sábado, maio 31, 2008

GOROROBA VERMELHA II


Depois daquele profundo post do Rafael, fico até constrangido de postar, mas é da vida !

Vou transcrever um email na época que eu ainda não postava oficialmente no BV e escrevia email para alguns cronistas onde já demonstrava meu descontentamento com o nosso adorado Abel...

Percebam no email, lógicamente, que sempre cometemos êrros de avaliação, mas o que pensamos sobre futebol ainda vale, o que interessa aqui é que o que viemos alertando continua acontecendo desde então, e parece que hoje o Abel está estreando no Inter, pois promete experiências e diz que se não der certo irá levar porrada (exxperto esse rapaixxx, tipo o Edmundo que deu um migué no Vaxxxco (talvez em parceria com o Euricão, cortou o cabelo, iria pedir aposentadoria, e o Euricão não deixou, é a primeira vez que o Edmundo obedece alguém...este tipo de pessoa sabe jogar com a massa / mídia e se tornam mais importante do que o clube para qual eles trabalham, hoje o mundo todo está com ´peninha` do Edmundo e o Vaxxco eliminado que se f..., no BR acontece muito disso...tem gente que não dorme bem...e vira manchete principal !

Segue o e-mail:

----- Original Message -----
From: Nelson Baron
To: adroaldo.guerra@diariogaucho.com.br ; wianey.carlet@zerohora.com.br
Sent: Thursday, March 22, 2007 2:24 PM
Subject: PLANETA ´GOROROBA VERMELHA` - Leiam por favor !!!!

O futebol é um esporte que contempla, habilidade, inteligência e estratégia para abrir espaços no time adversário, com a finalidade de facilitar a obtenção de gols. O espaço mais fácil marcar é pelo meio, pois a goleira está no meio. O espaço mais difícil de marcar é pelas laterais, pois o cruzamento, quando bem feito DA LINHA DE FUNDO, pega os atacantes de frente para o gol , os zagueiros de costas e o goleiro nunca sabe onde a bola vai cair. Já o chuveirinho, normalmente feito da intermediária, pega o atacante de costas para o gol, a zaga de frente, e como a bola vem lenta (chuveirinho) o goleiro tem tempo para ver onde a bola vai cair.

O Abel manda o time atacar pelo meio, porém oferece os lados do campo para os adversários, vejamos, os laterais SAEM sem qualquer aptidão e orientação para o ataque. Ontem no primeiro tempo, ficou nítido, cada vez que a bola ia no lado esquerdo da defesa do Inter, o Wilsão é quem estava lá, sendo que o R Cardoso, só aparecia na tela da TV, bem depois e voltando devagar pelo miolo do campo, ou seja, o Wilsão, Vargas e Ji Paraná ficam nas funções defensivas para cobrir os avanços (!@#$%) do R. Cardoso, isso é um câncer que mata todo o lado esquerdo do time,

O Abel não enxerga isto, aliás, isto já ocorria no ano passado com o J. Wagner, só que o J.W era muito melhor no apoio do que os atuais L.E. e ficava menos escancarado este defeito. Também nunca vi os laterais, defensores que são, ficarem atrás da linha da bola, sempre que os atacantes adversários estão com a bola pelo lado, o Ceará e o outro LE, principalmente o R Cardoso, tem de voltar correndo em nítida desvantagem, vide Sta. Cruz, Glória, Ju no 2o. tempo, o Hidalgo joga melhor quando fica mais postado, esta é a sua característica.

Renan – 10 – Ontem, alguém se preocupou com o goleiro do Inter ? Principalmente as várias recuadas dos zagueiros, as saídas na bola alta e nas defesas, eu não, porque ele não é o titular ?

Ceará – Zero – O grande jogo dele foi o do Barça, marcando...., no apoio ele é médio, no apoio o Granja é muuito melhor. Bola parada, escanteio, dribles, cruzamentos ... ridículo !!!

Índio – com o Wilsão do lado, até que ele está bem, só não precisa ir para o ataque o tempo todo (ontem ficou mais postado)

Wilsão - !@#$%¨&* - só teve um ano razoável no Inter, com 03 zagueiros (Sangaletti..) . o W é ex-jogador.

R. Santos – Neste descalabro defensivo des-organizado pelo Abel, não dá para julgar, mas pode dar certo, talvez na lateral esquerda (comento depois...)

R. Cardoso – Foi muito mais visível no 2o. tempo, jogando no lado da câmara de TV , não foi marcado, teve o campo livre, mas com a boa, deus me livre ! Sem ela, deus me livre, também !. Pela bola que não joga, deveria sair do grupo e deve ser dito para ele, que não vai mais jogar no Inter, arruma outro clube ou fica em casa, recebendo salários .... !@#$%¨&*. Vejam quantas vezes ele esteve com a bola, e....nada.............

Edinho – Foi bem ontem, mas jogou praticamente de 3o.zagueiro para o apoio (!@#$%) do R Cardoso, acho que deve ser testado de 4o. zagueiro.

Ji Paraná – bom jogador, 2o. volante / talvez até 3o. volante aberto pela esquerda fazendo o que o R Cardoso nunca faz, uma boa marcação e subida para o apoio (como no 2o. tempo contra o JU). É um jogador de toque de bola, de aproximação, com aquele letárgico espírito de tipo, ninguém se aproximou para jogar com ele, que ficou de auxiliar do R Cardoso, precisa de espaço para jogar.

Vargas – Excelente jogador, com imposição, toque de bola e aproximação, mas não conseguiu repetir...
Fernandão - Excelente jogador, com imposição, toque de bola e aproximação, mas ontem não conseguiu jogar, pois precisa de espaço, caiu bastante no 2o. tempo.

Iarley – O de sempre, segura a bola em demasia e quando passava era para o R Cardoso (= bola para o adversário). No lado esquerdo não produz nada, produz melhor no lado direito, quando tem espaço. O Iarley no 2o. tempo, mais para o final do jogo foi para o meio, aí acabou qualquer possibilidade dele jogar. O Iarley só deve jogar quando o Inter estiver bem estruturado no meio-campo, e em jogos específicos, para segurar a bola para o pessoal do meio chegar, pois ontem, naquele potreiro, quanto mais ele segurava a bola, melhor se posicionava a defesa do Glória... A única vez que ele ficou livre pela esquerda, cruzou a bola pro Christian e a bola foi na outra lateral. Suas tabelas com o R. Cardoso (!@#$). Não sabe cruzar com o pé esquerdo.

Christian – Eu sei que existem muitas resistências....mas é um bom jogador, o problema é que é um centro-avante nato, dentro da área, precisa de jogada de fundo, de aproximação, faz bem a parede para tabela, tem que pegar ritmo também. Ontem com o Iarley aberto erradamente no lado esquerdo, os laterais sem acertarem nenhum cruzamento, sem jogadas pelo meio, não há centro-avante que agüente....
Pato – Na reserva, é dose, o Abel (que eu vi jogar, era um brutamontes, que batia até na mãe, quer ensina-lo à jogar, ser mais objetivo, o Pato é técnico mesmo, o furo é o ABEL. Deixem o menino em paz, ele é do Inter, o Abel não !!!

Gabiru - Faltando dez minutos, desespero, normalmente e corretamente os treinadores mandam o time para a frente e levantar a bola para a área, o que fez o Abel, tirou um bom cabeceador (Christian) e colocou seu talismã, o Cometa Gabiru (outro gol assim dele, só daqui à 70 anos). Vale para o Gabirú o mesmo do que o R. Cardoso. Coincidentemente, os dois têm longos contratos pela frente.

Grupo – Informações garantem que o grupo está dividido e os jogadores mais Veteranos (Clemer, Iarley e Fernandão) estão escalando o time, Não É POSSÍVEL! E o Abelão ? Daí continua o Clemer, o Wilsão é ressuscitado, o Pato fica no banco, o Iarley fica no time, e o Abel escala os `seus` DIAMANTES.

Constatações / Soluções

1- OS LATERAIS SÓ DEVEM IR PARA O APOIO COM A BOLA ! E CHEGUEM NA LINHA DE FUNDO PARA CRUZAR, SE NÃO TIVEREM A BOLA FIQUEM ATRÁS, PORRA, DEIXEM O MEIO CAMPO CRIAR.

2 - No meio-campo ideal do ABEL com 02 BRUCUTUS, com estes laterais acima citados, ficamos com SEIS / SETE JOGADORES (GOLEIRO – 04 ZAGUEIROS + 02 BRUCUTUS DO ABEL) sem QUALQUER APTIDÃO PARA TOCAR A BOLA, DESLOCAR, APROXIMAR E ATACAR, AÍ ESTOURA NO CRISTIAN, FERNANDÃO, PATO, etc...

3 - 03 zagueiros mais postados, com Ceará ou Granja no apoio, UM BRUCUTU NA FRENTE DA ÁREA, 02 VOLANTES QUE SAIBAM JOGAR, E 03 ATACANTES (F9 MAIS RECUADO, IARLEY = RESERVA QUANDO ENTRAR NUUNCA PELO MEIO E RECUADO, SEMPRE PELA DIREITA) PATO SEMPRE NO TIME, CRISTIAN DENTRO DA ÁREA.

4 - Meio-campo – Um brucutu ou um bom marcador – Para mim dois jogadores são muito bom marcadores e sabem jogar, 1a. opção W. Monteiro, 2a. opção João Guilherme, que foi um bom zagueiro que virou volante. Edinho 3a. opção.

02 bons volantes W.Monteiro / Vargas / Perdigão (único jogador que faz a bola correr, passe longo excelente, às vezes se enrola, mas geralmente joga muito bem, quando joga!!! e Ji – pela estatura deve jogar mais aberto quando o time precisa atacar, tem bom passe e movimentação, não vai resolver jogo, mas é um bom complemento.

5 – Michel, Gabiru, (!@#$%) = vale o mesmo para o R. Cardoso.

6 – Bolas paradas à favor = zero de aproveitamento, principalmente aquela que cruza a área e vai para o Índio ou Ceará devolverem de cabeça para a área. Ora se pudermos com UMA CABEÇADA FAZER GOLS, PORQUE TENTAR COM DUAS, a não ser que o outro time esteja dormindo.....os times argentinos fazem muito isto, mas, eles batem este tipo de falta muito rápido e sem que a defesa esteja postada, esta é a sutil diferença, mas para quem bebe 01 lt de Uisque é a mesma coisa.

7 – Bolas paradas contra = quase gols, pois convenhamos, quando o Clemer sai do gol, é como o Abel, ninguém sabe o que vai acontecer, imaginem os defensores do Inter !! Com o Renan no time (ganhando boa seqüência, confiança, titularidade) a coisa vai melhorar, acreditem.

