reponham as crianças na sala

Não para que me interpretem oponente ao nobre colega Tiago, pois estou de acordo com sua lúcida mensagem. Retornem, crianças, para que saibam desde cedo que a vida não é mãe, é madrasta. Para que entendam a complexidade da palavra capital. Para que não se tornem vítimas de suas ilusões. Contudo, vinde a mim oh criancinhas para que não esmaguem num canto de si o lúdico, sendo que da mesma forma, ou com distinto valor de ônus, envolve o futebol. Sendo assim, não nego a teoria Marimon, apenas a completo, ofertando-lhe uma dose de insanidade. Creio que todo ceticismo a necessite, do contrário torna-se gozo de concubina, nada além do ofício no orifício. Antes que lhe tapem os olhos, leiam-me crianças. Sendo a vida como ela é, vós não sois trazidas por cegonhas.

O que ocorre é que podem ser concebidas por meio simplesmente anatômico e biológico, ou, podem ser geradas através amor. A sensação que treme as pernas é a mesma. Suor, sonoridades, tudo o que leva a retratar-me poucas linhas depois: descrever tal ato, mesmo como efêmera definição, usando o termo “simplesmente” é um sacrilégio – não para o Papa e sim para Rafael Severo, fundador da Universal Reino de Todo Dia, culto ao melhor da vida. E... somos todos seus seguidores. Afinal de contas, quem não gosta é porque não sabe fazer.

Assim sendo, por desejo momentâneo ou sentimento cultivado, o melhor remédio para problemas de pele ou racismo só pode ser fuder; muitas vezes gozamos, outras, procriamos, misturamo-nos, enlouquecemos e amamos.

Onde quero chegar?

... Nem te conto...

Sexo é “menos bom” sem amor ou nada se iguala a trepar acariciando mutuamente as almas?

Creio que devo me manifestar, eu sei fazer. Não tenho coragem de menosprezar os corpos que me deram calor, em almas que não amei. Todavia, cultivo um hall da fama por onde estrelaram aqueles por quem algum dia chorei. E chorei porque amei. Minhas lágrimas me diminuem? Minha entrega, frente ao estendido desiludido, me faz fraca, exposta? Menos esperta, desenvolta? Inapropriada aos tempos modernos, de sexo e dinheiro?

Nunca! Escutem-me crianças: jamais. Porque sexo é sexo, dinheiro é dinheiro por toda a vida. Futebol é negócio (e não aquele de mijar), música é negócio, arte também. Tudo se comercializa, até casamento. Então o que vale nessa merda de realidade? Perguntar ao teu pai “9 é a do Fernandão né?”, mesmo sabendo que hoje ele está nas Arábias ganhando dinheiro. Por mais racional que se torne a humanidade, estaremos sempre em busca de amor e ídolos. Criemos outro Capitão. E como? Gozando com amor. Vendamos o que devemos vender. Sejamos pragmáticos ao ponto de sustentarmos nossos sonhos. Sejamos, com perdão pela audácia, Marimon e Diana. Façamos o necessário para que tenhamos em nossas veias novamente o pulsar do vermelho intenso. O coloradismo vive na simbologia da índia que cedeu ao assédio do colonizador e assim teve o que comer para seguir viva, entretanto, virou os olhinhos nos braços de um herói sem necessária pátria, mas com coração somente seu.

Fernandão segue a correnteza, mas não esquece o primeiro gol à margem do rio na final da Libertadores, quando seu semblante paralisou no que ocorre quando se transa com amor. Aquela expressão de “pára tudo” pode acontecer sobre uma cama, num cantinho do quarto, com uma pequena janela ao lado, por onde se recupera um pouco de ar que o suspiro tomou. Quase tudo tem um preço. Porém, algumas coisas estão acima disso, lutemos por estas. É o que realmente vale à pena, como andar por Madrid vestindo a sete vermelho-vibrante, passar pela frente do Bernabeu e na esquina seguinte escutar o grito provindo de um carro passando “Dá-lhe Inter!”. Isso me aconteceu ontem. Só estou aqui porque trabalhei seguindo as regras do capitalismo, mas ninguém paga meu sorriso e a resposta: Dá-lhe!



Tirem as Crianças da Sala!!

Buenas, deduzo que, já que estão na frente do computador, estejam todos sentados... peço ainda que, por favor, os mais ingênuos respirem fundo e fiquem calmos... aí vem a notícia mais impactante desde que descobrimos que Papai Noel não existe, tirem as crianças da sala e pasmem...

Futebol é um Negócio!!

Sim, negócio, e daquele tipo que envolve muito, mas muito mesmo, dinheiro, grana, pila, money, cash, tostão, bufunfa...

Poderia ficar aqui divagando sobre as contratações dos times do mundo inteiro, sobre o que eu acho ser o real motivo para a decisão vergonhosa de se fazer uma Copa do Mundo no Brasil, sobre porque a Seleção Brasileira é cada vez menos brasileira e mais da CBF, sobre os interesses de redes de TV, de fabricantes de material esportivo, enfim, tem pano pra muita manga esse assunto... mas, como eu não sou nenhum estudioso do tema, vou balisar meus “achismos” no enfoque que eu acredito conhecer um pouco, e tentar fazer uma análise simplória da situação do nosso Sport Club Internacional perante essa realidade.

Assim como todo e qualquer negócio em que se almeje algum resultado concreto, o futebol requer planejamento. Já disse aqui, reiteradas vezes, que acredito no planejamento a longo prazo do clube, o qual, no meu ponto de vista, começou em 2002 com a chegada de Fernando Carvalho à Presidência.

Nestes seis anos (o que eu acredito ser um planejamento de médio prazo em se tratando de futebol) tivemos muitos erros, quase caímos no primeiro ano de gestão do The King, contratamos profissionais (?) do naipe de Júnior Baiano, Joel Santana, Didi “facada”, entre outras nabas que nem vale a pena citar para não deprimir... entretanto tivemos diversos acertos, assim como chegaram nabas, chegaram Profissionais da estirpe de Fernandão, Guiña, Magrão, Sorondo, Eller, Jorge Wagner, Tinga... vencemos 5 Gauchões, um Brasileirão, Libertadores, Mundial e Recopa, e ainda levamos um torneio amistoso de lambuja contra a poderosa Inter de Milão... então, que me desculpem os pessimistas, mas se isso não é um balanço positivo eu não sei mais o que pode ser.

Agora peço desculpas aos místicos, crentes, supersticiosos e afins... mas sou demasiado cético para acreditar em qualquer outra justificativa para este balanço extremamente favorável que não o planejamento. Todavia, se faz necessária uma nota de descontentamento com a atual direção acerca da sua falta de visão a curto prazo, mas apenas uma nota, pois não acho que esses dois anos (porque duvido que essa atual direção se reeleja) coloquem em xeque os planos de longo prazo (10 anos) do clube.

O fluxo de jogadores para o exterior é intenso, e nada indica que ele vá cessar, bem pelo contrário. Logo, acredito ser inevitável que jogadores como Daniel Carvalho, Diogo Rincón e/ou Nilmar (na sua primeira passagem pelo Inter), deixem o clube, tendo em vista o pouco poder do mercado da bola brasileiro frente aos grandes compradores estrangeiros, podemos sim discutir os valores das transações, mas isso é outra história.

Cito estes jogadores, pois, foi a saída deles, e de outros que agora não me recordo, que deu condições ao clube para contratar a base Campeã do Mundo, assim como a saída do Pato, nos proporcionou recursos financeiros para acrescentar qualidade ao grupo em agosto do ano passado, e assim será também com a venda do F9, Sidnei e possivelmente Wellington Souza, as quais possibilitarão, pelo menos em termos financeiros, mais um adicional de qualidade (e aqui se encaixa perfeitamente minha crítica a falta de visão da direção atual).

Portanto, não existe este papo-furado do Píffio de que o Inter não é um clube vendedor, pois temos um pequeno detalhe nos contratos, chamado de MULTA RESCISÓRIA.

Então, de nada adianta vestir o manto preto do luto e virar viúva de jogador de futebol, eles vão, o Clube fica. Profissionais da bola, além de terem o privilégio de um salário totalmente desproporcional à realidade das demais profissões, não são obrigados a trabalhar onde não querem, quando mudam de clube o fazem por livre e espontânea vontade (isso não é um juízo de valor, apenas uma constatação). Todos profissionais que saíram do Inter nos últimos tempos, SEM NENHUMA EXCEÇÃO, o fizeram por DINHEIRO. Dinheiro este que é interessante para os cofres dos clubes, e para o bolso de empresários e jogadores.

Inclusive, se nesse exato momento que escrevo o texto, um gringo ingressar na sala da direção com um caminhão de dinheiro, paga a multa e leva quem ele quiser. Se bobear o cara nem faz um jogo de despedida, nem joga contra o Vitória final de semana... afinal, como já dizia nosso sábio "amigo" Geraldo Rodrigues, "...ninguém compra sapatos novos e deixa-os parados na loja."