8 – Parreirrices do Abel

a - Quadrado mágico contra o Vélez – Gabiru – Michel – F9 e Christian.

b – Michel em qualquer lugar do campo, principalmente no meio-campo.

c – Gabirú em qualquer lugar do campo, principalmente no meio-campo.

d – R Cardoso no campo, principalmente no apoio.

e- Colocar o Perdigão poucas vezes.

f - Colocar o Maycon muitas vezes.

g - Colocar o Edinho e o Maycon juntos muitas vezes.

h - Colocar o Iarley no meio-campo às vezes.

i - Colocar o Iarley no lado esquerdo muitas vezes.

j – Sempre desmanchar o time ao longo do jogo, empilhando atacantes.

l – Não pensar o jogo a partir do meio-campo, parece que só escala a defesa e o ataque, o meio é escalado com os que sobram do ataque.

m – Jamais substituir que vem mal há horas. (Lembrem Cafu e R. Carlos na Copa).

n – Trazer jogadores que um dia foram seus comandados em times de menor expressão. (Jean ??)

o – A lista de jogadores no banco sempre é ilógica, ontem levou o Wellington atacante, prá que ? Poderia ter levado o Pinga, como opção na posição do Ji ou do R. Cardoso.

p - Queimar antecipadamente jogadores não-protegidos seus, ex: Vargas, Pinga (vem jogando muito bem em treinos e time B, ele às vezes escala o Michel, pois diz que ele fez um belo treino, ´fechado`).

q – Insistir com jogadores que todos sabem que não irão dar resultado (Lembrem Cafu e R. Carlos na Copa)

r – Defender publicamente seus jogadores preferidos (Michel, Gabiru, Hidalgo)

s – Queimar publicamente outros jogadores, Perdigão, Vargas (quando chegou), agora Pato.

t – Fala de tudo menos de seus critérios para escalar jogadores, é o amigão, se diz colorado, fala das manchetes de jornal, ou seja, compra briga que não é sua.

u – Em suas entrevistas vê outro jogo que ninguém viu.

Em qualquer situação na vida, sempre devemos simplificar, portanto o time, jogadores jogando em suas funções, fazendo o que sabem fazer não deve fugir disto:

Renan, Ceará, Índio, Edinho, Hidalgo (R Santos), W. Monteiro, Perdigão, Vargas, Fernandão, Pato e Christian.

Reservas, Clemer (Renan) Granja (Ceará) Índio, R Santos (Edinho), Alex e Chiquinho (Hidalgo), J. Guilherme (W. Monteiro), Ji( Perdigão) (Pinga) Vargas, Pato (Fernandão), Iarlei (Pato) e Cristian (Wellinton).

Destes acima só temos 15 inscritos na Libertadores, ou seja a lista de 23 do Abel é !@#$%

Ainda temos bons jogadores: Diogo (L.D), Roger (meio-campo), Cristian Renteria, Martin Carvalho, Mossoró, Chiquinho.

Não precisa sair loucamente para contratar, é só ajustar os jogadores e o esquema.

Como atração de hoje no BR informo que estarão presentes nas sociais 66,667 % do Trio Corneta (Eu e o Col_US), e parece que vamos ter um banquete, pois Iarley poderá jogar e Abel promete surpresas ! Todos os jogos com o Abel é sempre surpreendente, o cara é muito criativo ! Um dia eu escalo o CJR no BR, ele ainda é muito jovem e vai ter a sua chance !

sexta-feira, maio 30, 2008

O dia em que o Colorado vergou a gostosa

Imagem meramente ilustrativa

De antemão já aviso que o texto que segue não só é longo como é gigante. Talvez o maior da história do blog (favor não confundir maior com melhor). Por isso o dividi em duas partes. assim o pessoal pode dar uma pausa, tomar um café, prosseguir na labuta ou até mesmo desistir se for o caso. Mas acho que aqueles que persistirem e chegarem ao final não irão se arrepender. Assim espero... Boa leitura e um ótimo final de semana a todos.

(Parte 1)

Porto Alegre, janeiro de 2006. Rômulo andava cabisbaixo... Diria até que Rômulo andava “chicobuarquicamente” falando de lado e olhando pro chão. Também pudera, colorado descrente e cansado de comemorar apenas eventuais gauchões, Rômulo acabara de engolir uma manobra criminosa das “forças do mal”, que lhe tiraram o tão aguardado título brasileiro de 2005, levando de arrasto sua crença em dias melhores.

Rômulo não acreditava em mais nada. Não acreditava nas instituições, não acreditava no Internacional, não acreditava nem em si mesmo, tamanha amargura e decepção com a vida. Nada prestava e o tempo era mero agente burocrático que ele penosa e forçosamente se via obrigado a percorrer, pois era covarde o bastante para abreviar sua enfadonha estada nesta encarnação, segundo ele mesmo.

Por incrível que pareça, Rômulo era um sujeito carismático, culto, extrovertido, bem “apessoado” e de porte atlético, com um bom emprego, carro do ano, cobertura com churrasqueira e vista para o Guaíba, e a doce liberdade de ir e vir de sua solteiriçe. Isso fazia de Rômulo também um sucesso entre as mulheres. Então, num primeiro momento, seu azedume com a vida não tinha razão de ser. Apenas as desventuras do seu time não explicariam tamanho desencanto.

Então, possivelmente seu desânimo encontrasse resposta no nome de Jezebel. Por uma singela razão: Jezebel disse a Rômulo que nunca iria lhe dar. Na verdade, Jezebel daria pra qualquer cara que quisesse, a hora que quisesse. Daria para Porto Alegre inteira se assim desejasse; Jezebel era uma mulher exuberante: linda, charmosa, inteligente e, o mais importante, era gostosíssima. Aliás, explodia de tão gostosa. Até a unha encravada do dedo minguinho do seu pé era gostosa. Uma gata de cabelos castanhos claros, ondulados, olhos verdosos e boca carnuda, sem ser exageradamente carnuda, diga-se.

Sua gostosura realmente saltava aos olhos: suas formas eram impressionantemente desejosas, deliciosas, graciosas e mais uma infinidade de “osas”. Tão impecável que seus conhecidos diziam que ela era deformada de tão gostosa. E Rômulo era um desses conhecidos. Tinham uma roda de amigos em comum e constantemente saíam juntos. Se encontravam toda hora e naturalíssimo que Rômulo tentasse umas “bicadas” na moça.

Há tempos Rômulo vinha forcejando uma situação mais íntima entre os dois, mas a gostosa tinha dois defeitos graves: 1) era gremista; 2) era gremista ortodoxa. E isso o impedia de comê-la? Sim! Não pelo Rômulo, claro, pois ele já havia comido todas suas amigas gremistas e coloradas, sem distinção, algumas até amigas de Jezebel. A negativa vinha da moça mesmo. Ela era tão gremista, tão doente, que simplesmente se recusava a transar com um colorado. Era um dos seus dogmas de vida. E tal negativa feriu violentamente os brios do rapaz, demasiadamente vaidoso para ser descartado de cara e por motivo tão inverossímil.

O fato é que Rômulo estava obcecado por Jezebel e seu corpo monumental. E isso lhe atormentava, pois não sabia lidar com a rejeição e nem era de correr atrás de ninguém. Rômulo era incapaz de mendigar uma trepada. Humilhante isso, mas fazer o quê? Jezebel era gostosa demais e uma (im) provável conquista da moça valeria qualquer arranhão no orgulho. Na verdade, Jezebel desferiu os “golpes” com as seguintes palavras:

- Só vou te dar no dia que teu time for Campeão do Mundo, como o meu Grêmio. Afinal, nada pode ser maior que o meu Grêmio.
“Puta que pariu! Então eu nunca vou comer essa mina, tchê!” Pensou de imediato o Rômulo, desconsiderando por completo a capacidade do time do coração. Aquilo era mais que uma negativa. Para Rômulo, aquilo anulava qualquer chance de possuir aquele “corpinho”.
- Tu não te contentarias com uma Libertadorezinha?
- Ué, tu não te garante? Não leva fé no teu “timinho”? A condição é essa, meu amor! Ahahahahah
- “Tu é foda, mesmo! Mas tu vai ver. Meu time vai meter esse ano e eu vou te meter!” Resmungou Rômulo, sem muita convicção.
Por dentro, ele era só desilusão: “Putz, dependo do Inter. Tô fudido!”
E já que não tinha nada a perder, entrou na brincadeira da moça, só de brabo!
- Tá, tudo bem. Então, se meu time for Campeão do Mundo tu vais me dar, mas vais ter que vestir o manto colorado durante a relação. Aceitas?
- Fechado!

Jezebel descartava totalmente a hipótese, tanto que topou na hora a insanidade de, ela, gremista das mais xaropes, vestir o manto rubro em caso de revés. Para ela, não havia a menor possibilidade do Colorado conseguir a laureação máxima de um clube de futebol. Um absurdo! Afinal, nada poderia ser maior que o seu Grêmio...

Começa a Libertadores 2006 e o Colorado acumula boas atuações. Nada que abalasse a confiança de Jezebel no fracasso do rival. Já para Rômulo aquilo era uma boa surpresa, mas sabia que não daria em nada, infelizmente. Nas fases eliminatórias seu time iria decepcionar, com certeza. Passou a fase de grupos e o time do Fernando Carvalho estava nas oitavas.

Veio o Nacional do Uruguai e... pimba! Colorado classificado para as quartas, onde pegaria a LDU, base da seleção equatoriana que disputava a Copa da Alemanha.
“Não vai passar!” Pensava Jezebel, esbanjando otimismo.
“Putz, não tem como passar!” Conjeturava Rômulo, esbanjando pessimismo.
Terminada a Copa do Mundo, as atenções voltaram-se à Libertadores. E o Colorado despachava meia seleção do Equador com autoridade incontestável. O Libertad, de Guiñazú, era o próximo desafio.
“Bah, time desconhecido do Paraguai. Acho que esses “putos” vão para a final.” Conformava-se Jezebel.
“Bah, esse time paraguaio tem ótima campanha, tem uma fortaleza defensiva e tem um carequinha que joga muita bola. Vai ser foda, muito foda...” pensava um temeroso Rômulo.

O Libertad até ofereceu alguma resistência, mas nem Guiñazú mostrou-se capaz de parar Tinga, Fernandão, Sóbis e cia: Inter na final! Isso mesmo, Inter na final! Rômulo não podia crer. Não podia ser verdade. Como pode? Como pode? Está acontecendo mesmo? E Jezebel já começava a desmoronar por dentro. Menos mal que o adversário seria o grande São Paulo, tri campeão da Libertadores, imbatível no Morumbi, temido por todos e respeitado até pelo Boca Juniors. Não era pouca coisa. E não seria o “timinho da beira do lago” que quebraria a lógica que se desenhava no horizonte do continente. “Só o meu Grêmio, imortal tricolor, copeiro e peleador, poderia jogar de igual pra igual com o tricolor paulista, afinal, nada pode ser maior.” Delirava a gostosa.
“Bah, chegar à final já é um grande feito. O negócio é encarar o vice campeonato com dignidade, com honradez. Se perder de pouco, é lucro.” Pensava Rômulo, por óbvio.

Primeiro jogo e Sóbis “rasga e pisa em cima da camisa do São Paulo” em pleno Morumbi. Resultado de 2x1 pro Colorado e o jogo de volta para um Beira-rio de 60 mil almas afortunadas.
“Puta que pariu! A “macacada” ganhou lá. Aqui vai ser foda! Será que vou ter mesmo que dar pra esse colorado maldito?” Pensava uma angustiada Jezebel.
“Maravilha! Ganhamos! Que sorte! Que sorte! Pena que foi só de 2x1. Será pouco pra segurar o São Paulo aqui.” Resignava-se Rômulo.

O resultado de 2x2 no Gigante foi suficiente pro Colorado vergar os paulistas e cravar definitivamente seu nome na plaquinha de bronze do enorme troféu da Libertadores.
“ARRRGGGGGHHHH!!!! Eu não acredito que isso esteja acontecendo. Esse é o pior dia da minha vida! Meu consolo é que campeões do mundo eles não serão. Isso é coisa pro meu Grêmio. Afinal, nada pode ser maior.”
“AHHHHHHHHHHHH!!!! Eu não acredito que isso esteja acontecendo. Esse é o melhor dia da minha vida! Tá certo que não seremos campeões do mundo, mas assim já tá bom demais!” Vacinava-se o Rômulo.

Sem perceber, Rômulo voltava a sorrir e sua vida aos poucos saía do preto e branco. O que não faz um grande título do clube do coração? Tá certo que ele ainda queria comer a gostosa da Jezebel, mas até mesmo a impossibilidade disso ocorrer não o atormentava tanto. Já estava resignado com a iminente derrocada colorada no Japão, o que automaticamente lhe vedaria qualquer acesso à gostosa. “Simplesmente não há como vencer o Barcelona, do Dentuço!” Deduziu Rômulo.

Jezebel, não. Ela já não tinha tanta certeza assim de que o Colorado fosse fazer fiasco no mundial. Uma certa insegurança já começava a cutucar-lhe os nervos, ainda que mantivesse uma postura de confiança plena nos rivais do Colorado, pelo menos para quem a visse de fora. Naquele momento, nada podia ser maior que sua dúvida...

(Parte 2)

Tóquio, dezembro de 2006. Os egípcios do Al Ahly bem que tentaram. Marcaram Fernandão, Iarley e outros “figurões” do time, mas esqueceram da molecada do celeiro: Alexandre Pato e Luis Adriano encaminharam o Colorado para Yokohama.
Jezebel: “Ai, ai, ai... esses guris de merda quase me fizeram chorar de tristeza... e o pior é que corro mesmo o risco de dar para um colorado. O Barça é minha última esperança.”
Rômulo: “Ah, ah, ah... esses guris de ouro me fizeram chorar de alegria. Pena que não corro o risco de comer a Jezebel, gremista gostosa. Contra o Barça, não há esperança.”.

A atuação do Barça contra o América do México de certa maneira reconfortou o coração de Jezebel e reforçou a falta de crença que Rômulo nutria pelo próprio time do coração. Placar de 4x0 pró-Barça e uma aula irretocável de futebol artístico, plástico, memorável...

O Barcelona realmente era muito bonito, ocupava todos os espaços ofensivos e mantinha a posse de bola, mas na final deparou-se com a força e o pragmatismo do Colorado gaúcho. De um lado, a plasticidade – quase aristocrática – catalã. Do outro, o aguerrimento setentrional, organizado e sangüíneo de brasileiros de todas as partes, que naquele momento impregnavam-se da essência gaudéria. Gol de um alagoano! Delírio de todos gaúchos e não gaúchos, desde que colorados. Delírio de Rômulo, que chorava feito criança junto aos seus amigos de coloradismo.

- “Eu não acredito! Eu não acredito! É campeão! É campeão, porra!” Cuspia-se Rômulo, encharcado de lágrimas e suor.
Jezebel não tinha palavras. Apenas pensava: “Puta que pariu! Os “putos” ganharam mesmo! Inacreditável... Vou ter mesmo que dar para o colorado. Meu gremismo não pode ser maior que minha palavra. Trato é trato! Bom, pelo menos o Rômulo é gostosinho...”
- “É muita alegria! É muita sorte, muita sorte... Vou aproveitar esse momento, pois ele nunca se repetirá.” Prosseguia Rômulo, a essa altura esquecendo-se por completo da dívida da gostosa consigo. Naquele momento, tudo havia de ser menor.

Rômulo continuava a festa quando toca seu celular.
Rômulo atende: “Saudações do campeão do mundo FIFA!”
Era a gostosa: “Tá bom, tá bom... eu já sei! Quanta euforia, meus Deus! Antes de mais nada quero te dar os devidos parabéns e dizer que a hora que quiseres eu pago aquela minha dívida contigo, ok?
Rômulo: “O quê? Não acredito! Tens certeza? Achei que era apenas da boca pra fora e que na hora do “vamos ver” pularias fora. Tá de pegadinha, né?”
Gostosa: “Rômulo, palavra é palavra. E eu sou uma gremista de palavra, por mais que me doa. Mas se tu abres mão do pagamento...”
Rômulo: “Não, quê isso! Tô saindo agora e tô indo pra tua casa. Me espera aí, não sai daí!!!”
Gostosa: “Ah, Rômulo, eu só quero fazer uma reivindicação, posso?”
Rômulo: “Todas!”
Gostosa: “já que vou ter que usar a, argh, camisa do teu time, que seja de algum jogador que já tenha passado pelo meu Grêmio, afinal nada pode ser maior...”
Rômulo: “He, he... Deixa comigo!”

Rômulo chegou à casa da moça em questão de 20 minutos. A moça o esperava apenas de roupão. Pediu a Rômulo que lhe entregasse a camiseta do Colorado e aguardasse alguns minutos na sala. Depois, deu um grito de dentro do seu quarto, chamando o rapaz, que esfregava as mãos.
- Rômulo, vem!

E Rômulo foi, abriu lentamente a porta do quarto e lá estava ela, a desejada Jezebel, deitada de bruços em sua cama, calcinha vermelha de tirinha, minúscula, e o manto rubro com o nome do “nêgo” Tinga estampado às costas. Rômulo ainda custava a acreditar naquela visão. Será que o destino ainda lhe pregaria uma peça num último instante? Ali mesmo tirou toda a roupa, jogou os sapatos longe e parou na frente da moça, que parece ter gostado do que viu.
- Nooossa!!! Vem coloradão, não perde tempo. Vem me surrar com a tua vara!

Como que instruído por Abel Braga, Rômulo foi pra dentro dela. E iniciou os trabalhos. Virou a gostosa do avesso, com direito a todas as minúcias mais devassas do entre paredes. Jezebel parecia querer mais. E Rômulo, para agradar a moça, não decepcionou: pegou-a de quatro e sapecou uma bofetadas naquele traseirão suculento, deixando-o rubro como o manto sagrado que Jezebel trajava. Rômulo foi como uma avalanche pra cima da Jezebel, bem do jeito que a gremista gostava. E mandou ver! Ela gostava e pedia mais e mais. Aquele inusitado grenal era muito melhor do que ela podia imaginar.

E só para ela, Rômulo foi imortal, no sentido de incansável, foi forte, aguerrido e bravo. Ele não só foi maior, como foi Gigante. Atuou como Fabiano Cachaça no grenal dos 5x2. Como Larry, nos 6x2 da inauguração do Olímpico. Fez um placar dilatado para saciar o desejo de uma Jezebel possuída de êxtase profundo. Só não sussurrou cânticos em espanhol ao pé do ouvido da moça porque isso era coisa de bicha.

Rômulo, o cético, pôde, enfim, relaxar e explodir naquele momento todos benefícios que seu time acabara de lhe proporcionar. Não estava proibido de ser feliz. E aquilo não tinha preço. “Obrigado, meu Inter.” Pensava, a cada “gol” marcado.

E Jezebel estava leve, solta e louca, como nunca estivera antes nos braços de um homem. Havia descoberto sua catarse. Gemia involuntariamente e berrava feito louca. Parecia flutuar ao lado do monte Fuji. Jezebel, a gostosa, pôde, enfim, livrar-se de seu atavismo tricolor e descobrir que há coisas que podem, sim, ser maiores que o seu clube do coração...
-----------------------------------------------------------------------------------------
Ser colorado é ser desconfiado em essência e contido até o último momento. Ser colorado é ser crítico voraz – e por vezes destrutivo, impiedoso – da própria crença. Para ser colorado não basta crer, tem que ver, depois ver mais um pouco para finalmente ver de novo, sentir e depois de todo brilho e toda festa, achar que tudo não passou de um sonho louco e distante (eu sempre acho que não se deve repetir muito o gol do Gabiru, pois parece que o goleiro vai defender ou o árbitro vai anulá-lo a qualquer momento).

Ser colorado é, antes de tudo, um exercício de equilíbrio entre razão e paixão, onde invariavelmente a razão vence. O colorado é, sobretudo, um cético apaixonado. E assim se fez por auto-defesa, pois ele, o colorado, é um sobrevivente do “holocausto futebolístico” promovido sem dó nem piedade por um certo império turco-otomano e seus aliados, por pouco mais de duas longas e tortuosas décadas.

O Internacional é assim. Por vezes nos faz sofrer demasiadamente e imerecidamente; nos faz acreditar no mito intangível da felicidade. Mas ao fim e ao cabo garanto que ser colorado vale muito a pena. E às vezes a gente até se dá bem, absurdamente bem...

quinta-feira, maio 29, 2008

Inconstância!

Inconstante: in.cons.tan.te adjectivo
não constante; volúvel; variável; leviano.

Inconstância, essa é a palavrinha mágica que nos fez ontem assistir outros clubes, que não o Inter, disputando jogos importantes, aparecendo na mídia, ganhando dinheiro e torcida.

Poderíamos muito bem estar nesta Libertadores, poderíamos muito bem estar nesta final ridícula, entre um segundino e um mediano bem montadinho, de Copa do Brasil.

Mas nosso técnico se chama Abel “Inconstante” Braga.

Acompanhei os jogos contra Palmeiras e Flamengo e pude perceber uma evidente evolução no time. Tivemos tentativas de saída de bola com os zagueiros e laterais e não mais o esquema “vai Nilmar”, na base de chutões do Renan... tivemos a aproximação entre Alex, F9 e Nilmar, o que rendeu não só um gol do Nilmar, como algumas outras boas chances. Mas a que preço?!!

"Abel está sempre estreando no Inter!!" Esta frase é do meu colega de sábado Nélson e eu assino embaixo. Muito se fala que precisamos de dois laterais e um meia... se não os temos, porque não montar um esquema tático que favoreça as qualidades das peças disponíveis?! Falta de vontade ou de competência?!

Não obstante a evolução citada acima e tendo em vista que nosso técnico é profundo conhecedor do grupo que tem à disposição (consequentemente sabedor das características de cada jogador), eu pergunto: Quanto tempo mais Abel precisa para montar um time competitivo, compacto e organizado?! Quem sabe mais uns 5 anos?! Até quando terminaremos os jogos com 5 atacantes?! Quando nosso comandante vai parar de beneficiar seus amigos em detrimento da Instituição Sport Club Internacional?!
Esse mesmo Abel, a qual eu sou grato por ter sido o comandante dos nossos principais títulos, um treinador que é hoje e será sempre parte importante na história de nosso clube quase centenário, homem capaz de acordar, comer e dormir Barcelona, também é capaz de terminar jogos importantes no esquema "bumba meu boi", é capaz de deixar Liquinho na base e escalar Gil, é capaz de carbonizar jovens promessas como Tales contra o Paraná, é capaz deslocar Jonas para a lateral direita quando ele estava começando a dar uma resposta pelo menos razoável como volante, é capaz de não escalar Sorondo em uma partida decisiva em função do longo tempo parado, mas coloca Edinho igualmente há tempos parado, nem que seja para jogar 18min.

Aquela velha máxima do “devagar se vai ao longe” não se aplica ao futebol, e isso tem que ser avisado ao nosso comandante. Não quero um time patrolando adversários (se bem que não seria de todo mal), não quero o tetra invicto, quero apenas, e tão somente, um time coeso e brigador. Quero um comandante que saiba aproveitar o melhor das peças que tem na mão, que saiba fazer a leitura do jogo, perceber as mudanças quando elas acontecem... enfim, quero um técnico, coisa que hoje, na minha opinião, nosso Abel não é... temos um motivador no banco do Inter e esse tipo de profissional já não me serve mais.

A única explicação que eu tenho para Abel ainda ser nosso treinador é o fato da diretoria e da maioria da torcida terem medo da repetição de experiências desastrosas como foram Joel e Gallo. Tenho este mesmo medo, mas confesso que acho que Abelão já deu o que tinha pra dar pelo nosso clube, lhe agradeço sinceramente e desejo sorte e sucesso, longe de Porto Alegre.

Não escrevo isso pedindo que engrossem o coro de "Fora Abel", não quero formar opiniões, apenas colocar as minhas, afinal é para isso que estou aqui escrevendo. Somente peço que não se iludam com o jogo de sábado, que cobrem do clube, exijam pulso da direção, coerência do treinador e vontade do time. Seja quem for o técnico estaremos sempre torcendo pelo nosso Inter... as dificuldades são evidentes, lesões, doenças, suspensões, mas ainda tem muita bola pra rolar e podemos chegar ao título, desde que acordemos do sonho que foi 2006 enquanto é tempo!

E para finalizar, para o pessoal mais novo no blog informo que não inventei a roda... ao escrever sobre a inconstância do nosso comando técnico lembrei de um ótimo texto escrito há algum tempo pelo nosso amigo Denílson:

http://bolavermelho.blogspot.com/2007/10/eletrocardiograma.html

Refaço a pergunta dele adaptada para a atual situação:

"Será o fim da inconstância? Ou ficará tudo pra 2009?"


ps1.: O Boca vai fazer o crime em pleno Maracanã, que o Fluminense tome de 4, 5, 12, quantos couberem... da Copa do Brasil eu não quero nem saber... só espero não ter que aturar MSI na L.A. do ano que vêm...

ps2.: Cuca caiu!

ps3.: Hoje, a partir das 14:00h, no Pleno do STF, se o bom-senso prevalecer, teremos mais um vitória do Estado Laico sobre uma instituição retrógrada e falida e serão liberadas as pesquisas com células-tronco.

VAMOS!

- Vamos Sport! Mesmo tendo eliminado o Inter eles fizeram justamente. É so o que falta o Corinthians ser campeão de alguma coisa. Eles ainda tem que pagar um pouco mais pelos pecados. Vou torcer bastante para o Sport. Mas não no sabado. Com certeza eles vão vir com os reservas para o Beira Rio. Se a gente não ganhar........

- A soberba meio que reino em Buenos Aires. O Boca ta com o ego maior que sua historia. Eu pessoalmente gostei do resultado e estarei torcendo para o Fluminense. Não é porque um ex jogador do Gremio (a mais de 20 anos atras!) treina o Flu que vou deixar de secar o Boca que já ganhou mais do que merece. Fora do Brasil é triste mas o Boca é um dos poucos clubes conhecidos da America do Sul. Essas conquistas so distanciam o Boca do resto (e nos). Se Gremista te encher o saco sobre o Renato, não fique brabo, apenas ri, pois se é so isso que eles tem pra comemorar é muita tristeza. E tambem tem muito colorado por ai babando ovo do Boca que chega a parecer o amor Gremista pelo Boca pre 2007.

- Não esquecem de acertar seus times no Cartola. Estou chegando pelas beiradas.

- Gabiru no Goias? Boa sorte Gabiru!

- As ideias extras do pessoal sobre o Grenal de torcedores eu apoio. Desculpe as vezes eu não respondo nos comentarios por falta de tempo mas sempre leio.

- Goleada contra os reservas do Sport nesse fim de semana nõ terá significado algum lem de 3 pontos. Uma vitoria seja la qual for o resultado não mudara nem um pouquinho minha opinião da situação atual do time. A Vitoria é Obrigação TOTAL. Se der até empate cabeças vão ter que rolar.

- O San Pablo não ganhará o Brasileirão. Tri consecutivo NUNCA aconteceu no Brasil e dá pra ve que o SP não tá muito animado para esse campeonato. Afinal ja ganharam 2 vezes e perderam o que realmente queriam, a Libertadores. Podem esquecer o SP esse ano.

quarta-feira, maio 28, 2008

Dedo na ferida

Essa madrugada estava eu enfrentando mais uma noite de insônia e procurando algo pra ver na tv, quando passo pelo canal Globo News e me deparo com a Eduarda Streb. “Ué”, pensei eu, o que ela está fazendo aí? Abre o plano da câmera e ela está sentada ao lado do Abel. “Ó”, pensei eu, vamos ver de quando é essa entrevista e o que o professor tem a dizer.

Ele fala um pouco, corta o quadro e vai pro Caio óculos fLashion Júnior, falando sobre os mesmos assuntos. “Legal”, pensei eu, melhor só se fosse depois do jogo de domingo pra ver o que ambos iam argumentar sobre os rumos que a partida tomou.

Mostra umas imagens daqui, uns gols dali, e lá pelas tantas entram lances daquela nhaca de Inter X flamengo. “A-há!”, pensei eu, e abri os olhos de vez e me sentei na cama. Achei a entrevista muito bacana, porém incongruente em determinados pontos. Vejamos:



Brasileirão/centenário: nosso técnico tem a real dimensão da importância de, uma vez eliminado da Copa do Brasil, buscar a vaga na Libertadores do ano do nosso centenário. Assim como sabe que conseguir essa vaga no brasileirão é muito mais difícil. Eu particularmente ainda tenho o palpite de que o Inter vai ser campeão esse ano.

Sport: disse Abel que estava tudo nos conformes, ganhamos o 1º jogo sem levar gol, marcamos um gol lá e que o grande problema foi que os guris (zagueiros reservas) tiveram que entrar na fogueira. Não, não foi. Foi o recuo do time inteiro, o que acabou chamando o adversário pra cima. O Fernandão estava tão recuado que não se pode dizer que não havia experiência na zaga. E o melhor jogador em campo até sair lesionado era um zagueiro jovem do time.

Caio Flashion Jr.: falou que seu time tinha entrado muito abatido no vestiário depois de encerrar o primeiro tempo perdendo por 1 x 0. Voltou pro segundo e fez 2 gols em 10 minutos. O que me dá a entender que o Colorado voltou muito feliz pro vestiário. Tão feliz que esqueceu que tinha que seguir jogando o segundo tempo. Soberba?

Psicológico: Abel admitiu que é fundamental e que tanto ele como os jogadores ficaram muito abalados depois de Recife. Pelo jeito a depressão ainda não passou. Ou é falta de vontade. A primeira se resolve com churrasqueada e cervejada. A segunda com peteleco na orelha e cascudo na cabeça.

Obrigação de ouvir e cumprir: sobre a cultura tática dos jogadores, Abel afirmou que todos têm a obrigação de ouvir, entender e cumprir as orientações dele. Na teoria tá lindo, na prática nem tanto. Seria o caso de abandonar o peteleco e partir pro telefone pra ver se desentope alguns ouvidos?

Fazer além: uma vez cumprida a etapa acima, disse o professor que os atletas têm toda a liberdade para criar, fazer a mais, etc. Não sei se concordo. Essa idéia só vale pra alguns. Outros têm mais é que se limitarem ao feijão com arroz. Não cagando já é um bom começo. Marca, desarma, passezinho de 3 metros pra quem sabe e volta pra guardar posição. Ponto.

Consolo: “Não ganho a 3 jogos. Estou louco, não durmo direito e estou até mal-humorado em casa”. Abel, ZH de hoje. Bom, ao menos não somos só nós torcedores. Resta saber se os jogadores também estão fazendo sua autocrítica...

Em linhas gerais gostei da entrevista e me passou a impressão de que o Abel tem plena consciência do que está errado. Levou um voto de confiança meu. Favor não nos decepcionar – tanto ele quanto os jogadores.

(foto: Alexandre Lops)

GRENAL DE VERDADE

Estava pensando no caso Eller e nos velhos comentarios de que ele é mercenario e tal, algo que a gente escuta bastante sobre varios jogadores do presente e do passado. A realidade a gente sabe, a grande maioria dos atletas do Inter e dos outros times na verdade não são "Colorados de verdade". Alguns até acabam virando Colorado, como por exemplo o Fernandão, mas a grande maioria só joga no Inter porque tem um cheque no fim do mês. Não que há de errado com isso, a gente entende que os caras são profissionais.

Mas aí pensei. Poxa como seria legal se a dupla Grenal montasse um time (cada) com os apenas TORCEDORES de verdade dos times. Mas não qualquer torcedor, e sim os melhores boleiros Colorados e Gremistas. Não seria muito complicado. Poderia pegar uns tecnicos da divisão de base para fazer um "try-out" onde Colorados fariam testes para ver sua qualidade no campo. Depois de uma semana de testes os tecnicos escolheriam os melhores torcedores atletas para formarem seus times. Ex Jogadores profissionais e atletas das divisões de base não poderiam participar. So torcedores mesmo.

Acredito eu, que daria pra achar 11 bons "torcedores-jogadores" para montar um bom time. Seriam 11 Colorados de verdade enfrentando 11 Gremistas de verdade e o jogo poderia ser realizado como Preliminar dos Grenais do Brasileirão. Isso poderia ser repetido todos os anos.

Para diminuir o numero de possiveis candidatos de 2.5 Milhoes de Colordos (mais ou menos o numero de colorados homens no estado) eles poderiam fazer a seleção de apenas Socios o que garantiria que o cara realmente é Colorado (e nao um torcedor do Juventude ou outro time que quer aparecer). A Qualidade em campo talvez sofra com isso mas seria mais facil organizar e tambem até incentivo para ser socio.

Eu acho que seria um espetaculo e a tendencia seria melhorar todos os anos. Poderia ate disputar um trofeu oficial tipo Taça Porto Alegre, já que isso nem existe mais. Seria no minimo uma homenagem aos torcedores em geral que seguem o time a decadas...pois estariam colocando o torcedor no gramado para defender o time como era quando o clube foi formado antes do profissionalismo. Afinal foi assim que o clube começou, com torcedores em campo.

Imagina a honra de um Colorado de verdade em vestir a camisa do Inter no Beira Rio e logo num Grenal? Acredito eu que isso poderia ser uma otima e interessante promoção e de custo baixo (algumas semanas de treinamento, uniformes e talvez um seguro para os jogadores). Poderiam até escolher um torcedor como treinador (minha sugestão é o Nelson) ou um jornalista que é declarado Colorado e outro Gremista.

Fica aí minha sugestão para os Marketeiros pois seria otimo ver um Grenal de verdade e garanto que muita gente iria querer ver.

EDIT:

Teriamos pelo jeito 2 problemas:

1- a doença de "ha isso seria muito dificil, muito trabalho" bla bla bla....

e

2- ter que acabar com essa ideia imbecil de que Gremista e Colorado no mesmo lugar tem que acabar em briga. Isso é uma palhaçada, pessoas trabalham junto, estudam juntos e ate vivem juntos torcendo cada um por time, mas na hora de entrar em estadio tem que brigar? Isso é um atraso e pura palhaçada.

terça-feira, maio 27, 2008

O orgulho perdido

Segue abaixo carta aberta do capitão do Chelsea aos torcedores, depois de escorregar no pênalti que poderia ter dado a Europa aos blues, em Moscou.

“Sábado, 24 de Maio de 2008

Para todos os torcedores do Chelsea, para meus companheiros de time, o técnico e outros funcionários do clube.

Eu estou muito triste de ter perdido o pênalti e tirado de vocês torcedores, meus companheiros de times, familiares e amigos a chance de ser campeão europeu.

Muitas pessoas me disseram que eu não tinha que dizer nada sobre o assunto, mas eu sinto que eu tenho, esse sou eu. Tenho revivido aquele momento desde que ele aconteceu. Eu só tenho dormido poucas horas e acordo sempre esperando que aquele momento fosse só um pesadelo.

Eu tive surpreendentemente apoio dos torcedores, jogadores e ex-jogadores, familiares e amigos e eu tenho que agradecer a cada um por isso. Mas eu sou um grande homem e me responsabilizo por nós não termos vencido.

Eu sou e SEMPRE serei Chelsea custe o que custar. Darei meu melhor dentro e fora do campo para ganhar esse troféu como jogador e um dia como técnico. E eu tenho certeza que nós venceremos.

Aquela noite em Moscou me perseguirá para sempre e eu sinto que deixei todos tristes e isso me machuca mais que qualquer coisa. Eu não tenho vergonha de chorar. Esse troféu que eu tenho tentado arduamente, ano após ano, ganhar, e chorar foi somente uma reação incontrolável, eu visto meu coração na minha manga, e todos sabem disso.

O caminho para Roma começa aqui, nós temos que tentar e transformar isso em experiência em nosso favor. Eu estou muito orgulhoso do tão longe que nós fomos nessa temporada com tudo que se passou.

Obrigado a todos por todo o apoio ao time nessa temporada.”

John Terry

-------------------------------------------------------------------

Agradeço a todos que contribuíram para as nossas maiores e recentes conquistas. De coração. Proporcionaram a todos os colorados uma emoção e um orgulho indescritível. Estão na história do Sport Club Internacional e nada, absolutamente NADA vai MUDAR esse fato.

Só que a vida continua… E as conquistas “recentes” não justificam maus resultados, nem absolvem muito menos ausentam de culpa. Quem vive de passado é museu.

Eu quero voltar a ver sangue nos olhos de nossos jogadores e de nosso treinador, que se autoproclamam “colorados” de tão identificados com o clube. Quero capacidade de indignação e vergonha na cara. Quero comissão técnica e jogadores que não achem normal acumular derrotas, e tampouco não almejar nada mais do que a vitória CADA segundo do jogo.

“Apagão” é algo inadmissível. Desinteresse no jogo, por um minuto que seja, é intolerável e incondizente com as glórias de nosso amado clube. Assim como os “John Terrys” da vida, quero homens no sentido completo da palavra.

Se qualquer profissional colorado acha que é injusto ou incoerente “esquecer” o passado e cobrar, não tem valor para este clube. Não merece vestir este manto nem levar no peito as cores alvirubras.

Títulos vêm e vão. As vitórias e as conquistas não são uma constante, e nenhum colorado em plena consciência exige e espera sempre o êxito. Mas que nehum diretor, integrante da comissão técnica ou jogador se engane. O Internacional NÃO VIVE DE TÍTULOS! VIVE DE ORGULHO!

“Seven” – Os 7 Pecados Capitais do Inter

SOBERBA – é associada ao orgulho excessivo, à arrogância e à vaidade. É algo que não combina com o Inter, não é uma característica própria do Clube do Povo. No entanto, atualmente tem sido possível verificar uma certa soberba por parte de alguns jogadores, membros da comissão técnica e, até mesmo, uma parcela da torcida. Sua representação máxima encontra-se ilustrada na figura do rei e sua coroa. Precisamos nos livrar disso o mais rápido possível, pois a humildade é o caminho das vitórias.

AVAREZA – é sinônimo de ganância, é um desejo descontrolado, uma cobiça de bens materiais e dinheiro. Para o avarento, os bens materiais deixam de ser um meio para a satisfação das necessidades e passam a ser um fim em si. Equilíbrio financeiro, investimentos no patrimônio, aumento do quadro social, tudo isso é importantíssimo, mas são meios para a satisfação da necessidade maior do clube: o futebol. Diogo Rincón não veio. Agora, a imprensa fala em Eller e Cleber Santana. A torcida ainda sonha com a volta do Tinga. De fato, para ser campeão brasileiro, é preciso ter mais time, mais grupo. Porém, para isso, é preciso abrir a mão.

LUXÚRIA – é o desejo passional e egoísta por todo prazer sensual e material. A minha maior preocupação é que no próximo mês, teremos apenas um jogo por semana, ou seja, a boleirada que já gosta de uma noitada, agora vai ficar ainda mais solta. Tem jogador que abusa da farra e no dia seguinte nem treina.

INVEJA – O invejoso ignora suas próprias virtudes e valoriza o que é dos outros, em detrimento de seu próprio crescimento. Não adianta ficar babando ovo do Boca, que tá matando todo mundo fora de casa. Temos que valorizar nosso próprio espírito guerreiro, de quem já ganhou do Rosário Central no Gigante del Arroyto, do Nacional no Parque Central e do São Paulo no Morumbi. Não inveje, trabalhe!

GULA – Esse pecado representa o desejo insaciável de se ter mais do que já se tem e precisa. Fomos a Dubai, jogamos o Gauchão com força máxima e também queríamos a Copa do Brasil. Acho que, neste ano, já tivemos indisposições estomacais suficientes no grupo, para entender que é preciso definir uma meta. Quem sabe, a partir de agora, passamos a priorizar apenas um jogo por semana, o do Campeonato Brasileiro. Então entraremos em campo com fome de vitórias em todos os jogos e na briga pelo título, sem cometer o excesso da gula. Afora isso, cuidem do apetite do Walter. Queremos ver sua fome de gols em ação o quanto antes.

IRA – É o desejo de destruir aquilo que provocou a sua revolta. O time precisa se controlar mais no aspecto disciplinar. Quantos cartões vermelhos já levamos no ano? Se continuarmos assim, quem vai ficar irada vai ser a torcida. Chega de tantas faltas estabanadas que, por sua vez, provocam a ira dos árbitros e do STJD.

PREGUIÇA – Pecado caracterizado pela falta de empenho, pela morosidade, lentidão e moleza, de causa orgânica ou psíquica, que leva à inatividade acentuada. Bueno, eu tenho visto um time preguiçoso em campo. Se é por razões orgânicas ou psíquicas, eu não sei. Mas que tem jogador precisando dar uma chacoalhada na preguiça, isso tem.

Acho bom o Inter se livrar de uma vez de todos esses pecados. Caso contrário, o castigo dos Deuses do Futebol estará gravado na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, ao final do ano, para todo mundo ver.



Baita abraço a todos!


O QUE FAZ UM ANO

O Noticiario diz que Fabiano Eller está na mira do Inter. Parece que foi ontem que Eller deixou o Inter pela porta dos fundos. Lembro bem, Abel estava puto da cara com ele. Havia historias que a esposa do Eller é quem mandava e que ela queria viver na Europa.

Parece que foi ontem que lá na Noite de Yokohama eu e mais alguns colorados chegamos a porta da Churrascaria (depois de muito trabalho) onde o Inter comemorava o Titulo mundial e fomos barrados de entrar. Lembro da frieza de um funcionario do Inter que mesmo sabendo que haviamos atravesado o Mundo pra chegar la, ele simplesmente dizia "Não, essa festa é pra Jogadores e Familia" (enquanto alguns torcedores chegavam e entravam sem problema pois aparentemente conheciam alguem la dentro). Em um certo momento o Fabiano Eller viu a gente lá fora e depois de ser chamado veio conversar com a gente. Depois de explicar a situação ele entrou dizendo que "vou ver se consigo fazer algo para voces entrarem". Foi a ultima vez que vi Fabiano Eller. Claro a culpa não foi do Eller, ele não tinha nada a ver com situação, foi sim pela falta de sensibilidade de um funcionario que barrou alguns colorados de um momento historico, dentre esses colorados um menino de 10 anos e o Consul do Inter na Australia!

Logo apos Yokohama o Eller se foi depois de uma longa novela. Agora pergunto, será que valeu a pena para o Eller? Ele com certeza ganhou uma boa grana mas a que custo? Acabou curtindo o banco lá, desapareceu do mapa e com isso depois de se tornar um dos melhores zagueiros do Brasil no Inter, praticamente perdeu a chance de jogar na seleção. Quem duvida que se ele tivesse ficado (com 28 anos) no Inter o Dunga não teria o chamado para a Seleção. Poderia ter se consagrado no Inter, poderia ter sido Idolo (algo que ele não é). Agora derepente ele diz que estaria muito feliz em voltar ao Inter. E a briga com o Abel como ficou?

Eller hoje tem 30 anos, eu acho que se ele voltar tem que mostrar serviço e não entrar no time no carteiraço. Se ele jogar como jogou em 2006 estará bem vindo, mas tem que provar que tem a mesma vontade ainda! E futebol. Temos que cuidar tambem da idade media do time. Não podemos vender um garoto de 19 anos (Sidnei) e substituir com um de 30. Talvez para o momento immediato isso funcione, mas ao longo prazo, não é uma boa ideia.

E por falar em velho, se é pra trazer velho que tragam o Paulo Baier! Porque esse cara é invisivel para a dupla GreNal? Ele é uma especie de Guinazu que faz gols. Joga muito, e vem jogando muito a varios anos. Mas depois de 6 rodadas aí já era! Ai não da mais pra contratar. Velho por velho prefiro o Paulo Baier já!

segunda-feira, maio 26, 2008

O jogo tem 90 minutos...

Esqueceram disso no vestiário?

Talvez a solução seja o jogo contínuo, o intervalo tá fazendo mal à rapaziada.
Ou então interrompe, mas não vira, é a outra goleira que dá azar.
Ou, de repente, deixem tocar o Hino Nacional quando a equipe voltar a campo, assim podemos enganar que o jogo está iniciando, vai que a gurizada acredita?

A zaga vive dias de mãe do juiz, coitada. Não é falta de velocidade, eles ficam na ruim com os adversários, tudo porque lento está o ataque. Muito demorado o último passe, acabam perdendo a bola e os outros, que não são bobos, vêm com tudo no contra ataque. Assim têm se desenhado as derrotas do Inter fora de casa, indecisão na frente que resulta em chumbo grosso atrás. Tem que finalizar, chutar em gol e não perder essa bola quando o domínio é nosso.

E vem o contra ataque e só é parado com falta. Além da oportunidade que oferecemos em bola parada, acabamos chamando o time adversário pro nosso campo e começa a ficar difícil sair dessa armadilha. E tudo começa na frente. Tá faltando objetividade no ataque e a defesa vem respondendo por isso. Um fulano qualquer segue em velocidade, o zagueiro corre uma, duas, três, na quinta vez ele não chega mais.

Os problemas do colorado estão mais do meio pra frente que pra trás, penso eu. E... Nilmar, se a terapia do toquinho não funcionou, vamos ao tratamento de choque: dá um bico nessa maldita e faz entrar na marra!

Por hoje é só pessoal, estou vivendo dias de rotina em ritmo frenético. Escrevi estas poucas linhas para que não passe em branco o difícil dia da semana: segunda-feira, ao menos hoje ensolarada. O colorado que não se comporta e eu que fico de castigo entre linhas, retas, curvas, papéis, lapiseiras, mouse, monitor... Acordar no primeiro dia da semana cansada significa que na seqüência vai ficar pior.

Sábado assisti ao jogo na companhia de um senhor desconhecido, naquela situação de dividir a mesa do bar entre colorados. Uma simpatia ele, só que eu não entendia o que ele falava; dicção difícil e a voz bem baixinha. Eu ficava sorrindo com cara de pastel sem entender uma palavra do vovô que balbuciava por vezes com expressão brava e outras sorrindo. Lá pelas tantas consegui compreender algumas partes:
Eu sou mais anti-gremista que colorado”.
Respondi que eu não e ele: “Ah eu sim!”.

Sou sócio do Inter desde 1957! Um dia pegaram minha carteirinha para trocar por uma nova, eu não queria entregar, queria a minha carteirinha original de lembrança. Não me deixaram ficar com ela. Fiquei tão brabo que disse: Nessa merda eu não entro mais. Até hoje torço pelo meu colorado amado na frente da tv, isso faz uns doze anos”.

Perguntei se ele tinha cancelado a matrícula e ele me mostrou a carteirinha atual. É sócio até hoje, mas não vai ao estádio, ficou magoado. Disse-me ainda que pensa em futuramente voltar ao Beira Rio, fiquei pensando
“Quando? Se tá quase abraçado no José Pinheiro Borda”.
Nem na final da Libertadores o vovô teimoso cedeu... Vai entender?
Lembrei da sabedoria popular: de perto ninguém é normal.

Boa semana a todos.


domingo, maio 25, 2008

MAIS UMA SEMANA DAQUELAS...


OBS.: As fotos em questão, são somente ilustrativas e servem pra tão meramente descrever o que sinto nesse exato momento...e jamais têm o intuíto de ferir a etnia ou integrade de pessoas e animais acimas mostrados, ok?

BV NO MARACA
Mesmo com mais um insucesso colorado neste findis, pelo menos um ato louvável a se relatar, a galera do BV e do MOvimento InternetBV se fez presente no Maracanã e ainda levou nossa faixa do blog, sendo assim a primeira vez que ela se fez presente dentro de um estádio de futebol...agradecemos da esquerda para a direita ao Everton Rocha, Guilherme Mallet, Fabrício e Adir pelo feito...uma pena que o colorado não ajudou pra festa ficar completa, mas fazer o que?...

MOÇADA DE FÉ!!!


ALVARO BUFALO!!


Lembram do Alvaro? O Bufalo. Jogou no Inter de 2004 até 2006. To aqui assistindo o jogo do Galaxy do Beckham e quem ta jogando ao lado do Beckham e do Landon Donovan? Sim ALVARO BUFALO! Tá louco! E olha que ele ta jogando bem e com autoridade. (Beckham acaba de fazer um gol do meio campo).



sábado, maio 24, 2008

A REALIDADE

A REALIDADE:

- O Inter desde 2007 especializa em entregar jogo facil. São inumeras as partidas que perdemos de virada.Alguem tem os dados?
- O Time se caga todo no segundo tempo.
- Gauchão é só pra enganar.
- DUBAI foi amistoso.
- Tenho muito respeito pelo Fernandão, mas ele tem sido 1 a menos em campo. Ele mal participa do jogo. O Abel deixa ele ate o fim porque ele é o Lider mas ta claro que ele ta prejudicando o time. Não sei qual é o problema, talvez posicionamento. Ele devia ficar la na frente mas acaba jogando ate de zagueiro, ai ele vai cansar mesmo. Que tal botar ele la na frenet e NAO deixar ele ficar correndo o campo todo!
- Alex é nosso craque.
- GIL não pode jogar no Inter.
- Sidnei como zagueiro é um otimo atacante.
- Abel tem que acabar com a panela
- Ou Abel tem que ir embora.
- NÃO TEMOS GRUPO PRA GANHAR BRASILEIRÃO. TA PROVADO! Falo isso desde o ano passado.
- 2008 pode ser pior que 2007.
- Quando vamos formar um meio campo coerente?
- Quando vamos contratar um lateral direito de verdade?
- Estamos na zona do Rebaixamento.
- Cadê o Piffero?
- E agora, continuam acreditando nesse plantel?
- Até quando precisamos perder para parte da torcida e clube acordar para a realidade?
- Tomamos MAIS UM GOL DE BOLA PARADA!!!!

Vai ser mais um melancolico ano onde o ganhamos uma em cada 4 e lutamos pra não cair.

É a ULTIMA CHANCE pra direotia parar de fazer festa e contratar jogadores de verdade. DO jeito que tá a coisa vai ser feia.

PS:

Me explusaram da Comunidade do Inter no Orkut por fazer um topico criticando o Piffero. Ve se pode, ate a comunidade "OFICIAL" do Inter no Orkut virou panela.



PSS:

Mais uma derrota dessas e o Blog Vermelho fara a "lista oficial" de jogadores para serem dispensados. Estamos chegando muito perto da hora de limpar a casa e recomeçar. A Era 2006 está muito perto de chegar ao fim. Darei mais uma chance ao time.

FUTEBOL INTELIGENTE SEM JOGADOR INTELIGENTE + CUSTO ALEX



Grito da Social

Após esta nossa 1ª semana no ano de verdadeiro futebol (para gente grande - sem crianças na sala..) naufragamos na Ilha, muitas desculpas antigas, repetitivas foram dadas pelas mais diversas áreas do meio esportivo colorado, treinador, direção, jogadores e torcedores, em particular alguns do BV, agravado pela forma com que perdemos os 02 jogos, um porque tivemos um jogador expulso, outra porque não tivemos jogador expulso, Qual delas vale? É bom ou ruim ter jogador expulso?

Como de costume alguns jovens foram jogados às feras, noutro jogo o Abel crucificou o Edinho, e fez questão de dizer no Bem Amigos que o Edinho já havia sido expulso no 1° tempo em jogo contra o Ju no Gauchão, de quem o Abel é amigo?

Após as devidas frustrações, grandes e positivos comentários foram proferidos por alguns colorados do BV, disseram que futebol se joga com inteligência. Pergunto-me como jogar futebol inteligente com jogadores burros (para esclarecimento, esses termos neste post se restringirão ao aspecto futebolístico) ?

O que é um jogador inteligente no ato de jogar bola ?
Existem infinitas definições, para não estender demasiado a questão, jogador inteligente é aquele que executa sua função de forma natural , sem muito esforço, apesar do futebol cada vez mais precisar de muito esforço e superação; sabe qual é a sua função dentro do campo ; sabe da função de todos com clareza; orienta os colegas de modo à cumprir suas funções; sabe variar o ritmo de seu jogo e em conseqüência da equipe; sabe dosar energia; alterna jogadas curtas e longas; gesticula; marca; dá o exemplo e até corrige a postura do time. Enxerga o jogo. Quanto mais jogadores exercerem essas funções em campo, maior será a chance de sucesso. Claro que também pesa a inteligência do treinador em escolher os jogadores certos, estratégias certas...grupo de jogadores certos, auxiliares certos, etc...o Presidente também escolhe !

Quais e quantos são os jogadores verdadeiramente inteligentes no Inter ? Será que os temos em número e qualidade suficientes ? Vou dar meu palpite:
- Renan, Sidney, Danny, Magrão e F9

Em meu breve momento Estevam, fiz uma pesquisa sobre a participação do Alex na LA 2006 e vi que não disputou os 06 primeiros jogos (acho que estava lesionado), disputou os outros 08 jogos sendo substituído em todos eles. No mundial contra o Al-Ahly foi seu único e importante jogo que não foi substituído, na final contra o Barcelona foi substituído pelo Vargas. Na melhor atuação do Inter no Brasileirão 2006, contra o Palmeiras em SP não jogou, jogou o Vargas. Em 2007 no Brasileirão sua participação foi simplesmente desastrosa, auto-descobriu ser um jogador inoperante para marcar, antes havia declarado em alto e bom sol para a mídia nacional (com o aval de seu megafônico treinador que tem excelente transito na imprensa RJ-SP) aspirante à Lateral Esquerda da Seleção ou Ala, visto que vislumbrava ser ali menor a concorrência no meio-campo. Neste Brasileirão 2007 a melhor atuação do Inter – Vasco no RJ não jogou. Na RECOPA os melhores foram Pato e Pinga. Na LA 2007 não fiz a pesquisa, mas parece-me que jogou muito pouco novamente por motivo de lesão. No Gauchão foi o goleador e craque do campeonato, indiscutível.

O Boca Juniors novamente surpreendeu e está nas Semifinais da LA2008 e não vejo adversários para chegar ao título. Alguém escreveu no BV, não comparando jogadores óbviamente, pois por mais beata que alguém possa ser, comparar Alex com Riquelme é demais... Mas pensei, o BJ joga e corre o campo todo, principalmente para Riquelme, Palácios e Palermo, eventualmente enfrenta dificuldades por não ser/ter um bom time como antigamente, mas a pegada, inteligência e principalmente a cultura (DNA) de jogar futebol não se altera ao longo do tempo.

No Inter também correm para estes 03 jogadores jogarem, pergunto quem seriam os nossos jogadores se jogassem no BJ, essa acho ser o maior equívoco estratégico colorado.

Alex seria Riquelme, Palácios ou Palermo ?
1 - No Gauchão foi o Palermo, mas sabemos que o Gauchão cada vez menos é parâmetro para se jogar futebol no Brasil ou numa competição sul-americana, pois a maioria dos times está em nível clubístico – futebolístico falimentar.
2 - Se é meio-campo deveria ser o municiador do F9 e Nilmar, mas é muito raro e não vem sendo percebido em jogos importantes.
3 - Minha opinião é que hoje exerce a função de meia atacante, pouco ajudando na marcação sendo assim deveria ser o companheiro de área do Nilmar, chegando na área (isto acontece um pouco mais freqüente em jogos no BR, lá fora não funciona, pois se omite) ou como referência porém sua presença na área é eventual, não é seu posicionamento natural, pois não é afeito ao choque com o adversário.

Por que ao sonegar ao Bustos muitíssimas cobranças de bola parada no ridículo Gauchão não cobrou a mais importante bola parada do ano aos 40 min do 2º tempo contra o Sport ?

É fácil constatar que o F9 tenta ser o Riquelme, ou para nossa realidade, tenta ser o que o Tinga foi em 2006, obviamente não tem biotipo nem fôlego para isso, pois seu futebol inteligente, elegante e eficiente fez dele o mais importante jogador da História do Inter jogando próximo à área, rondando o gol como se fosse um tubarão preparando o bote para a vítima certa. Longe da área o F9 é um ´peixe fora d água`........este é o custo Alex !



quarta-feira, maio 21, 2008

BV DEBATES

Estamos programando o BV Debates para QUINTA a noite (21 Horas). O Marimon, Alemão Milanoe o Fred estão confirmados. Quem mais quiser participar deixe seu Skype aqui. Gravaremos o debate e depois colocaremos em formato MP3 para todos Colorados escutarem. É preciso apeans ter Skype instalado no PC e um microfone.

DEIXE SEU SKYPE NESSE TOPICO PARA PARTICIPAR.

Voce pode escutar um dos antigos programas AQUI

FUTEBOL 101

Primeiro uma mensagem. Hoje sai um Debate BV via Skype de qualquer maneira. Lá pelas 21 Horas horario de Brasilia entrem no Skype. Já tenho uns confirmados, preciso de no minimo 8 pessoas. Gostaria que fosse uma boa mistura de Cornetas e Carnavalescos. O Programa será gravado e postado aqui logo depois. Deixe seu Skype nesse topico para eu te adicionar.

Agora ao topico.

Já que o Malafa falou no topico de Educação, pensei que o Blog poderia servir de ajuda nesse sentido. O Colorado precisa se educar em como se defender contra a bola parada! Quem aqui não se caga todo quando alguem do Inter faz falta perto da area? Quantas vezes fomos eliminados assim? (Gauchão 2006 com gol de nuca, Gauchão 2007 com gol aos 47, Copa do Brasil 2008 e por ai vai com certeza to esquecendo varios...)

Até QUANDO Abel? Porque é tão difcil defender contra a bola parada? Porque que cada jogador deixa para o outro e ai fica todo mundo se olhando e o goleiro buscando a bola no fundo da rede? Porque NUNCA na historia do Blog vimos uma reportagem sequer onde Abel fala "Hoje treinamos como defender bola parada"? O que exatamente se treina diariamente?

E que tal algumas jogadinhas ensaiadas? É sempre a mesma coisa; Balão pro Fernandão tenta cabecear pra tras pra talvez com um pouco de sorte sobrar para o Nilmar. O Problema é que 90% das vezes a bola nem chega na cabeça do Fernandão e nos 10% que chega 95% desses não chega ao Nilmar! Custa treinar jogadas ofensivas? Porque o futebol insiste em ser um esporte onde todos correm pelo campo sem pe nem cabeça com talvez um "overlap" aqui e ali e no resto é uma correria sem nexo...uma loteria. Eu sei Futebol não é Basquete onde o cara bota um dedo no ar indicando a proxima jogada, mas se bem que alguem poderia inovar um pouco na ideologia do jogo.

MAS ANTES DE TUDO VAMOS VOLTAR AO BASICO

Esse video o Abel deve mostrar HOJE MESMO pois o Inter consegue errar essa jogada a cada partida. O Alex em especial está tendo problemas com ela. Vai lá:



Agora o PASSE. Veja, não é complicado, até essa teenager Americana consegue e olha que o tecnico dela não me parace um Pelé com a bola aos pés! Será que um profissional não consegue fazer isso com regularidade?



Agora um pouco de defesa. Como proteger a bola. Vai por esse cara, ele tem um sotaque Europeu e com certeza sabe do que fala! Notem que ele NÃO DA COTOVELADA no adversario! Esse detalhe é IMPORTANTE DEMAIS!



Agora não to conseguindo achar no youtube video de como um jogador exagerar na queda quando um adversario te toca em campo. Aonde ensinam isso aos jogadores Brasileiros? Porque vejo isso a cada rodada. Se soprar um vento o jogador cai, se tu olhar nos olhos de um jogador, ele cai. Se tu toca na camisa dele, ele cai chorando. Pior, os juizes caiam nessa TODA VEZ. 99% das faltas nem são faltas. Jogadores deixam a perna a todo momento, mas os juizes incentivam isso porque dão 40 faltas inexistentes por jogo!

Falando em Juiz, as vezes os jogadores tem que botar pressão no Juiz, reclamar de faltas mal marcadas, mas tudo sem levar cartão. Há pessoas que dizem que o Inter não reclama o suficiente. Essa lição mostra como reclamar ao juiz durante o jogo!



Bom vamos falar de meio campo. Algo inexistente ultimamente no nosso time. Sim temos varios bons nomes mas eles não conseguem se comunicar em campo. Fica aquele toque pra lá e pra ca sem nexo que faria o meio campo do Inter dos anos 70 rir. Vai por esse jovem, ele explica direitinho o que um Meio Campista deve fazer em Campo:



Essa vai para estimular o Abel a pensar em Jogadas ensaiadas!



E finalmente Penetração e com isso não to me referindo a uma escapada da Concentração antes de um jogo. To me referindo a penetração ofensiva na defesa adversaria. Até essas meninas conseguem!



Bom agora chega, já é um otimo começo, agora vamos trabalhar!!! E estudar!

Fazendo grau

Já faz alguns bons anos que eu venho defendendo que a única reforma social e econômica que realmente vai mudar o Brasil é através da educação. Educação pra saber votar, educação pra não poluir, pra evitar epidemia de dengue, pra poder manter um diálogo, saber argumentar e entender o que os outros dizem.

E o que isso tem a ver com futebol? Tudo! Alguns já devem ter me visto falar que eu acho que pra ser jogador profissional o cara deveria ao menos ter o segundo grau completo. Não é nem o mérito de muitos de nós aqui terem diploma, terem gasto uma nota durante sua formação e hoje em dia ganharem 10% do que qualquer jogadorzinho mediano ganha – é pra que pelo menos essas ‘portas’ entendam o que o ‘professor’ explica no vestiário.

Ou vocês acham que um cidadão com um mínimo de raciocínio ficaria sem jogar um mês e meio e quando volta consegue ser expulso em 18 minutos, por uma falta tosca e troglodita em um lance que não era capital? E olha que esse cidadão já tinha tomado cartão por outra falta boba. Mas pra quem consegue essa proeza, deve faltar discernimento pra ler nas entrelinhas e entender a mensagem ‘cartão amarelo quer dizer que o juiz já está de olho em mim e se eu ratear ele me bota pra rua’.



Faltam umas aulinhas de física pra entenderem o conceito da ação e reação – se eu atacar, o outro time vai se defender, se eu só me defender, o outro time vai só atacar (o bê-a-bá da lógica também funcionaria nesse caso).

Ou de matemática pra entender que 11 é maior que 10 e saber tirar vantagem disso pra rodar a bola, ir pra cima do adversário e não tomar 2 gols e ser desclassificado da competição por um time muito inferior ao nosso.

E o Inter tem ou tinha convênio com um cursinho pré-vestibular que oferece supletivos. A oportunidade está aí, mesmo que vocês ganhem dinheiro pra não precisar trabalhar pro resto da vida, ter um pouco de educação e cultura só vai fazer bem. Nem que seja pra vir aqui escrever e poder expressar sua insatisfação – ou pra ser contratado por um clube e na apresentação dizer algo diferente do ‘chegamos para somar’. Então eu imploro, atletas e seres humanos que no momento envergam a camisa do MEU clube: não façam grau, façam o segundo grau!

++++++++++

Abel revelou no Bem, Amigos que seu time ideal é Renan, Wellington Monteiro, Índio, Sorondo e Marcão; Edinho, Magrão, Guiñazu e Alex; Nilmar e Fernandão. Quem diria, eu com saudade do Monteiro. Abel, não dá pra trocar o Edinho pelo Danny?

terça-feira, maio 20, 2008

Intermezzo

Um pequeno Intermezzo para acalmar os nervos, para refletir um pouco. Acabo de ver esse video na TV, antigo, mas bom como sempre, um classico, U2 no auge. Um video que da esperança em seja lá o que for ...

ps:

2 horas depois me entusiasmei e descobri como tocar a parte da guitarra...agora será que a popular não consegue fazer uma musica do Inter com base nessa musica?

Alguem ai é bom de letra? Ficaria MASSA uma musica do Inter com essa musica...se quiserem deixe ai suas dicas de letras para essa musica...



O Inter no divã

Gauchão, Recopa, Copa Dubai. Títulos.

Títulos? Sim, títulos. Todas com sua devida importância. Seja para retomar a hegemonia regional, seja para consolidar a imagem ascendente no cenário mundial.

Títulos? Não. Hoje a hegemonia regional já não tem mais o peso de outrora para um clube que já conquistou o mundo, e Recopa e Copa Dubai nada mais são do que torneios caça-níqueis.

A certeza que tenho, e talvez seja a mesma de outros colorados, é que salvo uma excelente campanha no Brasileirão, teremos uma gestão Píffero marcada pelo fracasso no âmbito FUTEBOLÍSTICO.

Cabe muito bem ressaltar que em termos de gestão administrativa e financeira o clube vem obtendo resultados satisfatórios, elevando-se a um patamar jamais obtido, e com excelentes perspectivas. Paradoxalmente, o futebol, que “simplesmente” é o resultado final, vem em sentido oposto.

Minha intenção hoje era dar prosseguimento a uma série de tópicos que pretendem abordar o clube como um todo. Assuntos menos tangíveis que o futebol propriamente dito, tais como finanças, patrocínios, receitas, marketing, património.

Humildemente neste momento faço o que desejo que a direção e todo gestor colorado faça: volte suas atenções para o futebol.

Este é o momento de reunir comissão técnica e jogadores. Encontrar motivos, causas e soluções para tanta instabilidade. Reavaliar o grupo. Discutir reforços. Buscar cumplicidade e doação de todos, do porteiro ao treinador. É hora de lavar a roupa suja e de retomar o espírito guerreiro, mas sobretudo vencedor

Tal qual um paciente no divã, em busca de aconselhamento profissional, o INTER precisa reencontrar o seu EU. Só retomando sua identidade, é que haverá a retomada dos títulos.

Idéias de time de futebol vencedor não faltam em nossa história. Algumas bem recentes inclusive.

Basta!

Foi fantástico conquistar o continente. Toda a repercussão, o reconhecimento da mídia internacional, a vaga no mundial, enfim, foi demais! Então fomos para o Japão. Que coisa linda! Que momento! Campeões do Mundo! O time todo de branco, o capitão recebendo a taça FIFA das mãos do Joseph Blatter no pódio montado sobre o gramado de Yokohama! Sensacional! Mas passou.

Voltamos para casa e a realidade foi dura. Eu já achava, antes de todas aquelas conquistas, que o nosso grupo de jogadores tinha uma média de idade muito avançada. A renovação do plantel se fazia necessária e alguns ídolos teriam que deixar o time. Mas a direção foi omissa.

Eu até que tentei segurar um pouco as minhas críticas, mas os fatos não me deixam mais. Já cansei de falar que nosso presidente não manja nada de futebol, só fica lá no seu trono, com sua arrogância característica, como se fosse um grande estadista. Até parece.

Nosso homem do futebol até que fez boas contratações, mas parou. O mercado da bola é dinâmico e estamos perdendo tempo. É ilusão achar que há jogadores bons para todas as posições. É preciso ter visão, pensar nas peças de reposição, sempre tão necessárias. O segundo semestre ainda é uma incógnita.

O time está se desmanchando em campo! Trocar o goleiro não fez com que parássemos de sofrer gols. Também, nossa zaga é composta por jogadores velhos, sem a mesma imposição física de temporadas passadas. Os laterais são insuficientes, isso me parece indiscutível. O meio se tornou improdutivo. Nosso camisa 8, que sempre se destacou mais pela força que pela técnica, parece ter perdido completamente o tempo de jogo, até mesmo para cometer faltas. No ataque, os jovens têm que aguardar na fila, pois o vovô centroavante precisa aumentar suas marcas pessoais às custas do clube.

Bem, o que dizer do nosso técnico então? O barrigudo é um fanfarrão! Por favor, o argumento de que ele ganhou isso e aquilo não me serve mais. Isso é história. Os fatos mais recentes são desclassificação e perda da vaga na continental. Há quanto tempo ele não consegue acertar uma boa escalação? E, quando o faz de saída, estraga tudo nas substituições. Como é que pode um cara velho desses não ter peito pra tirar alguns figurões do time? Tem uma gurizada boa no banco, mas que nunca recebe oportunidades suficientes. Quando entram, é na fogueira.

E aí vem outro problema: o vestiário. Não dá mais pra agüentar aquela panelinha. Os caras já ganharam praticamente tudo pelo time, mas isso não faz deles donos do clube! É muito jogador acima dos trinta, já não correm mais como antes. Vigor físico no futebol moderno é um diferencial. Tem jogador no grupo que tá na casa dos quarenta! Esses caras não pegam mais nem banco nos clubes de primeira linha da Europa e, se bobear, nem mesmo nos do Brasil.

Neste ano, batemos a Internazionale. Foi uma grande vitória, comemoramos muito. Mas qual o seu resultado prático? A Inter está festejando seu título nacional, está na Champions League. E nós? Um clube do tamanho do nosso não pode ficar pensando pequeno. Temos a obrigação de estar sempre disputando o título continental. Temos que buscar o mundo. Sempre!

(Giuseppe Cornetto, torcedor do Milan)

Essa é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com nomes, lugares e acontecimentos reais terá sido mera coincidência.


segunda-feira, maio 19, 2008

E ninguém cala esse chororô...

Jogador de futebol tem mais é que ganhar rios de dinheiro, vale pela insalubre condição de aturar choro de torcedor.

É tão difícil assim aceitar que ninguém entrou em campo contra o Sport? Que jogamos bosta nenhuma e que eu de salto fino acertaria mais passes que o tradicional incansável Guiñazu naquele meio campo? Sinto muito aos estrategistas para diversificadas teorias da conspiração, mas foi exatamente o que aconteceu. Quando Fernandão não joga bem, via de regra o time entoa o mesmo ritmo, desajustado. E isso aconteceu porque se tratam de pessoas, e pessoas jogam mal às vezes, acontece...

Não poderiam jogar mal numa partida tão importante? Não, mas jogaram. Faltou a vontade que sobrou no adversário? Visível que sim. Podemos cobrar da equipe esse resultado? Com certeza, devemos! Era o caminho mais fácil pra Libertadores no centenário, não poderiam ter-se dado o direito ao desestímulo, ao erro, ao desperdício de gol. Falharam como humanos que são e ficaram devendo ao seu torcedor. Haviam muitos desfalques, mas o time em campo deixou a desejar na vontade mesmo. E pagamos todos por isso. Depois de uma partida brilhante e inesquecível contra o Paraná, é triste e quase um paradoxo perder a vaga num jogo tão mais fácil como o que se encaminhava ao fim do primeiro tempo em Recife.

Isso tudo é verdade e não foi falta de grupo, foi o grupo em falta (conosco).

Na seqüência, nova derrota para o Palmeiras. Jogo fora de casa, expulsões, placar de 2x1. Isso é crise? Mas então, pela madrugada, vou encomendar uma tonelada de óleo de bebê pra passar no popô cagado do bando de chorões que há duas semanas votaram sim, eu confio no time, porque ganharam o Gauchão; e hoje amanheceram “desconfiados”. Ai que medo. Mas cadê aquela moça, aquela, a tal da personalidade?

Eu quero saber agora quem é sincero: macaco de selva, não de circo. Quero saber quem variou seu voto a cada rodada de todas as competições até aqui e por que. Quero saber quem vota a mesma coisa desde o princípio. Quero saber quem mudou a confiança no time no decorrer do percurso e qual o motivo. Meu voto é sim desde sempre e hoje não foi diferente. Diante dessa frescurada toda de quando ganha é maravilha, quando perde é o fim, só me resta exaltar a insuperável capacidade do companheirismo feminino, que não menospreza ao lidar com fragilidades e nos faz muito mais fortes que vocês, seus fracos! Falo isso pela Anelise e Mariana que se manifestaram hoje cedo. Isento os pessimistas de plantão, pois apesar de repetitivos, são convictos. Também não direciono aos moços que excepcionalmente desenvolvem a capacidade do apoio, artigo raro na classe que mija em pé.

Nessas horas eu admiro as lésbicas, seres evoluídos, algo que nessa encarnação eu não serei, pela condição irredutível de hetero. Elas não lamentam a ausência do ator principal, afinal de contas, nem gostam. E de quebra se livram dessa porcaria de chororô masculino, que no assunto futebol fica insuportável. O problema de vocês é o único do universo, a crise depois da derrota é irreversível, o cara não joga nada e desse jeito não vai dar e só falta aparecer um “acorda direção”. Suas bichas!

domingo, maio 18, 2008

BRASILEIRÃO NÃO É REGIONAL!


Grafico do Intermometro depois de 18 Enquetes.

A gente vem avisando a um bom tempo que Dubai e Gauchão não é parametro. Dubai foi AMISTOSO e Gauchão é repleto de adversarios que nem na Serie C qualifcam para jogar.

Porque vocês acham que eu venho postando essa enquete apos cada jogo? Porque desde que comecei a postar essa enquete eu venho falando que não acredito que tempo GRUPO suficiente para ganhar um campeonato de 38 Rodadas. Como eu sei? Eu sei pelo que vi em 2007! Terminamos em 11 lugar e fizemos pouco para melhor o time desde então.

É mais uma derrota melancolica com jogadores sendo expulsos por bobagens. Com Juiz dando falta pra qualquer jogador que cai (nao se pode tocar em jogador no Brasil que é falta...ridiculo isso), com Fernandão jogando tudo menos como atacante. Com Nilmar sozinho no ataque e consequentemente inexistente. As expulsões servirão de uma boa desculpa para quem gosta de usa0la como uma mas a verdade é que mesmo com 11 em campo não sei se o placar seria muito diferente.

Zagueiros agora são noss esperanças de gol, alem do Alex. Se não o Sidnei ai vai o Indio fazer gol. Gol de atacante é que é raro.

Agora vamos contra o Flamengo sem Guinazu, Edinho, Sorondo e sabe lá mais que e dá lhe Grupo. Não existe desculpa para o Tal Jonas e Ricardo Oliveira jogarem no Inter, será que não existe ninguem melhor que esses caras para contratar.

Bom fica ai a enquete que depois do Gauchao tava mais de 90% confiante. Quero ver agora que tamos enfrentando times da primeira divi~sao e não Veranopolis.

Perdemos para um Time de Circo Showbol com Denilson Foquinha, Lenny o Menino Prodigio, Leo Lima o Bebum, Valdivia o Palhaço e Elder Granja o Dodoi. É dose.

Deixe seu comentario via microfone aqui:

Pra Gravar.

1- Click no DEIXE SUA MENSAGEM
2- Na pagina que abrir Bota seu nome (onde diz Subject) e email.
3- Click RECORD para gravar.
4- Click STOP para terminar a gravação e depois SEND MESSAGE para enviar. E deu, tá feito.



Se você tiver problemas para gravar, baixa a ultima versão do JAVA aqui que isso deve arrumar o problema.

http://www.java.com/en/download/manual.jsp

PS:



INTER AO VIVO

PAlMEIRAS x INTER
Rodada #2

Hoje sim, um grande divisor de aguas. Inter e Palmeiras se enfrentam numa partida que pode mostrar como será o resto do ano Colorado.

Será uma grande vitoria que mostrará que o Inter está pronto para ser Campeão do Brasil?

Será um empate brigado que não resolve bem as duvidas?

Será uma derrota que confirmará que conquistas e vitorias sobre times da 2 e 3 divisoes não contam para muito?

Espero que seja a primeira. O Cruzeiro já tem 2 vitorias e não podemos começar a perder pontos para nossos competidores diretos.

Seria legal um 4x1 como na estreia do Pato lá em 2006. Quem sabe não estreiamos Valter? Nem sei se levaram o guri, mas se Nilmar não corresponder....

Ah e no Cartola, apostei no Inter comprando Fernandão e Nilmar para o ataque. Alem de Guinazu, Sorondo e Danny Morais.

Agora chegar de bater em time pequeno, quero ganhar de times de nossa estatura! E com regularidade!

E pra lembrar o passado











sexta-feira, maio 16, 2008

Seven Miles Bridge

Grito da Social

1 - O post abaixo foi escrito para ser publicado em 30 de abril, dia do caos no RS, aquele do ciclone....onde fiquei sem energia da sexta-feira à noite até domingo à tarde.
Continuo pensando a mesma coisa.

2 – Nada me indica que iremos à LA2009 onde o caminho é mais longo e difícil, se nos perdemos num caminho mais fácil e curto que foi a Copa do Brasil.

3 – Onde o coração se sobrepõe à razão o fracasso é mais provável, ainda mais se tratando de atividade profissional onde o combustível maior é a paixão !

SEVEN MILES BRIDGE - KEY WEST - USA


Dias destes saiu na ZH que a China inaugurou um ponte de 36 km, distância entre Porto Alegre e Novo Hamburgo. Lembrei-me que em fevereiro estive na Terra do Louis e fui do Sul de Miami à Key West na Milha ZERO (´O` Mile), início da Estrada 1 dos USA.
Key West é a última ilha dos USA ficando somente à 90 milhas de Cuba., ´parou` nos anos 70, muitos guris da minha idade prá cima, gordos, tatuados, brincos, bandanas e movidos à muito trago e Harley´s Davidson, praias parasidíacas, por-do-sol fantástico.
Política à parte, eu também não me sinto bem representado pelos políticos de Brasília assim como os americanos não se conformam com os seus representantes em Washington, que país lindo os USA !
No caminho entre Miami e Key West, passa-se por aproximadamente 200 pontes ligando ilhas que em alguns trechos tem uma faixa de terra de somente 150m, são duas pistas de estrada, sendo nos 02 lados casas à beira-mar, só que num lado o Oceano Indico, noutro lado o Golfo do México.
A ponte SEVEN MILES é uma obra da engenharia (dos arquitetos também ! Diana, Rafa Severo e Rodrigo), contei na volta, leva-se 12 minutos à 90 km/h para percorrer o trecho de 11,2 km (07 milhas). Fiquei pensando como projetar, planejar e construir este monumento de concreto no meio do mar , no meio do nada ! Essa ponte foi construída ao lado de uma velha ponte que ficara velha e obsoleta castigada pelo tempo e por novas e modernas exigências.

Fiquei pensando como chegamos ao Mundial, sabemos quem foi o grande mentor, quem foi o arquiteto e planejador, Sobre quem começou esta grande obra poderemos filosofar, ao afirmar que começou há 99 anos, mas quem foi o grande mentor neste último período não resta a menor dúvida (FC). Amigos, esta ponte já foi inaugurada e para o todo sempre servirá de atalho para lembrarmos o caminho para atingirmos outras grandes conquistas.

Fico me perguntando se uma nova ponte colorada está sendo construída. Ou estamos ainda nos utilizando dessa antiga ponte ? Se estamos construindo, quem é o arquiteto? Planejador ? Qual o tamanho da ponte ? Quando será inaugurada ? O projeto está em andamento? Quem aprovou ?

Sou cético em relação à mística e aos sinais que permeam o futebol, sou mais dado à verificar o trabalho para se conquistar os títulos almejados. Até porque os sinais são muito difíceis de visualizar. Poucos da torcida colorada viram qualquer sinal positivo quando da entrada do Gabiru no jogo do Mundial, mas ganhamos. Em relação aos sinais, prefiro então ficar com os resultados de fato (não místicos) conquistados pelo Abel no Inter e ao longo de sua carreira, então, torço pelo Inter que ele, Abel seja Campeão Gaúcho e que obedecendo aos sinais, saia por cima e vá ser profissional em outro clube, pois sempre que misturamos paixão com profissão nada conseguimos...

Se não for Campeão Gaúcho, que também saia, pois não irá ter conseguido êxito em seu trabalho mais simples e fácil dos últimos tempos, e não vejo como vencer as batalhas de um guerras mais difíceis que são a Copa do Brasil e o Brasileirão!

Se ganharmos este Gauchão, ouviremos suas longas entrevistas apaixonadas por este clube, apesar de polpudo salário. Se perdermos ouviremos as suas já cansativas e esfarrapadas desculpas. O fato é que está no Inter há quase 03 anos e não temos esquema de jogo e time titular, sempre privilegiando seu coração ao invés da razão ! Assim não vislumbro firmeza na construção de novas pontes. Não consigo perceber evolução neste projeto, parece estagnado e viciado na mesmice !

Só vejo crescimento na grande torcida colorada, que precisa carregar este bom grupo de jogadores contra times simplesmente ridículos, como os que até agora enfrentamos. Esses pra mim são verdadeiros sinais de que internamente a coisa não anda lá muito bem. Quando temos melhores times do que os adversários e precisamos de guerra, é porque está faltando comandante e estratégia...

Mas enfim no domingo, com a chuva que prenuncia, tudo deságua no Beira Rio. Lá estaremos....

Abel, domingo pede pra sair ! E seja feliz, pois tem clubes bons Brasil afora !